Artigos Anteriores

O BRASIL QUE EU QUERO

ANO XIV - Nº 007/14 -

GRAVAR UM VÍDEO

A boa e oportuna iniciativa da TV Globo, que propõe aos seus telespectadores que gravem um vídeo, usando o celular, dizendo -O BRASIL QUE EU QUERO-, no meu entender é algo que deve ser festejado, aplaudido e bem aproveitado. 

APROVEITAMENTO

É óbvio que dependendo da quantidade de vídeos produzidos nos 5.570 municípios, como sugere a emissora, a maioria deles, por questões de espaço e tempo reservado para a grade dos noticiários, não terão como ser aproveitados pela TV Globo.

REDES SOCIAIS

Isto, no entanto, não pode nem deve ser visto ou sentido como motivo para frustração, críticas destrutivas ou descontentamentos. Até porque as importantes REDES SOCIAIS aí estão, oferecendo espaço ilimitado e visibilidade total para qualquer coisa que cada indivíduo queira ou deseje postar. 

CAUSAS

Pois, a título de sugestão, antes de sair gravando vídeos com mensagens inoportunas e/ou POLITICAMENTE CORRETOS, com os eternos e cansativos pedidos de PAZ, EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA, que não passam de CONSEQUÊNCIAS, proponho que se dediquem em atacar as CAUSAS dos nossos problemas. 

FOCO NA SOLUÇÃO

Ora, como já está mais do que provado que o grande responsável pela falta de PAZ, SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA são os governos, em todos os seus níveis, sugiro que o leitor, ao gravar o seu vídeo, dê total atenção e foco aquilo que representa a SOLUÇÃO DESSES ENORMES MALES.

MENSAGEM

Entendo, portanto, que a melhor e mais oportuna mensagem que cada brasileiro deveria gravar no seu celular e compartilhar nas Redes Sociais seria a seguinte: - QUERO UM BRASIL COM MENOS ESTADO E COM MAIS LIVRE INICIATIVA PARA GERAR INVESTIMENTOS, TRABALHO E RENDA PARA TODOS. 

Bom seria se numa só voz aparecesse este tipo mensagem. Afinal, quanto mais ESTADO menos os cidadãos são atendidos. Independente daquilo que pleiteiam. Que tal? 

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS DE HOJE

    Na pesquisa Focus de hoje:

    1- as projeções para o IPCA ao final de 2018 e 2019 se mantiveram em 3,95% e 4,25%, respectivamente. Para 2020 e 2021, as estimativas do IPCA seguiram em 4,00%. 

    2- a estimativa para a taxa de câmbio recuou de R$ 3,34/US$ para R$ 3,30/US$ ao final de 2018, enquanto permaneceu em R$ 3,40/US$ para o fim de 2019. 

    3- a projeção para a taxa de crescimento do PIB caiu de 2,70% para 2,66% ao final de 2018, mas subiu de 2,99% para 3,00% ao final de 2019. 

     

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina com o título - OS DOBERMANN - 

              Comportam-se como coquetéis-molotoff ambulantes. Semeiam tempestades para colher catástrofes. Estimulam saques e invasões de propriedade. Pregam desobediência civil. Constroem frases que instigam ao ódio e à agressividade e consideram isso adequado às ações revolucionárias que gostariam de ver em curso. No geral, não acreditam em Deus nem no paraíso, mas creem no inferno e no demônio a quem recomendam seus adversários.

              No exterior, falam mal do Brasil, espalham intrigas e boatos entre companheiros que os multiplicam por lá e, depois, repercutem essas informações aqui como se fossem produto de analistas internacionais. Revolucionários de esquerda, não têm pátria. Sua pátria é qualquer lugar onde possam viver sem trabalhar, sustentados por alguma instituição interessada em lero-lero e rastilhos de pólvora. Diante de toda a adrenalina lançada sobre o ambiente político nacional, não vivêssemos num curto-circuito conceitual de democracia com tolerância irrestrita, seriam condecorados com cintilantes pares de algemas por incitação à violência.

              Diferentemente do que muitos creem, tal comportamento não corresponde a um modo peculiar de fazer política; essa linha de atuação se afasta radicalmente da política porque é revolucionária. Não há nela qualquer vestígio de boa intenção, pois tudo o que faz fica sob controle do fígado. É coisa hepática e biliar. Nada constrói; só destrói. Ninguém pode acusar quem adota tais posturas de um único gesto de benevolência. O objetivo de suas ações não é resolver a miséria; a miséria é objeto de discurso e meio para chegar aos objetivos. Seu distributivismo, seu igualitarismo e sua “justiça social” prescindem de seus próprios bens. Exigem apenas os haveres alheios.

               Não é de qualquer pessoa determinada que me ocupo aqui, mas de um perfil e de um tipo de conduta que vem contaminando indivíduos e grupos sociais. O momento político, num ano eleitoral, cobra discernimento. E o cidadão zeloso deve estar atento para aquilo que os candidatos expressam. Com a mesma prudência com que você se afasta de um Dobermann (cão feroz com pouco freio), acautele-se contra quem apenas expressa ira e malquerença. Eles latem e mordem. Note bem: todos os holocaustos e crimes contra a humanidade foram conduzidos por personagens com o perfil que descrevi.

              A justiça não é um subproduto do ódio, a paz não é um subproduto da violência e a democracia não é uma casa de tolerância.

  • EFEITO MAGNÍFICO

    A gigante varejista Home Depot foi a mais nova empresa a anunciar um bônus aos seus funcionários por conta da reforma tributária do governo Trump. Menos impostos significa mais dinheiro no caixa das empresas, que podem ou aumentar os dividendos aos acionistas, ou expandir seus investimentos produtivos, ou distribuir mais bônus aos empregados, ou ainda um misto de tudo isso.
    Ou seja, é menos recurso para os cofres do governo, que normalmente gasta mal, e mais sobrando no bolso dos indivíduos, dos trabalhadores, dos investidores, do cidadão. Os democratas de esquerda não entendem isso, ou fingem não entender, pois adoram um estado inchado e a dependência dos pobres, mantidos como reféns cativos de seu assistencialismo e eternos eleitores da mesma esquerda populista. 

FRASE DO DIA

Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.

Friedrich Nietzsche