Artigos Anteriores

FINALMENTE, ALGUM CONVENCIMENTO

ANO XIV - Nº 007/14 -

INVISTA JÁ

O governo federal lançou um programa de desoneração tributária que deverá estimular o investimento privado no Brasil. Com a cabeça muito no lugar, o ministro Palocci concluiu que impostos que incidem sobre a poupança e sobre o investimento precisam ser reduzidos para estimular o desenvolvimento. Acaciano, não? Isto eu digo desde quando tinha 10 anos de idade, enquanto que alguns políticos, e o próprio ministro, só conseguem entender quando estão com 50 anos ou mais. Aí está a prova do tempo enorme que perdemos, impedindo que o Brasil viesse a crescer.

PERDAS?

Ao anunciar o programa - Invista Já -, cujas medidas vão provocar uma redução de receita de R$ 1,7 bilhão nas receitas do governo federal, não faltou, porém, um repórter idiota de uma rádio local, que se intitula como fonte da informação, para dizer que com a desoneração tributária o governo terá um prejuízo de R$ 1,7 bilhão. Vejam que informação tendenciosa e burra. Redução de receita tributária não significa prejuízo. Ao contrário, vai representar ganhos maiores logo adiante quando os investimentos estiverem maduros e o retorno do mesmo começar a ocorrer.

SANTA ESPECULAÇÃO

Estes equívocos lamentáveis de comunicação é que dificultam o entendimento por parte de gente menos preparada que acaba sempre convencida de que deve haver sempre impostos maiores sobre a renda e sobre a poupança. Assim nunca são sabedores de que a poupança é a grande geradora dos investimentos, que por sua vez gera mais trabalho e renda. É por estas pestes da comunicação que certos governantes perseguem diariamente os poupadores, chamando-os de burgueses e especuladores. Santa especulação.

VENCIMENTOS PARA 2005

É bom que todos saibam que a dívida externa do Brasil, que vai vencer em 2005, representando aí o tamanho do desencaixe do Tesouro Nacional para o próximo ano, foi fechado em U$ 11, 31 bilhões mais U$ 6,7 bilhões para o FMI. Do total dos U$ 11, 3, U$ 7 bi serão para pagar os bônus soberanos; U$ 2,6 bi para pagamento dos Bradies-bonds e U$ 1,7 bi para pagar o Clube de Paris. Para fazer tais pagamentos é certo que vamos emitir novos títulos, tanto no mercado interno quanto no exterior. Assim, não vamos mexer no orçamento federal. Portanto, muito antes de demonizar os credores, é bom ficar sem os insultos e exclamações de que a dívida leva todo o nosso dinheiro. Só se estamos fazendo abatimento ou comprando dívida.

PERDÃO DE DÍVIDAS

Ainda não obtive informações concretas sobre os reais poderes do presidente para perdoar dívidas de países que devem ao Brasil. Sempre entendi que o Congresso deveria se pronunciar, apesar de não dominar o assunto com mais competência, o que estou pretendendo. No entanto, devido a grande repercussão sobre as diversas decisões que Lula já tomou, tem muita gente querendo o mesmo tratamento aqui dentro. Como os créditos do país são representativos de impostos que foram emprestados para estes países agora perdoados, é imaginável que quem deve ao fisco brasileiro está se sentindo na mesma condição. Quer perdão. E agora?

RENDA VARIÁVEL

Com a melhora do indicadores brasileiros os investimentos em ações estão despertando o interesse dos aplicadores. Alguns setores estão despontando com grande projeção e resultados interessantes. Isto explica o que está ocorrendo com a Banrisul Corretora de Valores, que tem verificado um significativo aumento nas aplicações de renda variável. Somente no Fundo Performance, o saldo do patrimônio líquido é de R$ 32 milhões, um crescimento de 84% em relação ao saldo de dezembro do ano passado. A rentabilidade também tem sido expressiva e, neste ano, é de 39,52%. Segundo o ranking semanal da Folha Invest, elaborado pelo Laboratório de Finanças da FIA/USP, o Fundo Performance está em primeiro lugar entre os 10 mais rentáveis no ano com aplicação mínima de até R$ 200,00.

PROGRAMA ELEITORAL

A Associação dos Empresários dos Bairros Humaitá e Navegantes promove nesta segunda, 27, às 11h45min, reunião-almoço entre empresários e candidatos a Prefeitura de Porto Alegre, no DC Shopping-Restaurante Vitrine Gaúcha. No encontro os prefeituráveis vão apresentar seu programa com os rumos para o 4ª Distrito, que inclui os bairros Farrapos, Floresta, Humaitá, Navegantes e São Geraldo. É uma boa hora para que os vereadores entendam o quanto é preciso haver o voto distrital para a Câmara. É assunto de bairro com suas vontades e vocações.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

EXAMINAI TODAS AS COISAS E RETENDE O QUE FOR MELHOR.