Artigos Anteriores

EM LUA DE MEL

ANO XIV - Nº 007/14 -

O SIM DIANTE DAS URNAS

A maioria dos eleitores brasileiros, que já havia noivado com Dilma Rousseff no dia 3 de outubro, subiu o altar no dia 31, para dizer o SIM definitivo em frente das urnas. A emoção pela troca de alianças foi tamanha, que levou a noiva a fazer juras de amor eterno além de prometer muitas coisas que não terá condição de cumprir.

ZELADORA

Antes da primeira noite (nupcial), enquanto rolava a festa do SIM, a noiva Dilma falou à imprensa dizendo que zelará por inúmeras coisas. Deu a entender, portanto, que está mais para zeladora do que para presidente do Brasil.

NA ALEGRIA E NA TRISTEZA

Antes de partir para a Lua de Mel (ou LULA de Mel) da transição, que vai até o dia 31 de dezembro, os noivos viram suas fotos nos jornais e receberam cumprimentos de todos os lados. Nas primeiras entrevistas pós casamento, a emocionada noiva Dilma deixou o seu consorte ainda mais radiante quando disse que pretende arrumar a casa para que possam viver em felicidade. Afinal, quando os noivos disseram o SIM nas urnas, assumiram o compromisso de se manterem unidos, na alegria e na tristeza, pelos próximos quatro anos, não?

VIDA CONJUGAL

Tomando por referência o que acontece em quase todos os casamentos, depois da Lua de Mel os dois amores passam a viver uma vida conjugal, onde cada um trata de marcar seus territórios e exigir compreensões mútuas sobre suas vontades. É aí que as características individuais e as tolerâncias passam a ser testadas.

PERFIL

Dilma Rousseff, como se sabe, tem um perfil técnico e uma índole de pouca tolerância. Com estilo de mandona vai querer tudo no seu devido lugar, segundo a sua ideologia caseira. Assim, tão logo o parceiro começar a chegar tarde e exigir mordomias e privilégios, deixando roupas jogadas pelos cantos, o ambiente pode azedar.

COM TUDO

Também é sabido que Dilma vai começar o dia a dia da vida a dois com tudo. Terá uma maioria de representantes às suas ordens: à frente do Poder Executivo contará com os votos necessários em todos os Poderes: Judiciário e Legislativo (Câmara e Senado). Mais: com maioria de Governadores.

APROVEITAR A BOA CONVIVÊNCIA

Se Dilma for suficientemente esperta poderá aproveitar o período da melhor convivência para fazer as reformas que a Casa Brasil exige. Depois que os carinhos começarem a minguar, e os políticos passarem a exigir que a dama seja mais política e menos técnica, aí o casamento pode entrar em crise. Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • NA ONU
    O presidente da Bolívia, Evo Morales, sugeriu que Fidel Castro deveria ser secretário-geral da ONU pelo triunfo na recente votação para pedir o fim do embargo econômico e comercial que os EUA aplicam à Ilha há quase 50 anos. Pode?
  • ELEIÇÕES NOS EUA
    O Partido Democrata, do presidente Barack Obama, perdeu a maioria na Câmara dos Representantes, mas manteve o controle do Senado nas eleições legislativas dos EUA. Segundo resultados parciais, o Partido Republicano conquistou mais de 39 cadeiras na Câmara dos Representantes que antes estavam nas mãos dos democratas, ganhando assim o controle da Casa.
  • ITAÚ
    O Itaú Unibanco apresentou lucro líquido de R$ 3,03 bilhões entre julho e setembro deste ano, fato que representa um avanço de 33,77% em comparação com os mesmos meses do ano anterior.
  • SIMPLES
    Em seu primeiro pronunciamento como presidente eleita, Dilma Rousseff afirmou apoio aos micro e pequenos negócios, especialmente o Empreendedor Individual: garantiu que vai elevar o limite da receita bruta anual das empresas para inclusão no Simples Nacional.

FRASE DO DIA

O CASAMENTO NEM SEMPRE É O COROAMENTO DO AMOR.

N. Bonaparte