Artigos Anteriores

INCORPORAÇÃO, NÃO ELIMINAÇÃO, DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

ANO XIV - Nº 007/14 -

MINISTÉRIO DO TRABALHO

Na semana passada, dando seguimento ao que prometeu durante a sua campanha eleitoral de que pretende diminuir substancialmente o número de ministérios, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou que o Ministério do Trabalho deverá ser incorporado por um possível  Ministério da Produção, Trabalho e Comércio.  

INFLUÊNCIA DA MÍDIA

A maioria dos jornalistas, declaradamente socialistas,  para mostrar o quanto detesta o novo presidente, de imediato fez uso do PODER DE INFLUÊNCIA DA MÍDIA. Para tanto tratou de distorcer o anúncio dado por Bolsonaro, fazendo com que muita gente entendesse que o novo governo simplesmente resolveu ignorar por completo as políticas e diretrizes para a geração de emprego e renda. Pode?

O ELEITOR ESTÁ SATISFEITO

Mesmo sabendo que esta parte poder da mídia jamais vai se render à lógica do raciocínio, o fato é que o eleitor, este grande e verdadeiro soberano, vem se mostrando, no dia a dia pós eleitoral, bastante satisfeito com estas primeiras medidas anunciadas por Bolsonaro, assim como com as escolhas daqueles que deverão assumir os novos postos-chaves no  governo. 

O CUSTO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

Pelas atitudes e falas do novo presidente, tudo leva a crer que se estivesse ao seu alcance (infelizmente não está)  Bolsonaro faria de tudo para ELIMINAR a  JUSTIÇA DO TRABALHO. Esta absurda e nojenta instituição, para quem não sabe, tem CUSTO MAIOR, para os brasileiros, do que a SOMA DE TODOS OS PASSIVOS TRABALHISTAS. 

VARA DO TRABALHO

A título de esclarecimento, antes de ser mal interpretado, ninguém está querendo acabar com as demandas judiciais na área do trabalho. Apenas e tão somente que qualquer ação de ordem trabalhista venha a ser julgada por uma Vara do Trabalho dentro da Justiça Comum e/ou Especializada.

LIMITES

Na realidade, grande parcela dos eleitores que votou em Bolsonaro, pela forma como se manifesta nas redes sociais, está convencido de que o novo presidente tem CARTA BRANCA para tudo. Uma coisa é que Bolsonaro GOSTARIA DE FAZER; outra, bem diferente, é aquilo que realmente PODE FAZER.  Não esqueçam: a Constituição, que nada tem de CIDADÃ, impõe severos limites ao presidente. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis a ótima reflexão sobre democracia e liberdade, proposta pelo pensador Roberto Rachewsky, relembrando protestos de jovens de Hong Kong que cobravam a autoridade chinesa pelo direito ao sufrágio universal e controversas declarações passadas do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de que as minorias deveriam se curvar à maioria.
    “Democracia não é sinônimo de liberdade, de valorização da vida, de direito à privacidade, de direito à propriedade, de tolerância ao inalienável direito que as pessoas têm de buscar a liberdade como bem entenderem. Democracia pode simplesmente ser a ditadura da maioria. Qualquer maioria que, se valendo do poder coercitivo do Estado e do governo, queira subjugar a minoria, qualquer minoria, inclusive a menor minoria que existe: o indivíduo. O indivíduo, submetido à vontade irrefreável da maioria, estará vivendo em uma democracia, mas jamais estará vivendo em uma sociedade minimamente livre”.
     

  • OLHA O PENSAR+ AÍ, GENTE!

    Com o fim das eleições e o início do período de transição, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) vai debater sobre o contexto político brasileiro no Tá na Mesa desta 4a feira, 14, às 12h no Salão Nobre do Palácio do Comércio, em Porto Alegre.

    Os dois debatedores, o cientista político Fernando Schüler e o escritor Percival Puggina, integram o Pensar+. Que tal?

     

FRASE DO DIA

O socialismo é um sistema que só funciona no Céu, onde não precisam dele, e no Inferno, onde ele já existe.

Ronald Reagan