Artigos Anteriores

NOS PÍNCAROS DA IRRESPONSABILIDADE

ANO XIV - Nº 007/14 -

CASO DE INTERNAÇÃO

Retornar ao Brasil, independente do lugar para onde a viagem foi realizada, ao invés de se transformar num prazer significa, infelizmente, voltar a ter sérios pesadelos. Bem, quando o retorno é de um lugar como a Riviera Francesa, aí então já é caso de internação hospitalar.

MAZELAS

Nos dias em que fiquei fora fiz de tudo para escrever muito pouco sobre as mazelas do nosso pobre país. Nos meus planos, para me manter relaxado por algum tempo, isto estava reservado para a próxima semana. Infelizmente, no entanto, fui provocado por um assunto muito sério, que não posso deixar de comentar.

CÂNCERES

Nesses quase dez anos do Ponto Crítico, com mais de 3.000 artigos editados, os assinantes têm consciência de que o tema mais abordado foi, indiscutivelmente, a necessidade de reformar a Previdência Social. Todos com números exatos e provas concretas de que na Previdência residem os dois maiores cânceres do país: 1- é responsável pela maior injustiça social do país; e,2- é ali que está o maior rombo das contas públicas. Um verdadeiro horror.

DEFENSOR DA INJUSTIÇA SOCIAL

Pois, nesta semana, o jornal O Globo noticiou que o governo prepara uma mini-reforma na Previdência. Nada daquilo que o Brasil precisa, diga-se de passagem. Pois, mesmo assim, liderados pelo péssimo senador Paulo Paim, não faltou quem descesse o pau nas propostas. Paim, para quem não sabe, já se revelou como maior defensor da INJUSTIÇA SOCIAL DO BRASIL.

JUSTIÇA SOCIAL

Um dos pontos de maior resistência está no fato de que a proposta aumenta o tempo de contribuição da mulher trabalhadora, que passaria a contribuir por 33 anos em vez dos 30 anos atuais. Para os homens seria mantido os 35 anos de contribuição. Ora, os números atestam, claramente, que as mulheres vivem, em média, 5 anos mais dos que os homens. Ainda assim se aposentam 5 anos antes do que os homens. Isto é justo? Considerando que as mulheres, com toda razão, não aceitam ser discriminadas, elas é que deveriam estar se manifestando pela igualdade reclamada e, principalmente, pela justiça social que não está existindo.

INCONCEBÍVEL

O senador Paulo Paim, do PT do RS, ao invés de exigir JUSTIÇA SOCIAL faz o contrário, bem de acordo, aliás, com sua cabeça infeliz: desafia os autores da proposta a aprovar no Congresso emenda constitucional que retire direitos (inconcebível) das mulheres, como a que propõe o aumento do prazo mínimo de contribuição ao INSS de 30 para 33 anos e o valor da pensão por morte para no máximo 70% da integralidade. É duro, não?

ADORADORES DE ROMBOS

Anotem aí: gente do tipo Paim, acompanhado por outros que não têm discernimento, faz o Brasil olhar para a Grécia com inveja. Entendem que o melhor é apresentar déficit nas contas públicas. Adoradores de rombos, não? Daqueles que preferem ver o país ir à bancarrota só para criticar o FMI quando chamado. Que retorno, hein?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA