Artigos Anteriores

O EFEITO CRÉDITO

ANO XIV - Nº 007/14 -

CAPITAL DE GIRO

Por muitos e muitos anos o crédito bancário, aqui no Brasil, foi uma mercadoria sempre muito escassa. Com isso, as vendas no comércio só podiam crescer em função do tamanho do capital de giro que as empresas dispunham para poder financiar seus consumidores.

TÍTULO DE CRÉDITO

Esta limitação de crédito fez do Brasil o país do cheque pré-datado. Esta loucura em termos de simplificação e facilidade para aumentar as vendas fez com que o cheque deixasse de ser uma ordem de pagamento à vista para se transformar num título de crédito, coisa que contrariava a própria Convenção de Genebra.

COMPORTAS ABERTAS

Com a deflagração da crise financeira mundial, onde o mercado externo simplesmente paralisou, a única alternativa que nos restou para crescer foi o mercado interno. Pois, a partir daí, principalmente, que as comportas do crédito se abriram, de forma vigorosa e definitiva por aqui.

ATESTADO DE IMUNIDADE

Se o crédito descontrolado foi levado à condição de mal do século, atingindo o mundo a ponto de se produzir uma gigantesca crise, o Brasil se apresentou como um dos raros países blindados e totalmente fora da contaminação. Por absoluta falta de crédito concedido ganhamos o atestado de imunidade.

QUALIDADE

Se em 2009 o crédito concedido já representou 42% do PIB, para este ano de 2010 o percentual deve aumentar para 50% do PIB, pelo que diz o sistema. Algo bastante confortável dependendo da qualidade, ou capacidade de pagamento dos financiados.

TOMADOR DE RISCO

Isto tudo prova, tranquilamente, que não foi a renda do povo o fator determinante do crescimento das vendas do comércio brasileiro. Foi, isto sim, a enorme concessão de crédito feita agora pelo sistema financeiro, que passou a tomar o risco antes pertencente ao comerciante.

PROVISIONAMENTOS

Chamo atenção para um ponto: caso a renda não cresça, coisa que depende do investimento, que por sua vez depende do nível de poupança, a inadimplência acabará sendo inevitável. Para evitar estragos desta ordem os bancos vão necessitar cada vez mais de provisionamentos. O bastante, como se sabe, para aumentar a taxa de juros dos financiamentos concedidos.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CAXIAS DO SUL
    O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, palestra na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, RS, no dia 5 de fevereiro, sexta-feira. O tema da reunião-almoço extraordinária: Perspectivas econômicas para 2010.
  • CDL
    A CDL Porto Alegre recebe os jornalistas nesta terça-feira, 26, às 11h30, para apresentar as novidades do varejo debatidas na 99ª NRF, maior evento do setor que ocorreu na semana passada, em Nova Iorque. O assunto será tema também do Almoço do Varejo, evento que ocorre na mesma data. Mais informações pelo telefone (51) 30178116.
  • AÇO
    O presidente da Associação do Aço do RS ? AARS, José Antonio Fernandes Martins, anunciará nesta terça-feira (26) o balanço do desempenho do setor em 2009 e as perspectivas para 2010. Apresentará os números que retratam o início de recuperação do consumo de aço no Estado, especialmente a partir do último trimestre do ano passado, após a retração verificada em função da crise financeira internacional iniciada em 2008.
  • CARTÃO
    O Banrisul lançou o Cartão Banricompras INSS para os novos beneficiários da Previdência Social no RS que, a partir deste mês, recebem o pagamento de seus benefícios pelo Banco. O cartão, produto exclusivo do Banrisul, é isento de mensalidade e permite pagar as compras à vista, parcelado e pré-datado, em mais de 87 mil estabelecimentos comerciais sem juros, taxas ou tarifas. Além disso, pode ser utilizado para realizar saques e contratar empréstimo consignado.

FRASE DO DIA

Entre dois males, escolha sempre o que você ainda não experimentou.

Anônimo