Artigos Anteriores

EM BUSCA DE SOLUÇÕES

ANO XIV - Nº 007/14 -

COLÓQUIO

Neste final de semana, um grupo restrito formado por apenas 20 pensadores-membros do PENSAR+ que se inscreveram para participar do 3º Colóquio Pensar+, se reuniu, em Flores da Cunha, na Serra Gaúcha, com o propósito de discutir e debater alguns assuntos -nacionais-.  

MERGULHO

Com muita disposição, todos os pensadores presentes, sem exceção, aguentaram firme as 13 horas em que estiveram envolvidos com o firme propósito de ouvir, analisar, avaliar e discutir -problemas e soluções- que dizem respeito aos vários temas que afligem principalmente à política e à economia do nosso cada dia mais pobre país. 

TEMAS

Temas como Objetivismo, Previdência Social, Terceirizações, Pesquisas de Opinião Pública (através de Pesquisas realizadas no Norte, Nordeste e Centro Oeste do país), Economia e -cases- impressionantes sobre os descasos que acontecem no Serviço Público, fizeram com que as sessões se tornassem muito participativas.  

PROPÓSITO DO PENSAR+

Volto a repetir que o grande propósito do PENSAR+, como já informei em editoriais anteriores, é a construção de CONTEÚDOS -sem marca ideológica- que sejam capazes de discutir, fomentar e propor instrumentos simples e pragmáticos com o intuito de levar à sociedade como um todo o conhecimento do cálculo econômico e da efetiva relação CAUSA/EFEITO das propostas e decisões tomadas pelos governantes, em todos os níveis.

SENTIDO DO PENSAR

Vale dizer que o correto Pensar só adquire sentido prático caso o produto extraído das mentes que estudam os problemas tenha como propósito a construção de estratégias inteligentes que possam se traduzir em resultados positivos. Sem esta preocupação, os pensadores fariam parte do imenso grupo de -indignados sem proposta-. 

CONHECIMENTO

É importante dizer que o grupo que esteve reunido no Colóquio saiu ainda mais convencido de que os objetivos só serão alcançados quando a sociedade brasileira, na sua maioria, for dotada de conhecimento do que é Causa e do que é Consequência. Só o discernimento é capaz de proporcionar o contínuo uso da razão.

MERCANTILISMO

É preciso entender, por exemplo, que o sistema econômico que impera no Brasil é o mais puro Mercantilismo. Isto se dá por uma simples razão: o grande cliente das empresas do país é o Governo. Quer seja pelas compras ou pelos financiamentos concedidos de forma privilegiada. Vejam o caso das empreiteiras, por exemplo, onde o único cliente é o governo; vejam também a dependência que praticamente todas as empresas tem do BNDES, em termos de financiamento. Que tal? 

Na medida do possível vou repassar aos leitores temas e propostas extraídas do Colóquio.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCANDO PARA BAIXO

    O Boletim Focus – de hoje mostra, novamente, elevação nas projeções para a inflação deste ano. De acordo com a pesquisa, o mercado agora estima IPCA em 8,97% ao final de 2015 (ante 8,79% na semana passada). A projeção para o próximo ano se manteve estável em 5,50%.

    Já a estimativa para a Selic neste ano também cresceu, passando de 14% para 14,25%. Já a taxa de juros esperada para 2016 permaneceu em 12%.

    Também houve ajuste negativo na previsão de PIB. A economia brasileira deve ter retração de 1,45% neste ano de acordo com o Focus, ante expectativa de -1,35% na semana anterior. Já para o próximo ano, é esperado que o PIB brasileiro cresça 0,70% - projeção menor do que na semana passada, quando estava em 0,90%. 

  • ATOLEIRO

    O Brasil chega ao meio do ano com a economia ainda no atoleiro e fortes sinais de mais um trimestre negativo. O desemprego alcança novos segmentos da economia, a atividade econômica continua a desacelerar e a inflação ganha velocidade. A crise, depois de ampla devastação na indústria, finalmente derrubou o emprego em serviços. Em maio, foram eliminados no setor 32.602 postos com carteira assinada, informou na sexta-feira passada o Ministério do Trabalho. Aquela manhã já havia começado com uma notícia negativa, embora nada surpreendente. De março para abril caiu mais 0,84% o índice de atividade econômica do Banco Central (IBC-Br), conhecido no mercado como a prévia do Produto Interno Bruto (PIB). O indicador ficou 3,29% abaixo do contabilizado um ano antes, na série livre de efeitos sazonais, e diminuiu 1,38% em 12 meses. (Estadão)

  • LIVRO

    Hoje, 22, ou logo mais, às 19h30m, no Auditório do Instituto Ling, em Porto Alegre, o professor e cientista político Francisco Ferraz estará lançando o seu livro: Brasil - A cultura política de uma democracia mal resolvida. Vale a pena.

  • TÁ NA MESA

    O “Tá na Mesa” desta quarta-feira (24/06) recebe o presidente da Via Varejo, Líbano Barroso. O convidado da Federasul apresentará o tema “Via Varejo e o Rio Grande do Sul”. A empresa administra as marcas Casas Bahia e Pontofrio. Atualmente conta 26 lojas Pontofrio no Estado e prepara-se para retornar ao Rio Grande com a inauguração de mais uma unidade Casas Bahia em Cachoeirinha, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
     

FRASE DO DIA

Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.

Sigmund Freud