Artigos Anteriores

É PRECISO CRIAR O COPOF

ANO XIV - Nº 007/14 -

POLÍTICA CAMBIAL

A POLÍTICA CAMBIAL do Brasil, a partir do momento em que foi adotado o CÂMBIO FLUTUANTE, produziu bons efeitos graças, principalmente, à transparência quanto ao preço do real em relação às moedas internacionais, notadamente o dólar norte-americano. O resultado aí está: contas externas em ordem; reservas cambiais estão em bom nível; e déficit em transações correntes equilibrado.

POLÍTICA MONETÁRIA

Da mesma forma, a POLÍTICA MONETÁRIA, desde a criação, em 20 de junho de 1996, do COPOM - Comitê de Política Monetária, órgão que tem como objetivo determinar a -Taxa Selic-, passou a ser mais transparente e administrável no que diz respeito à realidade econômica. Tanto é verdade que às vésperas de cada uma das oito reuniões anuais do COPOM, os agentes econômicos entram em MODO -STRESS- especulando a nova Taxa Selic para o novo período.

NOTAS VELHAS E REPETIDAS

Ontem, a propósito, o COPOM, órgão pra lá de conhecido por todos os brasileiros de norte a sul do País, decidiu, pela oitava vez seguida, manter a Taxa Selic em 6,50% ao ano, menor patamar na história.

E, com a mesma desenvoltura, as entidades empresariais trataram de emitir as velhas e sempre repetidas notas dizendo, resumidamente, que -juros mais baixos estimulam a retomada da economia . Estabelecem, portanto, um clima favorável para investimentos.

TAXA SELIC É CONSEQUÊNCIA

Ora, o que a mídia e os brasileiros em geral têm muita dificuldade para entender é que a TAXA SELIC, que é definida em cada uma das oito reuniões anuais do COPOM, não é CAUSA de coisa alguma. É isto, sim, pura CONSEQUÊNCIA dos graves problemas FISCAIS que fazem do nosso empobrecido Brasil um país MUITO DOENTE e sem forças para se sustentar.

POLÍTICA FISCAL

Ora, considerando que o CÂMBIO FLUTUANTE garantiu uma POLÍTICA CAMBIAL mais confiante; e o COPOM tem desempenhado um papel no que diz respeito à POLÍTICA MONETÁRIA, é de se estranhar que o governo não tenha criado o COPOF - COMITÊ DE POLÍTICA FISCAL-., como reclamou, recentemente, o ministro Paulo Guedes.

COPOF

Agindo da mesma forma correta e focada como de resto já vem procedendo  o CÂMBIO FLUTUANTE e o COPOM, o COPOF poderia agir no sentido de estabelecer estratégias e soluções capazes de debelar as CAUSAS das graves doenças que fazem do nosso Brasil um eterno paciente da UTI.

SUGESTÃO

Sugiro às entidades empresariais, que representam a real força produtiva do nosso País, que exijam dos perdulários governantes (Executivo, Legislativo e Judiciário, principalmente), a criação do COPOF, com poderes para estabelecer uma correta POLÍTICA FISCAL para o Brasil. Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PARABÉNS, VEREADOR FELIPE CAMOZZATO!

    Foi aprovado, ontem, 20/3, por unanimidade, em sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Porto Alegre  a REVOGAÇÃO da lei que proíbe o AUTOSSERVIÇO na operação de bombas nos postos de gasolina da Capital.  

    O pedido de revogação foi apresentado pelo vereador (pensador) Felipe Camozzato (NOVO) em conjunto com outros vereadores pertencentes à Frente Parlamentar do Empreendedorismo e da Desburocratização (FREPED), presidida pelo vereador do NOVO, e pela Frente Parlamentar do Revogaço.

     Segundo Camozzato, a lei municipal nº 7.973, de 18 de março de 1997, editada antes da Lei Federal nº 9.956, de 12 de janeiro de 2000 - que igualmente proibiu essa prática comercial, em âmbito nacional -, pode oferecer dupla penalização e punições distintas. “O Governo Bolsonaro tem se mostrado aberto a estas medidas de desburocratização. A expectativa é que a lei federal seja revogada e Porto Alegre, ao se antecipar na revogação da lei municipal que proíbe a prática, estará na vanguarda da adoção desta estratégia comercial no Brasil, que viabiliza reduções no custo do combustível”, defende Camozzato.

