Artigos Anteriores

O CULPADO JÁ FOI ESCOLHIDO

ANO XIV - Nº 007/14 -

DANOS AO PAÍS

Até poucos dias atrás o governo brasileiro, apoiado por centenas de empresários, declarava, de forma eloquente e firme que tanto os dólares enviados por americanos e europeus ao Brasil quanto a entrada de produtos chineses, causam danos irreparáveis ao Brasil.

INIMIGOS DO BRASIL

O mais interessante nisso tudo foi a forma como a presidente Dilma se pronunciou: tanto aqui quanto no exterior, a sociedade brasileira ignara ficou extremamente orgulhosa. Muitos, inclusive, ficaram convencidos de que esses aproveitadores, além de maus e safados são inimigos do Brasil.

DECISÕES TOMADAS NO BRASIL

Ora, quem tem miolos sabe, perfeitamente, que as nossas taxas de juros, a nossa Constituição atrasada, nossos gastos absurdos, nosso custo-país, a nossa corrupção extraordinária e tudo mais, são fixados e produzidos aqui, não nos EUA, na Europa e na China.

VONTADE DO GOVERNO

Portanto, a entrada de dólares no Brasil se deu por exclusiva vontade do governo brasileiro. Se fixar juros mais altos é interpretado como um ato de safadeza, os safados fomos nós. Aliás, ao dar início à queda da taxa Selic, o governo provou quem, realmente, tinha culpa no cartório.

BATENDO EM RETIRADA

Como nos últimos dias começou a haver um movimento contrário, com os estrangeiros começando a retirar seus capitais de países mais arriscados, como demonstra ser nosso caso pelas decisões que o governo vem tomando, já imagino como o governo e os empresários vão reagir...

COMPARATIVO

Por enquanto, diante da péssima situação vivida pela Grécia Espanha e Itália, o Brasil ainda se destaca como país atrativo. Isto, porém, sob o aspecto comparativo.Analisando nos detalhes, o Brasil já mostra sinais de fadiga de consumo. Como a economia brasileira ficou animada graças ao crédito e não à redução do custo-país, a situação não tem como melhorar sem que reformas sejam feitas.

JUDAS

O governo e a mídia estão retardando ao máximo a admissão sobre o claro enfraquecimento da nossa economia. No entanto, quando a notícia precisar vir à tona, o culpado de tudo já foi escolhido: a crise europeia. Trata-se do novo Judas da equipe econômica e da própria mídia. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • QUEIMADA
    Continuo recebendo manifestações de repúdio à senadora Ana Amélia Lemos. Já contabilizo mais de mil leitores frustrados e/ou indignados. Como se vê, no modesto ambiente dos leitores e assinantes do Ponto Crítico, Ana Amélia está, simplesmente, queimada.
  • NECESSIDADE DE CAPITAL
    Os 29 maiores bancos do mundo precisarão levantar US$ 566 bilhões de capital adicional, ou 23% a mais do que tinham ao final de 2011, para se adequarem às regras mais duras de capital mínimo do Acordo de Basiléia 3.A estimativa é da agência de classificação de risco Fitch e significa que o capital adicional necessário representa três vezes os ganhos combinados desse grupo de bancos considerados grandes demais para quebrar.
  • RETRATO DA CRISE
    A crise na Europa congelou o crédito externo em maio. Desde o fim de abril, quando Braskem e Banco do Nordeste fecharam operações no total de US$ 800 milhões, nenhuma outra companhia se arriscou a acessar os mercados internacionais. O aumento da aversão ao risco, que ao lado de medidas adotadas pelo governo levou o dólar a superar a barreira dos R$ 2, acentuou a saída de investidores. Em maio, a Bovespa já caiu 12,6%, o maior recuo desde outubro de 2008, auge da crise internacional.
  • IEE
    A nova diretoria do Instituto de Estudos Empresariais (IEE) toma posse no próximo dia 28, em cerimônia na Associação Leopoldina Juvenil, às 19h30, em Porto Alegre. O convidado do Instituto para realizar um pronunciamento no evento é Raymundo Peixoto, diretor-geral e country manager da Dell Brasil. A nova gestão assume o IEE no período de 2012/2013, com a presidência de Michel Gralha.

FRASE DO DIA

Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela.

George Bernard Shaw