Artigos Anteriores

ESTADO DE DELÍRIO

ANO XIV - Nº 007/14 -

ESTADO DE DELÍRIO

Quem acompanha de perto os noticiários já deve ter percebido o fantástico ESTADO DE DELÍRIO que tomou conta da maioria dos veículos de comunicação, particularmente no nosso empobrecido Brasil, cada um ao seu modo, na tentativa de atrair a atenção do público em geral quanto à tensão geopolítica que envolve os EUA e o Irã.  

BOBAGENS

Como se estivessem participando de um torneio, os meios de comunicação disputam, palmo a palmo, leitores, ouvintes e telespectadores, como se este universo de seguidores fosse formado apenas por pobres dependentes que ainda se deixam -influenciar- pelos repetidos blá, blá, blás e outras tantas pelas bobagens que são ditas e repetidas a todo momento. 

SITUAÇÃO QUE TESTEMUNHEI

Pois, ontem, depois de ouvir um cipoal de besteiras, todas sem pé nem cabeça, me veio à lembrança uma situação que testemunhei, anos atrás, quando participava da cobertura de uma Copa do Mundo fora do Brasil. Sem tirar nem pôr foi exatamente assim o que ocorreu: 

A GENTE INVENTA

Num final de tarde, o repórter de uma rádio que precisava entrar no ar para dar o seu boletim, se aproximou do grupo de bate-papo no qual eu estava e perguntou se havia alguma novidade relevante. Vendo que ninguém sabia de algo realmente importante, do tipo que chamasse atenção, o mesmo disse, tranquilamente: - Quando não há notícia a gente inventa! 

PERFIL IDEOLÓGICO

Ora, nos dias atuais, por mais que os principais veículos de comunicação ainda sigam sendo muito lidos, ouvidos e assistidos, uma coisa é fato: as mídias sociais estão ganhando, dia após dia, uma importância tal, a ponto de impedir que qualquer desinformação e/ou opiniões alinhadas com o perfil ideológico do transmissor seja consagrada como algo próximo da verdade.  

DESCONFIANÇA

No nosso empobrecido Brasil, como o esporte favorito da mídia em geral é bater nos presidentes dos EUA e do Brasil, esta prática já descortinou que mesmo nos raros e eventuais momentos que as críticas se justificam, aí o que fala mais alto é a desconfiança misturada com doses de antipatia e descrédito.

A propósito:  a Folha e a Globo, para ficar apenas com este dois veículos, não deixam ninguém passar por mentiroso ou desinformado.  

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • DPVAT - RECUO DO TÓFFOLI

    O presidente do STF, Dias Tóffoli, recuou nesta quinta-feira (9) e decidiu restabelecer a redução de valores do DPVAT definida anteriormente pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), do Ministério da Economia. A resolução havia sido suspensa por liminar pelo próprio ministro em 31 de dezembro.

    Com a nova decisão, o seguro passa a custar R$ 5,21 para carros e R$ 12,25 para motos, o que corresponde a reduções de 68% e 86%, respectivamente. 

  • ENDIVIDAMENTO ALTO

    O percentual de famílias com dívidas atingiu o maior patamar da série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), iniciada em janeiro de 2010. Em dezembro de 2019, o índice aumentou 0,5 ponto ante novembro, para 65,6%, segundo a pesquisa divulgada nesta quinta-feira (9) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

    Em relação a novembro de 2018, a alta foi de 5,8 pontos. Em nota a CNC disse que, embora possa sinalizar para um excesso de endividamento, a leitura de dezembro não pode ser considerada negativa porque os níveis de inadimplência se mantiveram comportados. (Gazeta do Povo). 

FRASE DO DIA

A verdade é filha do tempo, e não da autoridade.

Galileu Galilei