Artigos Anteriores

O OTIMISMO EXIGE UMA CAUSA

ANO XIV - Nº 007/14 -

DE NOVO

Neste início de ano, da mesma forma como ocorreu lá em 2003, quando Lula assumiu a presidência do Basil, vários leitores passaram a me rotular de –pessimista- e/ou -estraga prazeres, face ao meus insistentes alertas de que a recuperação da nossa economia pode, infelzimente, ser de curtíssima duração caso as REFORMAS PREVIDENCIÁRIA e FISCAL sejam empurradas (mais uma vez) com a barriga.
 

ENGANDORA

Aliás, vale lembrar que naquela época as entidades empresariais, insuflaldas e influenciadas pela mídia apaixonada pelos petistas aplaudia sem limite a -enganadora- política econômica, que aos poucos foi levando o nosso empobrecido Brasil a viver a maior crise de todos os tempos. O maior engôdo, como referi ao longo dos anos.

MATRIZ ECONÔMICA

Mais: o projeto petista previa extamente o que aconteceu nos anos seguintes: a Matriz Econômica deixada pelo governo FHC,  que se apoiava no tripé - CÂMBIO FLUTUANTE, METAS DE INFLAÇÃO, RESPONSABILIDADE FISCAL, foi paulatinamente subsituída pela destruidora Matriz Econômica Bolivariana. 

DOENÇA DA HORA

Hoje, diga-se de passagem, a situação é outra, felizmente. O grande problema que afeta o Brasil não está, volto a afirmar, na Matriz Econômica, que voltou a ser séria e capaz de reverter o desastre provocado pelos governos Lula/Dilma Petistas. A gravíssima doença que não deixa o Brasil de crescer e se desenvolver por prazo longo é o DÉFICIT FISCAL !


 

DÉFICIT FISCAL

Volto a afirmar: o DEFICIT FISCAL, que não para de crescer,  está levando o já desgovernado endividamento público a níveis insuportáveis. O animalesco percentual, para quem não sabe ou não tem dado a mínima importância, já se encaminha para bater, muito em breve, marca de 100% do PIB. Que tal?

PREVIDÊNCIA

Como os leitores sabem muito bem sou um dos poucos que vem insistindo com a necessidade de uma REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Confesso, mais uma vez, que não é esta tímida REFORMA que está para ser votada no mes de fevereiro que vai resolver o probelma do crônico DÉFICIT FISCAL. A encrenca é muito maior, mas ainda assim já é algo a ser comemorado. 

GUERRA ÀS CORPORAÇÕES

Concuindo: quero ser grande OTIMISTA. Para tanto, o que me falta é o pricipal: a CAUSA. Enquanto os brasileiros de SEGUNDA CLASSE não declararem guerra às CORPORAÇÕES DOS SERVIDORS PÚBLICOS, reconhecidamente como os maiores e reais inimigos do Brasil,  não há como ser OTIMISTA. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ACORDO

    A Petrobras fechou acordo para encerrar ação judicial coletiva movida por investidores nos Estados Unidos e pagará US$ 2,95 bilhões em três parcelas. Em comunicado, a companhia informa que as duas primeiras parcelas serão de US$ 983 milhões e a última será de US$ 984 milhões. O primeiro pagamento será efetuado em até dez dias após a aprovação preliminar do juiz, o segundo ocorrerá dez dias após a aprovação final, e o terceiro seis meses após a aprovação final, ou em 15 de janeiro de 2019, o que acontecer primeiro.

  • BALANÇA COMERCIAL

    A balança comercial registrou superávit de US$ 2,7 bilhões nas duas últimas semanas de dezembro e, com isso, encerrou o mês apresentando saldo positivo de US$ 5,0 bilhões, resultado acima da nossa projeção e do mercado (+US$ 4,3 bilhões e +US$ 4,2 bilhões, respectivamente). Desta forma, a balança comercial encerrou 2017 com o maior superávit da série histórica, de US$ 67,0 bilhões.

FRASE DO DIA