Artigos Anteriores

O PODER ESCLARECEDOR DAS CRISES

ANO XIV - Nº 007/14 -

REFORMAS

A história mostra, de forma muito clara, na maioria dos países do mundo todo, que só as crises fortes têm o poder de produzir o convencimento de que a saída se dá através de reformas econômicas e sociais. Mais: quanto mais bem feitas, maior será o sucesso da empreitada.

 

PRIVILÉGIOS

Arrisco a dizer que, no íntimo, esse "convencimento", mesmo que não seja admitido abertamente pelos afetados, passa, certamente, pela suas cabeças. O que é muito natural, pois não há quem goste de entregar de mão-beijada certos -privilégios- que foram obtidos ao longo do tempo (que nada tem a ver com -direitos-, mas sim aos -erros- cometidos pelos maus administradores).
 

ATRASOS E/OU PARCELAMENTOS

Pois, diante da crise financeira do Estado do RS, que está apenas começando, tenho observado, por exemplo, que vários sindicatos vêm se manifestando contrários a atrasos e/ou parcelamentos quanto ao pagamento da folha dos servidores públicos. Fazem uso, inclusive, do próprio Judiciário  para exigir que o Executivo do RS pague suas contas em dia, sem dizer de onde devem sair os recursos.

FONTES

Ora, o problema financeiro do setor público gaúcho é mais do que velho e surrado. É sabido que ao longo dos últimos quatro ou cinco mandatos, os governantes que estiveram à frente do Executivo, ao invés de proporem reformas para solução dos problemas, só se preocuparam em descobrir  -fontes- com recursos suficientes para poder pagar a folha dos servidores. 

CALOTE

O que acontece agora, como era absolutamente previsível, é que as -fontes- secaram. Mais: além de não haver novas -fontes-, a conta das anteriores, que os governos lançaram mão de forma irresponsável (vide os casos dos depósitos judiciais, por exemplo) virou promessa de um sonoro calote em forma de precatórios. 

PREOCUPAÇÃO ÚNICA

Como a preocupação dos governantes do RS tem sido, exclusivamente, a busca incessante de recursos para pagar a folha, e não administrar o Estado e muito menos esse problema, que leva ao descalabro financeiro, a situação chegou a um ponto que só pode ser definido como -tenebrosa-.

RECADO

Com os atrasos anunciados na semana passada espera-se que os gaúchos entendam, definitivamente, que, por enquanto, não há recursos disponíveis para pagar a folha em dia. Mais adiante saberão que os atrasos, inevitavelmente, serão por prazos maiores.

Quem sabe, a partir da consciência do tamanho da crise, se darão conta de que mais da metade da folha dos servidores é destinada a aposentados. Os quais, por força da -integralidade- e das leis absurdas, ganham mais do que se estivessem na ativa.

O recado quem dá é a dramática situação, gente: ou o RS passa por reformas (em várias áreas) ou a quebradeira será geral e  devastadora.

 

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • O SEGREDO DA PROSPERIDADE

    O texto abaixo, do pensador Roberto Rachewski, é muito esclarecedor:

    Em qualquer economia, quem cria a demanda é a oferta.

    Somente num mercado livre, onde a capacidade criativa do homem pode ser exercida sem impedimentos, gerando oferta, e consequentemente demanda, há crescente abundância e riqueza.

    Economias centralizadas não permitem que os indivíduos ofertem o que bem entenderem, inibindo a geração de novas demandas, emperrando a economia e empobrecendo a sociedade.

    Não é a demanda que cria a oferta. Nenhum consumidor pode demandar algo que não existe, não foi criado ou não foi produzido. Há, por outro lado, ofertas que não criam demanda, por isso que há empresas que vão à falência.

    Antes de ser inventado o smartphone, por exemplo, ninguém demandava o produto. Quando ele foi oferecido, criou-se instantaneamente a demanda por eles. A BlackBerry, para exemplificar, criou uma demanda específica que prosperou até a Apple criar demandas ainda mais exigentes, fazendo com que a oferta de BlackBerrys se tornasse inútil, pois não criava mais demandas como sua concorrente fazia.

    O processo de criação de demanda desenvolvido pela Apple, fez com que sua lucratividade e geração de caixa a tornassem a maior empresa do mundo e, para poder adquirir seus produtos, cada consumidor, por sua vez, teve, tem e terá que ofertar algo, gerando demanda, para criar valor suficiente para si e para os outros, com o propósito de adquirir o que a Apple oferece ou vier a oferecer.

    Por essa lógica simples, que muitos economistas ou governantes não conseguem compreender, é que se explica porque incentivar o consumo através da criação de moeda ou crédito não gera riqueza, mas cria apenas inflação e posteriormente pobreza. Governos para garantirem desenvolvimento em uma sociedade, devem antes de qualquer coisa, para não dizer apenas, proteger os direitos dos indivíduos à liberdade e à propriedade, para que estes se sintam seguros para criar oferta, gerando demanda presente e futura, propiciando que o círculo virtuoso da criação de valor se forme de maneira espontânea e voluntária, encaminhando aquela sociedade para a prosperidade de forma sustentável e permanente.
     

  • BOLETIM FOCUS

    Segundo o Boletim Focus de hoje, 18, a expectativa para o PIB brasileiro manteve-se inalterada em relação à semana passada. A projeção é de retração da economia em 1,2% neste ano, com expansão de 1% em 2016.

  • SELIC E IPCA

    Já a Selic projetada para o final de 2015 também permaneceu estável em 13,5%, mas os juros esperados do afinal do próximo ano subiram de 11,63% para 11,75%.

    E a estimativa para o IPCA, a medida oficial de inflação do país, voltou a subir, agora de 8,29% para 8,31% ao final do ano. Para 2016, no entanto, a projeção recuou levemente, de 5,51% para 5,5%.
     

  • NOTA DO SIMECAN

    A necessidade de obter financiamento para colocar em prática seus projetos é um dos principais entraves para as empresas inovadoras. Atenta à esta questão, o IEITEC – Instituto Empresarial de Incubação e Inovação Tecnológica promove amanhã, terça-feira, dia 19, o Encontro de Empreendedores, destinado a empresas que tenham como foco o desenvolvimento de projetos inovadores. O encontro, que acontece das 17h às 19h30min, na sede do IEITEC, em Canoas, terá como tema principal “Linhas de financiamentos especiais para projetos de inovação” e contará com a presença de agentes financeiros do BRDE, Badesul e Caixa Econômica Federal.

    A presidente do IEITEC, Rosângela Alves, observa que o financiamento para os projetos de inovação é fundamental para que as ideias sejam colocadas em prática. “Neste encontro estaremos abordando vários temas sobre inovação e em especial a questão das linhas existentes para financiar os projetos”, ressalta Rosângela. O evento, que conta com o apoio do SIMECAN, é gratuito e tem vagas limitadas. As inscrições devem ser feitas pelo telefone 2118-0900 ou pelo e-mail ieitec@ieitec.com.br . A sede do IEITEC está localizada na Av. Frederico Ozanan, 2019, em Canoas.
     

  • FLORENSE

    Desejamos a diretoria e todos os colaboradores da Florense parabéns pelos 62 anos.

FRASE DO DIA

Se há um idiota no poder, é porque os que o elegeram estão bem representados.

Barão De Itararé