Artigos Anteriores

O BRASIL SEGUE BAIXADO NA UTI

ANO XIV - Nº 007/14 -

BOLSONARO RECEBEU ALTA

Ontem, os brasileiros mais esperançosos receberam com grande alegria a notícia dando conta de que o presidente Jair Bolsonaro recebeu, enfim, a muito esperada -ALTA- da Unidade de Terapia Semi-intensiva, do Hospital Albert Einstein.

O BRASIL SEGUE BAIXADO

Entretanto, quem segue BAIXADO, aí numa UNIDADE DE TERAPIA SUPER INTENSIVA, em estado grave, respirando por aparelhos, é o nosso empobrecido Brasil, esperando, desesperadamente, que o presidente Bolsonaro assine, enfim, a autorização para a realização das CIRURGIAS capazes de reverter o estado de sua debilitada saúde.

TEMPO

Mais: que sejam bem conhecidos os projetos que serão enviados para o Congresso, para que se possa avaliar, se tudo ocorrer a contento, quanto tempo levará para que o enfermo Brasil consiga respirar sem o uso de aparelhos, e quando poderá se locomover, mesmo com o auxílio de muletas, ou numa cadeira de rodas, pelos corredores do hospital.

CIRURGIAS E OUTROS PROCEDIMENTOS

Ainda que a REFORMA DA PREVIDÊNCIA esteja colocada em primeiro lugar, como a principal e mais delicada de todas as CIRURGIAS, muitos outros procedimentos, também de alta relevância, precisam acontecer o quanto antes para que o Brasil tenha boa recuperação.

PRIVATIZAÇÕES, CONCESSÕES E DESBUROCRATIZAÇÃO

Alguns destes procedimentos obrigam os profissionais a usarem poderosos bisturis capazes de fazer cortes profundos. Estes já estão reservados para iniciar as PRIVATIZAÇÕES, CONCESSÕES E DESBUROCRATIZAÇÃO, que já estão programadas para acontecer no próximo mês de março. A partir daí o Brasil começa a perder gordura e, por consequência, ganhar saúde.

LEGISLADORES

Se ao presidente da República cabe PROPOR E EXECUTAR as CIRURGIAS que o Brasil está precisando, na realidade quem dá a palavra final de autorização para a realização das mais complicadas são os nossos LEGISLADORES. Felizmente, por tudo que tenho lido e ouvido, o ambiente se mostra favorável para que muitas delas aconteçam. A conferir.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina, com o título -TROTSKY, POR QUE OS COMUNISTAS DETESTAM O FILME?-

    Assisti aos oito capítulos da série do Netflix sobre Trotsky sabendo que se tratava da adaptação de uma obra literária e que, portanto, não era rigorosamente histórica quanto aos fatos, frases e condutas. Meu interesse fixou-se no notável desempenho do ator russo Konstantin Khabenskiy e na singularidade de uma narrativa sobre a revolução ir além da tomada do poder pelos bolcheviques. Por quê? Porque esse costuma ser o momento em que o discurso dos comunistas começa a dar sinais de dificuldade, a aula termina, a conversa acaba. O Terror Vermelho que se seguiu é imensamente constrangedor a quem preserve, em si, um fiapo de humanidade. Dele participaram e com ele se comprometeram os três grandes líderes – Lênin, Trotsky e Stalin.

    A “narrativa” revolucionária, entanto, precisava salvar alguém nesse imbróglio e o escolhido foi Trotsky. Ele seria o comunista virtuoso, a quem não se poderiam atribuir as perversões, o estilo de vida e as motivações que levaram a tais genocídios. Stalin, por sua vez, costuma ser escalado para o papel de bad boy de toda a tragédia social e humana da revolução, que se justificou pela fome, instituiu a miséria, saqueou o entorno e nem assim sobreviveu.

    Daí porque os comunistas odiaram a série da Netflix. Eles necessitam que alguém – Trotsky – escape à amarga e fétida mistura de terrorismo, banditismo, selvageria e deformação moral que marcou o evento há tanto tempo cultuado. Pergunto: não são de seu herói, porém, estas palavras proferidas já em 1º de dezembro de 1917, dirigindo-se aos delegados do Comitê Central dos Sovietes?

                “Em menos de um mês, o terror, do mesmo modo como ocorreu durante a Grande Revolução francesa vai ganhar formas bastante violentas. Não será mais somente a prisão, mas a guilhotina – essa notável invenção da Grande Revolução francesa, que tem como maior vantagem reconhecida a de encurtar o homem em uma cabeça – que estará pronta para os nossos inimigos”. (Delo Naroda – “A Causa do Povo”, 3/12/1917).

    Gentil, o moço. Em 1919, em “La defense du terrorisme”, conforme lido em “O Livro Negro do Comunismo, pag.887, ele faz um diagnóstico das duas classes sociais, o proletariado ascendente e a burguesia decadente. Na visão de Trotsky, esta última é tão apegada ao poder que, em sua queda, arrastaria consigo a sociedade inteira. Portanto, era preciso eliminá-la. Assim:

    “É nossa obrigação arrancá-la do poder e cortar-lhe as mãos. O terror vermelho é a arma utilizada contra uma classe condenada a perecer e que não se resigna a isso.”

    Assistam a série, apesar de ser uma história densa, pesada, com fantasias e muitas intercalações que brotam da imaginação do roteirista ou do romance histórico em que se baseia, vale o tempo gasto. Dá muito que pensar. Exibe o risco inerente às utopias. Por vezes dói constatar que o filme parece reproduzir diálogos atuais de nosso ambiente intelectual... Noutras ocasiões, sua atualidade surge ao mostrar que, nos primeiros movimentos da revolução, os comunistas cumpriram o repetido papel de atacar os presídios e libertar os presos. No Brasil há gente ansiosa por fazer isso com a caneta.

  • TRACK&FIELD NO BOURBON

    O Bourbon Country e o Bourbon Ipiranga inauguram unidades da Track&Field, a maior marca 100% brasileira de fitness e beachwear. Com a abertura das duas novas lojas, a Track&Field conta agora com um total de 200 lojas em todo o Brasil.

  • #1LIVROPORMÊS

    Em um mundo de constantes distrações, reservar alguns minutos para a literatura parece uma tarefa cada vez mais difícil. Pois é justamente com o intuito de criar o estímulo e as ferramentas que faltavam para reverter esse cenário que a TAG - Experiências Literárias lançou o #Desafio1LivroPorMês. Lançada há 60 dias, a campanha criou vida própria e já conquistou a adesão de 95 mil participantes, que estão interligados através de redes sociais e 554 grupos de WhatsApp, onde trocam dicas e experiências.

    Com inscrição gratuita, a plataforma tem como objetivo estimular o início ou a retomada do hábito da leitura em pessoas que estão com dificuldade de concentração ou com aparente falta de tempo para os livros. Informações  www.taglivros.com/desafio1livropormes .

FRASE DO DIA

O homem precisa de respeito e justiça mais do que de pão.

J. Vienjean