Artigos Anteriores

O GOVERNO E A POUPANÇA

ANO XIV - Nº 007/14 -

MIGRAÇÃO

Depois da última reunião do COPOM, quando a taxa Selic foi reduzida para 11,25%, a grande preocupação do governo passou a ser a já esperada migração das aplicações financeiras de prazo fixo e renda indexada, para a Caderneta de Poupança.

ISENÇÃO FISCAL

O que leva a esta preocupação do governo é que a Caderneta de Poupança, por ter isenção fiscal (IR), se revela como um produto altamente competitivo, se comprada com os títulos de prazo fixo que tem a Selic como indexador de remuneração.

DECISÃO JUSTA

Como a vantagem, no atual nível da taxa Selic, é nítida em favor da Poupança, muitos investidores não estão perdendo tempo: estão sacando das aplicações de renda fixa e/ou indexadas para depositar na Caderneta, que em termos de renda líquida é mais vantajosa. Uma decisão, antes de tudo, muito justa e oportuna, logicamente.

O RECADO DE LULA

Ao ser advertido de que os investidores estão querendo um melhor rendimento líquido com o máximo de segurança, Lula deu um recado ao mercado: o governo vai precisar mexer no rendimento da Caderneta de Poupança para evitar a enorme e inevitável migração.

O PROBLEMA É FISCAL

Ora, não é na Carderneta de Poupança que Lula precisa mexer, gente. Não é ali que reside o problema. A questão é meramente fiscal. Portanto, não é preciso fazer mudnaças na forma de rendimento da Poupança. Basta baixar a alíquota do IR sobre as aplicações financeiras. Nada mais.

ALÍQUOTA DO IR

A Caderneta, da forma como está, se comparada a nova Selic em vigor, não ganharia tantos adeptos caso o governo determinasse uma redução do IR para 10%, por exemplo, ao invés de 22,5% cobrados atualmente.

SENADO SAFADO

Se a indignação dos brasileiros foi enorme quando tomou conhecimento de que o Senado mantinha 136 diretores (como também informei ontem), imagino como está agora, ao saber que eles são mais de 180. Nem vou arriscar o número recente para não precisar retificar novamente o tamanho do escândalo. Com tantos diretores só imagino o número de funcionários. O Maracanã, sem medo de errar, é pequeno demais para receber tanta gente. Um leitor me informa que só a gráfica do Senado tem mais de 3.000 funcionários. Que tal?E o povo continua anestesiado. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PALESTRA
    Com o objetivo de traçar um panorama atual da terceirização, estabelecendo os riscos e oportunidades, o Sistema FIERGS, por meio do Programa de Educação Empresarial do IEL -nstituto Euvaldo Lodi, promove a palestra Gestão de Terceiros, dia 25 de março, as 13h20 na sede da FIERGS.
  • AÇO
    Segundo os dados divulgados pelo IBS a produção de aço no Brasil, em janeiro e fevereiro, anda em patamares que chegam a ser cerca de 50% mais baixos do que em 2008.
  • DESFILE MILKA
    A estilista Milka apresenta mais uma edição de seu tradicional desfile espetáculo com a grande Coleção Jubileu by Milka. Desta vez a festa acontece no Gigantinho, em Porto Alegre, no dia 26 de abril, às 19h26min em ponto. Tema: Viva México. Os iIngressos para arquibancadas à R$ 20,00 estarão à venda na Rede Zaffari Bourbon.
  • SESI
    A inclusão social norteou os trabalhos vencedores do Prêmio Construindo a Nação 2008-2009, realizado pelo SESI-RS, integrante do Sistema FIERGS, em parceria com o Instituto Cidadania Brasil. A cerimônia de entrega da premiação será dia 27 de março, às 16h, na sede da FIERGS. Na mesma oportunidade será lançada a edição 2009/2010.
  • DIVÃ
    Acontece hoje, 19, a apresentação do filme Divã no 5º Festival de Verão RS de Cinema Internacional, às 21h30 no Unibanco Arteplex. Após a sessão um bate-papo com a presença de Marta Medeiros.

FRASE DO DIA

O SÁBIO COMEÇA NO FIM. O TOLO TERMINA NO COMEÇO.

G. Polya