Artigos Anteriores

O MERCADO E A ESTUPIDEZ GOVERNAMENTAL

ANO XIV - Nº 007/14 -

A FORÇA DO MERCADO

Depois de promover todos os tipos de elevação das alíquotas de impostos, penalizando duramente a produção e o consumo, os governadores de quase todos os Estados acordaram de um sono profundo, tomaram vergonha e estão agora começando um caminho de volta. Todos eles, a partir da iniciativa do governador de São Paulo, já estão reduzindo o ICMs de vários produtos.

O MERCADO VENCEU

Vamos deixar bem claro uma coisa: o que está promovendo esta atitude não é o fato de os governadores estarem com um coração maior. Também não é por terem sido acometidos por um sentimentalismo repentino, ou, ainda, por um arrependimento tardio. Nada disso. É pura necessidade de ganhar arrecadação. Como a concorrência tem sido feroz entre os Estados, quem chora ou fica esbravejando contra a guerra fiscal, acaba ficando com a competitividade ameaçada. Tudo virou, enfim, uma nítida questão de mercado, que até pode tardar, mas não falha. Sem uma redução nas alíquotas não há novos investimentos. A não ser na informalidade. E os negócios formais ainda existentes são perdidos por uma programada mudança de endereço para lugares onde recebem mais carinho e menos taxação.

NÃO IMPORTA A FORMA

O interessante é que tudo isto os verdadeiros liberais vem gritando aos quatro cantos do mundo, sem jamais serem ouvidos. Pior, quando ouvidos (nas pouquíssimas vezes) o foram para serem imediatamente adjetivados da maneira mais cruel possível. O resultado aí está: o mercado, este ente sempre muito odiado pelos socialistas e comunistas que infestam este país foi, simplesmente, implacável. Venceu. Pela forma ilegal, infelizmente, pois acabou levando muita gente a entender que o mercado é um ser invisível e criminoso. Mas a decidida atitude dos consumidores acabou por mudar este entendimento.

A ESTUPIDEZ GOVERNAMENTAL

Vejam: se não foi possível reconhecer a força legítima do mercado, e a sua lógica, pela lei, o foi pela imensa maioria que vive, produz, vende e compra na ilegalidade. Ou seja, pelas atitudes daqueles mais ousados e corajosos, que resolvem enfrentar a estupidez governamental e correr os riscos de trabalhar e viver na informalidade.

OS AGENTES PENSANTES

Os agentes consumidores, percebendo que pagar muito imposto é coisa reservada aos bobos, passaram a mostrar esperteza e coerência ao fazerem suas compras na ilegalidade, cujas atividades só se fizeram aumentar nos últimos tempos. Foi só isto que acabou fazendo a cabeça dos governadores. O resto é bobagem. Ainda falta muita coisa? Sem dúvidas. Uma delas é providenciar com urgência uma diminuição drástica nas alíquotas de ICMs da telefonia, da emergia elétrica e dos combustíveis. Aquele que fizer isto será reeleito ou reelegerá quem quiser para os governos futuros.

VESTIBULAR

A eleição é o vestibular para os candidatos. Todos se preparam (?) durante um período para tentar a aprovação na grande banca examinadora e eleitora de 3 de outubro. Como em todos os testes de múltipla escolha, já se sabe que muitos chutadores têm possibilidade de ganhar um ou mais mandatos. Principalmente num país repleto de analfabetos funcionais, cujo baixo grau de discernimento impede medir as diferenças entre o que é dito e o que é realizável.

A SEGUNDA ÉPOCA

Como os institutos só analisam as preferências para o Executivo, pelo menor número de candidatos, se nenhum deles fizer uma grande besteira, dificilmente muda o resultado que as pesquisas informam. Portanto, o negócio agora é partir para o exame e aguardar o resultado. Que pode, pelo que se imagina, ter segunda época no final de outubro. Contudo, pelo que conseguiram mostrar os candidatos, nas suas performances medíocres, os eleitores deverão ainda escolher o menos ruim.

PARE E PENSE

A organização Parceiros Voluntários preparou para esta 5a.-feira, 30, um grande evento internacional para refletir sobre o Terceiro Setor e o voluntariado. A segunda edição do seminário - Pare e Pense - com atrações internacionais e expoentes do debate social no Brasil, será realizada das 8h30 às 13h, na PUC-RS. Com o tema ?A Participação do Capital Social na Construção de um Futuro Melhor?, o evento deve atrair 700 participantes, entre professores de ensino médio e universitário, acadêmicos, lideranças do organizações sociais, voluntários, comunidade e representantes empresariais. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site - www.parceirosvoluntarios.org.br -ou pelo telefone (51) 3226.3111.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

QUEM TEM MAIS CULPA: O TENTADO OU O TENTADOR?