Artigos Anteriores

JOESLEY, O MENTIROSO!

ANO XIV - Nº 007/14 -

REDE GLOBO

Preferi esperar até hoje para comentar a tal entrevista que o criminoso Joesley Batista concedeu a revista Época, publicada no final de semana. Antes de tudo, o que mais chama a atenção é que o empresário, pra lá de safado, que já havia escolhido o jornal O Globo (via colunista Lauro Jardim), para divulgar a sua delação, desta vez escolheu a revista Época, que também pertence à Rede Globo, para voltar a atacar o presidente Temer.

 

ESCROQUE

Ora, no entendimento de qualquer pessoa minimamente sensata, o safado empresário apenas confirmou a sua clara condição de facínora. Se ainda gozava de algum crédito, por conta de tudo que disse na sua delação, nesta entrevista o safado deixou bem claro que não passa de um escroque. A rigor, pelas respostas que deu à Época, Joesley só mostrou o quanto está contrariado com o fim das vantagens que vinha recebendo até o impeachment de Dilma. 

CONSTANTES ENCONTROS

Uma coisa é certa: a convivência com Lula, Guido Mantega e Dilma fez do safado Joesley mais um mentiroso petista. Vejam que o próprio Eduardo Cunha, em nota redigida ontem, 19, no complexo penal onde está preso, afirmou que Joesley tinha “constantes encontros” com Lula e citou uma reunião em que participou com os dois.

COMPROVADO

Disse Cunha: “- Ele [Joesley] fala que só encontrou o ex-presidente Lula por duas vezes, em 2006 e 2013. Mentira! Ele apenas se esqueceu que promoveu um encontro que durou horas, no dia 26 de março de 2016, Sábado de Aleluia, na sua residência [...] entre eu, ele e Lula, a pedido de Lula, a fim de discutir o processo de impeachment [...] onde pude constatar a relação entre eles e os constantes encontros que eles mantinham”, escreveu o peemedebista.

Mais: que o encontro com Joesley e Lula pode ser comprovado pelos seguranças da presidência da Câmara que o acompanharam na ocasião, além de registros do carro alugado para transportá-lo em São Paulo.

PROJETO PETISTA

Aliás, só o fato de Joesley ter gravado apenas o presidente Temer e o senador Aécio, e com isto ganhar perdão de seus graves pecados, já foi o bastante para entender que o objetivo do projeto petista era o de melar por completo as REFORMAS. Para tanto os interessados trataram de influenciar a opinião pública dizendo que Temer era o efetivo chefe da Orcrim.   

A MAMATA ACABOU

O certo e evidente é que Temer, a quem jamais colocaria a minha mão no fogo, acabou com a festa das Campeãs Nacionais, onde as empresas J&F e JBS se destacavam. Vejam, por exemplo, que desde o momento que Maria Silvia assumiu a presidência do BNDES (um ano atrás), a mamata acabou. E continua assim com o novo presidente, Paulo Rabello de Castro. Idem, aliás, no Banco do Brasil e na Caixa. 

TÉCNICOS DE ALTO NÍVEL

Mais: a Petrobrás, tão logo Temer assumiu a presidência do país, deixou de ser alvo da corrupção. Ao convidar Pedro Parente para presidir a estatal, a situação da empresa começou a mudar e muito. Ora, se o presidente Temer fosse o tal chefe da Orcrim, como Joesley insiste (apenas para as empresas da Rede Globo), como se explica o fato de ter escolhido técnicos de alto nível para presidir as nossas maiores estatais???  Com certeza, além de mentiras e interesses imundos, AÍ TEM. E como...

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • O BURACO É MAIS EMBAIXO

    Repasso a seguinte mensagem-texto enviada pela leitora assídua, Helena Maria de Souza. Eis:  

    A Direita, há muito perdeu a narrativa para as esquerdas, principalmente no mundo da Cultura.
    Aliás, nossas esquerdas alinhadas com as esquerdas mundiais apenas seguem o que GRAMSCI ensinou em “Os Intelectuais e a organização da cultura” Convencer as pessoas (jovens de preferência) através do coração, da emoção antes de tudo, ou seja da CULTURA. Daí que ele explicitou que os melhores comunistas seriam os professores das escolas primárias, os párocos (padres dos vilarejos) e os advogados.

    Gramsci escreveu no inicio dos anos 30, pré II Guerra, onde a Itália - principalmente o sul- era paupérrima, e onde havia muitos conflitos fundiários, razão pela qual os advogados eram muito bem vistos pelos camponeses.
    Gramsci passou a maior parte da sua vida na cadeia, mas entendia dos sentimentos do POVO.