  • PÁSCOA SUPERMERCADISTA

    As 4,6 mil lojas do setor supermercadista gaúcho já montaram suas parreiras de chocolate para a Páscoa, tradicionalmente um dos melhores períodos de vendas para o segmento no Estado. Ao todo, 8,5 milhões de ovos de chocolate deverão ser comercializados pelos supermercados gaúchos, alavancando um faturamento de R$ 84,5 milhões para o setor. Para conhecer o comportamento dos consumidores e dos supermercadistas gaúchos com relação à data, a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) encomendou um levantamento ao Instituto Segmento Pesquisas, realizado entre os dias 25 de fevereiro e 8 de março, quando foram entrevistadas 200 pessoas residentes em Porto Alegre, de ambos os sexos, com idades entre 18 a 70 anos, e de todas as faixas de renda.

    O que os consumidores mostraram ao Instituto Segmento:

    - 62% dos consumidores vão comprar os produtos de Páscoa preferencialmente em supermercados (o setor mais uma vez lidera o ranking de preferência dos consumidores). Além disso, 94% dos gaúchos não descartam a possibilidade de efetuar em supermercados as compras de Páscoa.

    - Os benefícios apontados pelos gaúchos de comprar produtos para a Páscoa em supermercados passam sobretudo pelos seguintes motivos: comodidade de comprar os chocolates junto com outros produtos (40,4%), preço mais baixo (39,4%), variedade de produtos (37,8%) e proximidade de casa/trabalho (25,5%).

    - Os gaúchos vão gastar, em média, R$ 206,00 nas compras de produtos para a Páscoa em supermercados.

    - Em relação à intenção de compra comparado com o ano passado, 32% pretendem comprar mais que 2018, metade irá comprar a mesma quantidade (49%) e apenas 19% afirmaram que irão comprar menos que o ano anterior.

    - Filhos serão os mais presenteados: 61,5% dos entrevistados afirmaram que irão presentear os filhos, seguido de marido/esposa 38,0%, pais/avós 28% e netos/bisnetos 24,5% no ranking de quem mais será presenteado na data.

    - O poder de decisão das crianças é significativo na compra de produtos de Páscoa: 45,0% dos entrevistados apontaram que elas influenciam muito/médio na decisão.

    - Compras de última hora: a maioria dos entrevistados pretende realizar as compras de Páscoa na semana que antecede a data (83,5%), sendo que, deste percentual, 34% pretendem comprar no dia da Páscoa ou na véspera.

    - Maioria irá comprar à vista: praticamente sete em cada 10 entrevistados afirmaram que vão comprar à vista (69%) e, destes, 70,3% irão pagar em dinheiro e 29,7% em cartão de débito. Dos 31% que irão comprar a prazo, o cartão de crédito se destaca para 79%, seguido do cartão do supermercado com 19,4%. Segundo Longo, a avaliação é de que os consumidores estão evitando o endividamento.

    - Procura por produtos artesanais e light: segundo os dados do Instituto Segmento, 19,5% dos gaúchos vão comprar algum chocolate diet ou light. Outros 20% dos consumidores afirmam que comprarão algum produto de Páscoa artesanal, com destaque para ovos (77,5%) e trufas (40%) entre os compradores dos produtos não industrializados.

  • FÓRUM DA LIBERDADE

    O Fórum da Liberdade 2019 está chegando! Você já fez a sua inscrição?

    O evento acontecerá nos dias 08 e 09 de abril no Centro de Eventos da PUCRS, em Porto Alegre.

    O Fórum da Liberdade é reconhecido por ser um evento que proporciona debates e discussões importantes para o desenvolvimento do país, contando com palestrantes renomados, que auxiliam na reflexão e disseminação de ideias. 

    Para esta edição já estão confirmados alguns renomados palestrantes que prometem contribuir com seus conhecimentos, promovendo um debate sobre os novos rumos do nosso país, são eles: Flávio Augusto, Gustavo Franco, Gloria Álvarez, Pedro Parente. 

    Inscreva-se com nosso cupom de desconto “pontocritico” pelo link: http://www.forumdaliberdade.com.br

FRASE DO DIA

Se a sua única chance é ser igual, então não há uma chance.

Margaret Thatcher