Artigos Anteriores

DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO

ANO XIV - Nº 007/14 -

NOS TRILHOS

Nesta madrugada, depois de muitas discussões, o governo Temer obteve AUTORIZAÇÃO para instalar FREIOS na despesa pública federal. Com isto, a partir de agora a até então desgovernada máquina governamental passa a contar com uma ferramenta que propõe o conserto dos trilhos da economia brasileira, visando crescimento mais a frente.   

CONSERTAR PNEUS

Por mais que os pagadores de impostos devam ficar felizes com esta primeira iniciativa do governo Temer, que resultou na aprovação/compreensão da maioria dos congressistas, devo lembrar que ao passar neste primeiro teste, não torna o Brasil apto para ganhar a estrada. Conquistamos, apenas, o direito de consertar as rodas/pneus.   

PATINAR

Volto a esclarecer que a economia brasileira só terá condições de crescer, de forma realmente sustentável e saudável, depois que as pesadas caçambas e/ou vagões governamentais forem esvaziadas. Caso contrário o carro Brasil apenas vai patinar, sem conseguir sair do lugar. 

PREVIDÊNCIA SOCIAL

Mais: é preciso estancar a sangria da PREVIDÊNCIA SOCIAL, cujo ROMBO se destaca como o maior de todos que abalam as combalidas CONTAS PÚBLICAS. Sem esta providência, além de dar continuidade à maior INJUSTIÇA SOCIAL, o país permanecerá sem forças para produzir. 

DIAGNÓSTICO PARCIAL

A rigor, quando o governo Temer anunciou a previsão do ROMBO PRIMÁRIO para 2016, no valor de R$ 170,5 bilhões, o que aconteceu foi a divulgação de um DIAGNÓSTICO PARCIAL da péssima situação em que se encontram as finanças do nosso país. 

DIAGNÓSTICO TOTAL

O DIAGNÓSTICO TOTAL E CORRETO deveria contemplar o ROMBO NOMINAL, ou seja, a soma dos R$ 170 bilhões divulgados pelo governo com o valor dos juros da dívida, na ordem de R$ 500 bilhões para o ano de 2016, totalizando uma perspectiva de DÉFICIT FISCAL de R$ 670 bilhões para o corrente ano. 

PROGNÓSTICO

Com o DIAGNÓSTICO nas mãos, o novo governo precisa se concentrar no PROGNÓSTICO, com informações sobre as possibilidades terapêuticas que devem ser adotadas e empregadas para que o Brasil venha a ser um país saudável e curado. Ou seja, o povo quer que o governo emita, diariamente, Boletins Médicos com explicações sobre o comportamento das contas públicas. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • SÓ O CAOS INTERESSA

    O PT, da mesma forma como se colocou contra o Plano Real, tem se colocado contra as medidas contra a CORRUPÇÃO e DIMINUIÇÃO DOS GASTOS PÚBLICOS. Uma prova ainda maior de que só o CAOS INTERESSA AOS PETISTAS E ASSEMELHADOS. Pode?

  • ESTUPIDEZ SEM LIMITE

    Olhem essa: O Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi) vai ingressar com uma ação na Vara Cível contra a empresa norte-americana Uber, visando suspender o sinal do aplicativo nas empresas de telefonia celular móvel. Pode? Pois é, gente. Porto Alegre é assim....

  • REFORMA PELA METADE

    Eis o artigo escrito pelo pensador Darcy Francisco dos Santos, com o título -REFORMA DA PREVIDÊNCIA PELA METADE-:

    A reforma da previdência no caso do INSS é uma necessidade, não só para resolver o atual déficit, como para desarmar a enorme bomba que está por explodir em pouco tempo. No próximo ano, a diferença entre as contribuições previdenciárias e os benefícios será negativa em torno de R$ 170 bilhões.

    Mesmo que a economia volte a crescer, continuarão os efeitos da demografia. Se hoje há 10% de pessoas com mais de 60 anos, em 2030 teremos 19% e em 2050, 29%. Hoje há menos de sete pessoas na idade considerada produtiva (15-64 anos) para uma com 65 anos ou mais, em 2030 serão quatro e em 2050, menos de três.

    Mas há outra reforma tão ou mais necessária que a do Regime Geral, que vem tendo pouca ou nenhuma ênfase, que é a do regime próprio dos servidores públicos (RPPS), que em nível federal o déficit supera R$ 70 bilhões. O dispêndio desse regime, embora não tenha crescimento explosivo, contempla enormes privilégios.

    Embora as reformas de 1998 e 2003 tenham feito modificações importantes no regime dos servidores públicos, não trataram adequadamente das idades mínimas. No RS, por exemplo, a metade dos servidores se aposenta com idade mínima de 50 anos e uma quarta parte não tem limite mínimo. Mais da metade se aposenta com 25 anos de contribuição, tendo de expectativa mais 35 anos de sobrevida, em média. E mesmo as modificações que já ocorreram, como o fim da aposentadoria integral, só se concretizarão nos anos 2030.

    As pensões também contêm enormes injustiças. Se fossem adotados os critérios da Finlândia, 85% delas não seriam concedidas. As modificações que ocorreram recentemente não contemplam a função pública.

    A previdência constitui o maior problema dos Estados. Metade deles despende mais de 20% da receita líquida com previdência, percentual esse que atinge 32% no Estado do RS.

    Por tudo isso, a reforma necessária deve contemplar os dois regimes, o Geral e o RPPS, em todos os níveis de governo. Fora disso é reforma pela metade.

FRASE DO DIA

Por amor ao passado o Brasil perdeu o presente, e comprometeu o futuro.

Roberto Campos