Artigos Anteriores

O ESTOQUE DE ESPERANÇA ESTÁ SE ESGOTANDO

ANO XIV - Nº 007/14 -

PAIXÃO PELO CAOS

Pela forma como os gravíssimos problemas brasileiros estão sendo encarados por aqueles que foram eleitos com a exclusiva incumbência de tirar o nosso empobrecido Brasil da UTI, chega-se a uma dura e triste conclusão de que boa parte deles se apaixonou perdidamente pelo CAOS.

MUITOS FILHOS

Pelas atitudes e declarações que colho a todo momento, não são poucos aqueles que se mostram prontos e dispostos em manter uma firme, estável e duradoura relação com o CAOS ECONÔMICO. Mais: querem que este relacionamento seja coroado com o nascimento de muitos filhos.

PARA TODO O SEMPRE

O mais importante, pelo que estão dando a entender, é que os frutos tenham as mesmas características da MÃE CAOS. Assim, as chances de se manterem intactos os privilégios concedidos à turma da PRIMEIRA CLASSE de brasileiros é muito maior. Ou seja, a continuidade faz com que estes 8% de apaniguados continuem,  para todo o sempre, sustentados por mais de 92% da população brasileira.

ESTOQUE DE ESPERANÇA

Mesmo que vá continuar lutando, constantemente, para que o Brasil possa ganhar alguma musculatura e com isto consiga se livrar de boa parte dos males que os levaram a UTI, em estado desesperador, só pelo que vi e assisti nestes últimos dias confesso que o estoque das minhas esperanças voltou a diminuir, de forma preocupante.

BOLA ESTÁ COM O CONGRESSO

Aliás, ontem, o ministro de Economia, Paulo Guedes, ao ser questionado se sua permanência no cargo está condicionada à aprovação da reforma da Previdência, deixou bem claro que não tem apego ao cargo. Mais: "Se o presidente não quiser, se a Câmara não quiser, eu voltarei para onde sempre estive”. Arrematou dizendo que a bola da Previdência agora está com o Congresso.

RÁPIDOS E EFICIENTES PARA O MAL

Esta clara falta de vontade dos congressistas em dar andamento na REFORMA DA PREVIDÊNCIA fica ainda mais clara porque já se passaram 90 dias deste que deveria ser o Ano da Graça de 2019 e até agora não foi escolhido o RELATOR da PEC. Pode?

O curioso é que na 3ª feira, 26, a Câmara aprovou num espaço de meia hora -EM DOIS TURNOS- a PEC que tornou o Orçamento Impositivo. Ou seja, para ferrar os deputados são rápidos e eficiente. Já quando é para DAR VIDA AOS BRASIL ....

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Abrahão Finkelstein, com o título -INJUSTIÇAS NÃO REPARÁVEIS-:

     Há poucos dias, um aposentado da iniciativa privada enviou carta ao atual Presidente da República, Jair Bolsonaro, na qual solicitava especial atenção ao tratamento desigual de sua aposentadoria do RGPS em relação à dos funcionários públicos do RPPS, cujos reajustes são equiparados aos trabalhadores da ativa, enquanto que os seus, não. Que essa anomalia o estava levando a uma situação de empobrecimento progressivo e humilhante.

     Trata-se do justo desabafo de um pagador de impostos vítima de décadas de políticas erradas e irresponsáveis que tornaram o sistema previdenciário brasileiro inviável e injusto para milhões de brasileiros. A situação descrita é impossível de ser revertida dadas as atuais condições catastróficas das contas públicas, devastadas principalmente nos 13 anos da era petista, que jogou o país num dos últimos lugares do ranking de desenvolvimento econômico e humano entre as nações.

     É inacreditável a insensibilidade nacional para os males que conduziram o país a esta situação que ultrapassou os limites do tolerável e chegou à zona do irremediável. O Brasil atual é como um paciente acometido de doença terminal que não causa dor e cujos médicos, incompetentes, não prescrevem a medicação certa nem a dieta adequada para salvar-lhe a vida.

    A reforma proposta pelo Governo visa, em boa hora, reduzir as aposentadorias públicas ao nível comum de todos os brasileiros. Porém, esbarramos num Parlamento sujeito às pressões dos altos escalões da privilegiatura que fizeram de nós, brasileiros dela excluídos, cidadãos de segunda classe. Também não ajuda em nada o papel de uma oposição rancorosa, incapaz de fazer sua "mea culpa" por tudo de ruim que deixou para atrás e que só será corrigido pelas gerações futuras que terão que saldar essa fatura imoral.

    O que machuca é que o missivista, pagou a vida inteira como os demais para sustentar os privilégios dos aposentados dos altos escalões do serviço público. É o resultado de um país que não soube aproveitar seu potencial para enriquecer e garantir a seus cidadãos uma velhice digna.

    Infelizmente, milhões de brasileiros são vítimas dessa máquina perversa de moer vidas que foi sendo montada por décadas através de leis que privilegiam os próprios autores das mesmas. Menos mal que a Nova Previdência que vem aí poderá corrigir essa história infeliz a partir de sua aprovação e implantação. Que assim seja, para o bem do Brasil e das futuras gerações.

  • CONFIANÇA DO COMÉRCIO

    O Índice de Confiança do Comércio (Icom) caiu pela terceira vez seguida em março, em -3,2 pontos em relação a fevereiro, a 96,8 pontos, acumulado perdas de 8,3 pontos desde o início do ano, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Trata-se do menor valor do indicador desde outubro de 2018. Pudera...

FRASE DO DIA

A verdade não é complexa, nós é que somos.

Oscar Wilde