Artigos Anteriores

É JUSTO O DIREITO ADQUIRIDO PARA O PRIVILÉGIO?

ANO XIV - Nº 007/14 -

DUAS CLASSES

Não foram poucas as vezes em que o Ponto Crítico, a maioria delas corretamente assessorado pelo professor e Pensador (membro do grupo PENSAR!), Ricardo Bergamini, levou ao conhecimento de seus leitores/assinantes a grave e injusta situação da Previdência Social do país, a qual, lamentavelmente, é dividida em duas CLASSES: 1- a 1ª CLASSE, que abriga 01 MILHÃO de Servidores Públicos da União, aproximadamente, e que provoca um ROMBO superior a 50 BILHÕES/ANO; e,2- a 2ª CLASSE, (ou INSS), que atende um universo 27 vezes maior, ou seja, em torno de 27 MILHÕES DE PESSOAS, cujo ROMBO ANUAL fica em torno de 45 BILHÕES.

REPETITIVO

Pois, mesmo admitindo que estou sendo muito repetitivo com este assunto, diante de inúmeras mensagens que recebo, diariamente, sobre o sério tema, percebi que ainda não fui suficiente claro. Explico: não esclareci que o ROMBO brutal, promovido por ambas as CLASSES DE APOSENTADOS, que totalizam mais de R$ 100 BILHÕES ANUAIS, atinge somente as contas da União. Isto significa que os ROMBOS nas contas de vários Estados e Municípios não estão contemplados.

ADORADOR DE TRAGÉDIAS

O complicado e atrasado RS, por exemplo, que, de forma eufórica e ufana dá demonstrações diárias, ao mundo todo, do quanto o povo gaúcho é um fantástico ADORADOR DE TRAGÉDIAS, só em 2012 a PREVIDÊNCIA ESTADUAL (funcionários públicos) promoveu um rombo de R$ 6 BILHÕES nas contas do Estado. Que tal?

CAPACIDADE DE DISCERNIMENTO

O grupo -PENSAR!- , volto a afirmar, foi concebido para, através da produção de conteúdos técnicos, levar o máximo possível de esclarecimentos à nossa sociedade. Só que há um grave obstáculo nesta tentativa: pouquíssimos brasileiros têm capacidade de discernimento (só 20% do nosso povo consegue entender e compreender aquilo que lê, segundo revela uma recente pesquisa).

CAPACIDADE PENSANTE DOS LEITORES

Portanto, diante desta triste realidade, o que resta a ser feito é aproveitar a capacidade pensante dos leitores do Ponto Crítico. A partir daí, quem sabe, com a paciência que os mesmos possam ter, consigam expor nos seus círculos de relacionamento, o seguinte raciocínio:

EXEMPLO DE PREVIDÊNCIA

Imagine, por exemplo, um grupo de pessoas que se dispõem a trabalhar por 30 anos. E, durante este período, todos destinam 10% da renda mensal obtida para uma Previdência qualquer. Ora, admitindo que o ganho médio de cada membro do grupo é 10 mil reais/ano, a contribuição individual será de 1000 reais/ano. Ou seja, uma poupança de 30 mil reais ao final do período de 30 anos. (juro zero).

TÁBUA ATUARIAL

Usando a tábua atuarial, que tecnicamente define que os brasileiros estão vivendo, em media, até 75 anos, caso todos comecem a receber os proventos a partir dos 60 anos, cada um terá 15 anos (em média) para gastar a poupança previdenciária, de 30 mil reais. Ou seja, 2000 reais/ano. Caso algum membro entenda que o valor é baixo, de antemão precisa saber que a única solução para o problema é poupar mais, ou contribuir com valor maior. Simples assim.Agora, o drama: como as pessoas estão vivendo mais, se a tábua atuarial informar que o tal grupo é formado por pessoas que estão vivendo, em média, até os 80 anos, se nada for feito vai faltar dinheiro para os últimos cinco anos. Se não houver novas contribuições individuais, a solução será: 1- diminuir o provento mensal; e/ou, 2- aumentar o tempo de contribuição. Não há milagre, gente.Como a palavra mais usada nos últimos tempos no Brasil é AUTOSSUSTENTABILIDADE, não seria o caso dos governos voltarem os olhos para a Previdência? Começando pelo fim dos privilégios. Afinal, nada mais injusto neste mundo do que manter um DIREITO ADQUIRIDO para PRIVILÉGIOS. Aí, além de estúpido é crime.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • INFLAÇÃO
    O IBGE divulgou na manhã de hoje que a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) ficou em 0,88% em janeiro, após alta de 0,69% em dezembro. O acumulado do índice nos últimos 12 meses ficou em 6,02%. Enquanto PIB decresce, a inflação cresce. Que tal?
  • BATEU O PAVOR
    A luz amarela sobre o endividamento da Petrobrás foi acesa dentro da empresa, jogando mais pressão por um aumento de combustíveis antes da divulgação dos resultados do quarto trimestre.
  • RISCO ALTO
    Segundo fontes da Petrobrás, a estatal ultrapassou a barreira que é usada como referência por agências de classificação de risco - nível de alavancagem de 2,5 vezes a relação entre dívida líquida sobre a geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização).A partir do patamar de 2,5 vezes, a petroleira passa a conviver com o risco de ter sua nota rebaixada pelas agências internacionais, o que deixaria empréstimos mais caros, forçaria a venda de ações e limitaria a capacidade de investimento, com reflexos negativos para toda a cadeia de fornecedores. (Exame)
  • MATERIAL ESCOLAR
    Os supermercados do RS mais uma vez deverão superar as papelarias, livrarias e lojas de bazar como local preferido de compras de material escolar neste período de volta às aulas. A projeção da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) é de crescimento de 9% nas vendas do setor, na comparação com a volta às aulas do ano passado.

FRASE DO DIA

Uma pessoa para compreender tem de se transformar.

Antoine De Saint Exupéry