Artigos Anteriores

FIDELIDADE À VELHA, INJUSTA E NOJENTA PREVIDÊNCIA

ANO XIV - Nº 007/14 -

JUSTIÇA SOCIAL COM RESPONSABILIDADE FISCAL?

Na última 6ª feira, 14, o relator da PEC DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA, Samuel Moreira, fez a seguinte declaração: "Fiel ao compromisso de fazer justiça social com responsabilidade fiscal, informo que o impacto da reforma prevista no meu relatório é de R$ 1,13 trilhão".

FALTA DE DISCERNIMENTO

Pois no entender de qualquer pessoa que tenha um mínimo de discernimento, o relator da REFORMA DA PREVIDÊNCIA fez questão de deixar claro, através de sua infeliz declaração, que não tem consciência de que deixou de fora, no seu parecer, a necessária JUSTIÇA SOCIAL.

PRIVILÉGIO

Ainda que a tentativa de convencer o incapaz relator de que JUSTIÇA SOCIAL PREVIDENCIÁRIA se dá através de um tratamento igual para todos, é uma perda de tempo, o fato é que basta conceder algum tipo de benefício, do tipo que pode ser conferido a todos, para que se configure um PRIVILÉGIO.

AOS SERVIDORES, COM CARINHO

Pois, com o firme propósito de atender, pronta e carinhosamente, os pleitos dos servidores públicos, Samuel Moreira construiu o seu parecer com elevada INJUSTIÇA SOCIAL. Mais: lamentavelmente, também deixou de fora o que seria a NOVA PREVIDÊNCIA, onde a -NOVIDADE-, na PEC da REFORMA DA PREVIDÊNCIA, é a CRIAÇÃO do mundialmente SISTEMA DE CAPITALIZAÇÃO.

TAXA DE INVESTIMENTO

Como não consigo acreditar que o relator não desconheça que o SISTEMA DE REPARTIÇÃO está completamente condenado, e que o SISTEMA DE CAPITALIZAÇÃO é a saída triunfal para o Brasil conseguir aumentar a sua paupérrima TAXA DE INVESTIMENTO, também não consigo entender que o seu parecer contempla RESPONSABILIDADE FISCAL.

FIÉIS À VELHA, INJUSTA E NOJENTA

Há quem imagine que até a data da votação em plenário, prevista para julho, é possível fazer a cabeça dos deputados. Entretanto, pela dificuldade que a maioria demonstra para entender que uma correta REFORMA DA PREVIDÊNCIA não admite a PERMANÊNCIA DE PRIVILÉGIOS e a CONTINUIDADE DO SISTEMA DE REPARTIÇÃO estou convencido de que seguiremos FIÉIS à VELHA, INJUSTA E NOJENTA PREVIDÊNCIA SOCIAL.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS DE HOJE

    Segundo o boletim Focus, a projeção para o IPCA ao final de 2019 foi reduzida de 3,89% na semana anterior para 3,84%.; a estimativa para a taxa de câmbio ao final de 2019 e de 2020 permaneceu, em ambos os casos, em R$ 3,80/US$; a estimativa para o PIB em 2019 foi reduzida pela 16ª semana consecutiva, agora de 1,00% para 0,93%.

  • CALOTE DA DÍVIDA OU INFLAÇÃO GALOPANTE?

    Eis o importante texto produzido pelo administrador Stephen Kanitz, com o título - O CALOTE DA DÍVIDA OU INFLAÇÃO GALOPANTE? 

    Todo investidor de Renda Fixa ou Hedge Fund sabe que o Brasil não tem como pagar de volta sua aplicação.

    Ao contrário das dívidas de empresas que têm lastro em imóveis, equipamentos, duplicatas, etc., os recursos que você emprestou ao Estado sumiram, foram gastos, lastro zero.

    Portanto, seu investimento na mão do Estado não rende nem para pagar os juros, muito menos para a devolução do que você emprestou.

    Tal é a irresponsabilidade administrativa dos nossos Ministros da Fazenda, todos.

    Especialistas que recomendam títulos 99 a 105% do CDI também são uns irresponsáveis, e vocês que acreditam, idem.

    Muitos asset managers estão acalmando seus investidores afirmando que no pior dos casos o governo os pagará emitindo moeda.

    Apesar de que emitir moeda gera inflação, vocês estariam imunes porque seriam os primeiros a receber a emissão criminosa.

    Foi sempre assim que os nossos Ministros da Economia pagaram dívidas, gerando inflação, e vocês os veneram como grandes sábios que não são.

    Eles pagavam pelas suas gestões temerárias, imprimindo moeda e gerando inflação.

    A sociedade deu um basta nisso e desde o Plano Real o governo não imprime mais moeda para saldar dívidas.

    Por isso é que a dívida só aumenta desde o Plano Real.

    Mesmo assim, demorou mais 25 anos depois do Real para a inflação cair para 4% ao ano, e o juro para 6%.

    Emitir moeda para pagar dívidas é crime moral, só que nenhum dos nossos Ministros da Fazenda e BC jamais foram presos.

    Eu não acredito que a nova geração permita que nossos Ministros da Economia novamente imprimam moeda para fechar furos de caixa devido às suas irresponsáveis administrações financeiras.

    Sendo assim, das duas uma, calote forçado por uma corrida quando alguns idiotas derem conta do erro e pedirem resgate, ou revolta popular contra aqueles que receberam a grana via emissão de moeda.

FRASE DO DIA

A luta pela segurança tende a ser mais forte do que o amor à liberdade.

Friedrich Hayek