Artigos Anteriores

É HORA DE REFUNDAR O BRASIL

ANO XIV - Nº 007/14 -

VÍDEOS

Ontem, assim como muitos brasileiros certamente também fizeram, dediquei algumas horas do dia para assistir, com o máximo de atenção, alguns dos tantos vídeos que foram liberados pela Justiça, frutos de fartos depoimentos e/ou delações feitas por dirigentes da Odebrecht implicados na Operação Lava-Jato.

INOCENTES E SURPRESOS

Pois, ao mesmo tempo em que ouvia, com muita atenção, os depoimentos prestados pelos delatadores, percebia que boa parte daqueles que aparecem na -Lista de Janot- se diziam, de forma unânime, que além de  INOCENTES estavam SURPRESOS com o fato de virem a ser INVESTIGADOS por eventuais envolvimentos com corrupção.  

EQUÍVOCO

Ora, como não são apenas alguns, mas todos, que se dizem INOCENTES e SURPRESOS, tudo leva a crer que o ministro Fachin cometeu um grave erro: ao invés de liberar a LISTA DOS SUSPEITOS, o ministro liberou, equivocadamente, a LISTA DOS INOCENTES. Só pode.

ANSIEDADE

Como estou por demais interessado em saber quais políticos cometeram crimes de corrupção, o que mais espero, com enorme ansiedade, é uma rápida reparação da Justiça. Ou seja, exijo, imediatamente, a liberação da LISTA CORRETA, onde constam os verdadeiros SUSPEITOS que deverão ser investigados.

SÓ NO LONGO PRAZO

Entretanto, partindo do pressuposto que os delatores falaram a verdade, o que se pode projetar para o nosso pobre país no curto e médio prazos não é nada promissor. A digestão destas graves exposições não será uma tarefa fácil, diante da fragilidade e forte contaminação do organismo institucional. Ainda assim, para que algo de bom aconteça no longo prazo, urge que boas e precisas decisões sejam tomadas. O que é pouco provável, face ao que existe no quadro político atual.

REFUNDAÇÃO

Mais do que nunca, o que o Brasil mais precisa neste grave momento, é que desta vez prevaleça, exclusivamente, a lógica do raciocínio, e não a lógica do emocional. Se a maioria dos brasileiros estiver disposta, esta é a hora precisa para tratar da REFUNDAÇÃO do Brasil. Pode levar algum tempo, mas se bem feito pode mudar, de forma grandiosa, o nosso destino.  

MANIFESTO À NAÇÃO

Falo, categoricamente, em NOVA CONSTITUIÇÃO, gente. Aliás, pelo que li recentemente na coluna de opinião do Estadão, foi lançado um Manifesto à Nação - que impõe a mobilização da sociedade por uma Constituinte originária e independente, assinado por Modesto Carvalhosa, Flávio Bierrenbach e José Carlos Dias. 

OBSTÁCULO PERVERSO

A Constituição de 1988, como bem  informa o artigo, transformou a burocracia num obstáculo perverso ao exercício da cidadania. Ela é fruto de um momento histórico bastante peculiar, o fim de um regime de exceção, que não corresponde mais à realidade do Brasil; representa um conjunto de interesses e modelos que já em 1988 estavam em franca deterioração no mundo civilizado. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • SERVIÇOS

    A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) mostrou que o faturamento real do setor avançou 0,7% em fevereiro na comparação mensal dessazonalizada. Assim como observado ontem na divulgação da Pesquisa do Comércio, o IBGE também realizou uma revisão nos dados da PMS de janeiro, com a justificativa de que tal alteração se mostrou necessária após o conhecimento dos dados de fevereiro, levando a uma mudança nos pesos amostrais. Após esse recálculo, o resultado de janeiro passou de -2,2% para +0,2% na comparação mensal dessazonalizada, e, com isso, a série esboça trajetória de gradual recuperação. 

  • COPOM

    Ontem, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a taxa Selic em 100 pontos base (p.b.), de 12,25% para 11,25%. Na avaliação do Banco Central (BC), o processo de desinflação segue difundido e consolidado, indicando que o comportamento da inflação “permanece favorável”.

FRASE DO DIA

Brasil e Argentina parecem dois bêbados cambaleantes a cabecear nos postes. Só que, enquanto a Argentina parece estar a caminho da economia de mercado, o Brasil parece estar de volta ao bar.

Roberto Campos