    Dia destes, o pensador Rodrigo Constantino reclamou que a DIREITA não lê e não estuda, diferentemente das esquerdas, que só lê os autores de esquerda, mas lê. O Pondé, também já falou sobre isto.
    Toda a argumentação da DIREITA é sobre um fundo moral, tipo:
    “Oh! O PT não presta. Se o governo e o ESTADO estivessem em nossas mãos seria diferente, porque somos éticos...” ou “Basta colocar alguém que não seja corrupto e não roube que arrumaremos a casa...”
    E além disto, o que temos para oferecer?

    Os Conservadores com raríssimas exceções, e vejo pelos post que leio, pelos comentários, nada falam sobre ARTE BRASILEIRA (cinema, TV, teatro, música, dança, poesia, literatura) Tudo é visto como coisa menor, ou coisa que não presta porque feita no Brasil e por brasileiros. . O período da Ditadura nos legou um acervo cultural imenso com artistas (a maioria de esquerda, ou na esquerda) que não conseguimos igualar em tempos de redemocratização, de liberdade criativa que só deu funk, hip hop e grafite. Enquanto os governos militares cuidavam da economia e da política (reprimindo os subversivos), os COMUNISTAS investiam no que Gramsci ensinou: CULTURA. Deu no que deu.

    Os governos militares não foram corruptos MAS não melhoraram em nada e não mudaram em nada a forma de se exercer e fazer política no país. Após sua saída, a turminha da esquerda, voltou a agir como antes, com os mesmos métodos e agora, com a aura de vítimas.
    Exemplo: O pessoal que organiza o Festival de Cinema do PE (com dinheiro público) cancelou o festival deste ano, porque não queria que os filmes “O PLANO REAL” e “ “O JARDIM DAS AFLIÇÕES” (sobre o filósofo liberal Olavo de Carvalho) participasse do festival. Por conta disto, até os cinemas comerciais se recusaram a colocar na grade os dois filmes. E agora?

    Cadê a grita dos CONSERVADORES? Cadê os abaixo assinados contra os “donos” do festival? Cadê as cartas de protesto e denúncia de leitores inundando os jornais deste país? Não vi, nadica de nada
    Ah! Cinema....? Porcaria de filmes brasileiros? Estamos “discutindo” coisa séria, política..... “ Pois é!
    Enquanto isto a esquerdaiada toda se manifestou apoiando os “isentões” organizadores do festival.
    Acredito que temos tantos ótimos, quanto péssimos filmes. Cinéfila assumida, aprendi que jamais faremos filmes como os EUA, a França ou o Irã, simplesmente porque somos diferentes. Cinema é uma forma de contar uma história, então cada povo tem seus mitos, e sua forma de narrar. Não acho graça no humor norte-americano tipo Seinfield. Não sei sentir como eles, porque sou brasileira.
    Fui apresentada - por uma sobrinha -ao seriado FRIENDS que existe há 20 anos, e continua a ser exibido na TV. É puro nonsense. Ou como dizem os jovens de hoje “surreal”. Céus! Como é que pode aquele programa durar 20 anos? Nem os 6 (seis) protagonistas querem mais falar dele. Vez ou outra assisto a um capítulo, para me certificar de que minha análise ainda é a mesma.
    Agora no Brasil, temos entre outros o “Vai que cola”, com um elenco que dança , canta, sapateia e atua. O texto e o enredo são puro nonsense. Nada bate com nada. Surreal. Mas tem a nossa cara. O dia que a DIREITA entender isto vai disputar com a ESQUERDA os corações e mentes brasileiros.

    Há pouco tempo, o jornalista Mario Magalhães publicou pela SARAIVA “Marighela, o baiano que incendiou o mundo”. O livro foi recomendado ao MEC, para fazer parte de toda biblioteca escolar do país. Por conta disto, inúmeras escolas Brasil afora, adotaram o nome do guerrilheiro comunista. O que os Conservadores/Liberais fizeram a respeito?
    Quanto a haver poucas bibliografias de pensadores e políticos liberais, é preciso convir que a DIREITA, não se preocupa em bancar e investir nisto, como trabalho político. Agora como batalhar pela publicação de um livro, se você não lê? Como brigar pela feitura e/ou exibição de um filme que você acha fundamental para se entender alguma coisa de nossa História, se detesta o cinema tupiniquim?
    Quando é que se viu alguém ou um grupo de jovens (e não tão jovens) liberais/conservadores, fazendo CROWDFUND “vaquinha virtual” para produzir uma peça, publicar um livro ou fazer um show de poesia?
    Pois é!
    O buraco é mais embaixo.
     

FRASE DO DIA

EM 1964 NÃO HAVIA APENAS O FANTASMA DO COMUNISMO, MAS O FANTASMA DA IGNORÂNCIA.

Delfim Netto