Artigos Anteriores

E OS ARGENTINOS PEDIRAM BIS...

ANO XIV - Nº 007/14 -

PREDILEÇÃO PELO SOCIALISMO

Mesmo considerando que os pleitos realizados na Bolívia e na Argentina, principalmente, mostraram resultados relativamente apertados, o fato é que a maioria dos eleitores passou um atestado público de apoio e/ou enorme predileção pelo SOCIALISMO. 

MAU CAMINHO

Confesso que sempre imaginei como IMPENSÁVEL alguém manifestar gosto pelo sofrimento. Entretanto,  ao escolher Alberto Fernandez e Cristina Kirchner -candidatos diretamente comprometidos com programas econômicos e sociais com viés POPULISTA/SOCIALISTA, cujos efeitos dois países latinos -Cuba e Venezuela- escancaram de forma exaustiva-, tenho dificuldade em acreditar que os argentinos queiram, NOVAMENTE,  trilhar este mau caminho.

UM SONORO LULA LIVRE

O que mais chamou a atenção é que, ao sair o resultado do pleito que deu a vitória para a DUPLA COMUNISTA, o presidente eleito -Alberto Fernandez- deu as costas para os argentinos e se virou para o lado brasileiro bradando um sonoro LULA LIVRE. Que tal? 

DIRIGIDO AO NOSSO STF

Pois, independente de Fernandez ter desrespeitado o povo brasileiro, cuja maioria elegeu Jair Bolsonaro como forma de demonstrar que não suporta mais conviver com a CORRUPÇÃO, cujo chefe-mor é, comprovadamente, o ex-presidente Lula, estou convencido de que o sonoro -LULA LIVRE-, pregado enfaticamente por Alberto Fernandez, foi dirigido aos ministros do nosso STF.

MINISTRO DA CORRUPÇÃO ARGENTINA

Vou mais adiante: pela forma carinhosa como trata o meliante brasileiro, imagino que a dupla Alberto Fernandez e Cristina Kirchner quer a soltura de Lula para convidá-lo a ocupar o cargo de MINISTRO DA CORRUPÇÃO da Argentina.  Só pode. 

CONDIÇÃO

Ora, caso seja esta a real intenção do presidente argentino, aí pouco importa o que o STF vai decidir na próxima semana. Entretanto, para garantir que esta possibilidade seja real , gostaria que a eventual e provável soltura do Lula-Meliante fosse condicionada à obrigação de se mudar para a Argentina.   

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o texto enviado pelo pensador Camilo Bórnia - DEFINITIVAMENTE, OS ARGENTINOS NÃO SE AJUDAM -:

    Macri se rendeu à máfia sindical argentina, formada por uma cambada que se reelegem indefinidamente, que administram fundos milionários e ditam os rumos do país, colocando uma faca no pescoço de quem ocupa a Casa Rosada.

    Se rendeu às corporações empresariais, que resistem abrir o país sob o falacioso manto sagrado da "proteção à indústria nacional".

    Jamais esqueço da minha última passagem pela Argentina. Havia uma faixa de desculpas no aeroporto Ezeiza pela lentidão no atendimento. Dizia a faixa: "Disculpas, estamos cambiando los sistemas informáticos. SISTEMAS hechos por ARGENTINOS".
    "Sistemas feitos por argentinos". E daí? Essa frase ilustra a mentalidade predominante no nosso vizinho, que respira um nacionalismo tacanho, que os impedem de fazer o óbvio: abertura comercial, desobstrução e desburocratização do ambiente de negócios e do mercado de trabalho, além do desmonte da ilusão do Estado de bem-estar social, que mantém pessoas na pobreza.

    É incrível que, em pleno 2019, existam pessoas que acreditam que riqueza se cria por vontade política. Ou, ainda, que tudo se resume a uma questão de distribuição, isto é, basta tirar de quem mais tem e entregar para quem não tem. E defendem isso de forma despudorada, esquecendo-se que isso é uma perversão moral, pois nada mais é do que subtrair algo do seu dono sem o seu consentimento.

    Esmagado pela predominante lógica argentina, Macri se rendeu à mesma agenda populista peronista e administrou os mesmos fracassados remédios: controle cambial, congelamento de preços e aumento de impostos. E num mix de ignorância, burrice e mau-caratismo, há quem diga que o liberalismo falhou no país vizinho. Santa paciência.

  • RESUMO DA PROPOSTA DE REFORMA TRIBUTÁRIA

    Eis aí um  resumo didático da proposta de Reforma Tributária, elaborada pelo pensador Paulo Rabello de Castro, com a colaboração fundamental e expressiva de Miguel Silva. A proposta aglutinadora é a única que atende aos princípios justificáveis de uma reforma: simplificação, desoneração e competição.

    https://www.atlantico.org.br/wp-content/uploads/2019/10/REFORMA-TRIBUT%C3%81RIA-V4.0-24-10-19-5.pdf

FRASE DO DIA

Por que cometer erros antigos se há tantos erros novos a escolher?

Bernard Russell