Artigos Anteriores

ELEIÇÕES 2018: OLHO NOS LEGISLATIVOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS

Conforme determina o calendário eleitoral, desde a última sexta-feira, 20 de julho, até o dia 5 de agosto, os partidos políticos entraram na temporada de realização das CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS, cujo propósito é definir -oficialmente- os candidatos à presidente da República, a Governador, ao Senado, à Câmara dos Deputados e Assembleias Legislativas Estaduais.

BEM MAIS IMPORTANTE

Pois, ainda que esteja plenamente convencido de que pouco ou nada adianta o meu alerta, volto a insistir: - se é importante escolher em quem votar para -presidente- ou -governador-, bem mais importante ainda é saber em quem votar para senador (dois votos), deputado federal e deputado estadual. 

LOBBY DO SERVIDOR

Renovo este alerta -com vigor ainda maior -depois que li, no Estadão de ontem, 22, a esclarecedora reportagem feita pelas  jornalistas Adriana Fernandes e Idiana Tomazelli, com o título -Lobby do servidor reúne a maior bancada da Câmara-.

A íntegra da reportagem pode ser lida através deste link: (http://infograficos.estadao.com.br/politica/eleicoes/2018/os-donos-do-congresso/servidores/) .

PASMEM

Pasmem: - UM QUARTO DOS DEPUTADOS FEDERAIS É SERVIDOR PÚBLICO e atua hoje como a MAIOR FORÇA DE PRESSÃO no Congresso Nacional. Antes dispersa e focada em demandas pontuais, essa bancada se uniu e ganhou visibilidade durante a votação da REFORMA DA PREVIDÊNCIA ao reagir à ofensiva do governo, que atacava os “privilégios” do funcionalismo.

29 VOTOS A MAIS QUE A MAIORIA ABSOLUTA DA CASA

A reportagem ouviu centenas de parlamen­tares, assessores e represen­tantes dos quatro mais poderosos lobbies do parla­mento. Atualmente, esses grupos têm 286 deputados ou 29 votos a mais do que a maioria absoluta (257) da Casa.

Fortalecido, o grupo ligado aos servidores públicos, assim como os demais, trabalha para estimular candidatos que patrocinem a agenda do funcionalismo com o objetivo de manter a influência sobre o Legislativo e impedir o avanço de medidas de ajuste fiscal que são esperadas para o próximo governo e que afetarão as categorias.

FOCO NO LEGISLATIVO

Ora, se o leitor-eleitor espera que o novo governo seja REFORMISTA, dotado de vontade e capacidade e vontade para diminuir PRIVILÉGIOS, notadamente do setor público, vai precisar escolher candidatos que não venham a compor o LOBBY DOS SERVIDORES.

Atenção: o presidente que o povo eleger, por mais que se mostre interessado em fazer as reformas que o Brasil exige, só logrará êxito se o Congresso permitir. Ora, como tudo passa pelo Congresso, o eleitor vai precisar escolher bem em quem votar para o Senado, Câmara e Assembleias Legislativas. 

SERVIDORES EM CAMPANHA

Ah, não esqueçam que UM GRUPO DE SERVIDORES PÚBLICOS vai se candidatar com o propósito de formar bancadas destinadas a DEFENDER INTERESSES DO FUNCIONALISMO. O movimento, chamado de Servidores 2018, fará grande campanha na mídia visando eleger um bom número de representantes que terão como objetivo manter e/ou aumentar privilégios. Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS DE HOJE

    Eis o que revela a pesquisa Focus desta 2ª feira:

    1- a projeção para o IPCA ao final de 2018 recuou de 4,15% na semana anterior para 4,11%, enquanto a projeção para o final de 2019 continuou em 4,10%. Para 2020, as estimativas do IPCA seguiram em 4,00% e para 2021 a projeção recuou de 4,00% para 3,95%. 

    2- a estimativa para a taxa de câmbio ao final de 2018 continuou em R$ 3,70/US$, e subiu de R$ 3,68/US$ para R$ 3,70/US$ ao final de 2019. 

    3- a projeção para a taxa de crescimento do PIB de 2018 permaneceu em 1,50%, enquanto a estimativa para o ano que vem ficou estável em 2,50%. 

    4- a projeção para a taxa Selic, por sua vez, continuou em 6,50% ao final de 2018, bem como permaneceu inalterada em 8,00% ao final de 2019.

  • BRASIL DE IDEIAS

    O pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB) estará em Porto Alegre nesta quarta-feira (25), a convite da Revista VOTO, para o tradicional Brasil de Ideias, às 10h30, no hotel Sheraton. O presidenciável apresentará sua visão e planos para o futuro do país diante de empresários, formadores de opinião e líderes políticos do Rio Grande do Sul.

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina, com o título -AS DIMENSÕES DO FRACASSO EDUCACIONAL BRASILEIRO-:

    Vou dar os números rapidamente e seguir em frente para que você não desista de prosseguir na leitura. Segundo dados do PISA, divulgados nesta quinta-feira (19/07), referentes a um conjunto de 70 países, 61% dos estudantes brasileiros desistiram no decorrer da prova (foram 18% na Colômbia e 6% na Finlândia). Os estudantes brasileiros conseguiram o 65º lugar em ciências, o 63º em matemática e o 58º em leitura.

              Pronto, pronto, o pior já passou. Agora, segure essa tristeza cívica, seque as lágrimas e vamos examinar o fato em si. A imensa maioria dos pedagogos brasileiros está convencida de que isso se resolve com mais Paulo Freire, aquele autor a quem você só critica em público se estiver a fim de ouvir desaforos. Eis o motivo pelo qual, mesmo os que dele divergem silenciam em vez de denunciar os danos que já produziu à educação brasileira. Jamais use o nome desse deus em vão. Diante do lead deste texto, os fiéis seguidores do “padroeiro” da educação nacional afirmarão que o PISA é um parâmetro bom para a realidade do aluno da Finlândia, mas não “dialoga” com uma sociedade em que os jovens precisam ser “conscientizados” de sua condição oprimida e de sua necessidade de libertação. Deu para entender, ou quer que o professor barbudinho lá do quadro negro desenhe?

              Cresça e apareça, PISA! Quando a turma de vocês estiver interessada em “problematizações” que não envolvam aritmética, ou em medir a qualificação e preparação de alunos para a cidadania, venham todos ao Brasil. Antes não. Elaborem um questionário sério sobre oprimidos e opressores, machismo, feminismo, racismo, preconceito, politicamente correto, ideologia de gênero, ditadura militar e conscientização política. Aí sim, vocês ficarão conhecendo a força da educação à brasileira. Não apareçam mais aqui com raiz quadrada, regra de três, propriedades do oxigênio e compreensão de texto, que é mera submissão do leitor à intenção do autor. Raus! Get out!

              Não me digam o quanto dói o que acabei de expressar porque machuca a mim enquanto escrevo. Sei que apesar da má remuneração, da carência de meios, da pressão dos sindicatos e dos colegas que fizeram curso e concurso para militantes políticos, milhares de professores acolhem diariamente suas turmas mobilizados pela sublime intenção de educere, nos dois sentidos em que o vocábulo latino tanto diz à educação: dar vazão às potencialidades, aflorando seus talentos, e encaminhá-los para uma vida proveitosa no mundo real.

              Milhões de crianças e adolescentes brasileiros, porém, são recebidos em sala de aula como se fossem seres de quem não se pode cobrar sequer conduta civilizada, disciplina e respeito às autoridades escolares porque são mal nascidos, inferiores, incapazes de absorver qualquer conhecimento que exceda os limitados contornos do mundo em que vivem. Creio que nem na estreiteza dos países totalitários exista opressão igual.

FRASE DO DIA

Por amor ao passado, o Brasil perdeu o presente e comprometeu o futuro.

Roberto Campos