Artigos Anteriores

DESINFORMAÇÃO JORNALÍSTICA

ANO XIV - Nº 007/14 -

PÉSSIMO EDITORIAL

O editorial de hoje de Zero Hora, tido como o jornal preferido dos gaúchos, deixa bem claro o quanto os meios de comunicação do RS têm sido pródigos no ato de desinformar e/ou provocar enorme confusão na cabeça dos leitores, ouvintes e telespectadores.

CORRIGIR OS ERROS

Uma vez que o universo das pessoas que acreditam piamente naquilo que lêem, ouvem ou vêem na mídia é enorme, a consequência disto acaba sendo crucial para o esclarecimento correto dos acontecimentos. Assim como das medidas que precisam ser tomadas para corrigir os erros.

ABSURDO INFORMATIVO

Pois, de forma pra lá de lamentável, com o título ? Pequeno Avanço -, o péssimo jornal informa o seguinte: o rombo de R$ 36,5 bilhões que a Previdência Social apresentou em 2011, embora elevado, mostra que o país começou a fazer a lição de casa. Como assim? Isto é uma grande fraude, gente. Um absurdo informativo.

INFORMADOS A TEMPO

Mesmo que o número de leitores do Ponto Crítico seja grande, ainda assim é menor do que os leitores de ZH. Portanto, aqueles que lêem os dois periódicos precisam ser informados a tempo de não aceitarem como verdade o que consta no editorial do jornal da RBS, publicado hoje.

DOIS REGIMES

Em primeiro lugar é preciso, pela enésima vez, deixar bem claro que a Previdência Social, no Brasil, é composta pelo Regime Geral da Previdência (INSS) e pelo Regime geral dos Servidores Públicos da União. Fora destas existem as Previdências dos Funcionários Públicos Estaduais, sendo que no RS, por falta de um fundo previdenciário, quem suporta a conta desses aposentados é o Tesouro do Estado, lamentavelmente.

O ROMBO AVANÇOU

Desta forma, só na esfera federal o ROMBO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DO BRASIL, em 2011, foi de R$ 92,5 BILHÕES. Este valor é obtido pela soma dos rombos dos dois Regimes: o dos aposentados pelo INSS, cujo déficit foi de R$ 36,5 bilhões (atendendo 27 milhões de aposentados), mais o dos Servidores Públicos Federais, cujo rombo foi de R$ 56 BILHÕES (atendendo 1 milhão de privilegiados). Esta, gostem ou não, é a verdade nua crua e incontestável, gente.

AVANÇO NO ROMBO

Por aí não há como aceitar o que diz o Editorial de ZH. Além de mentiroso, pelo público que atinge acaba levando muita gente a acreditar que houve avanço só porque o rombo do INSS diminuiu em relação ao ano anterior. O jornal, entretanto, omite, não se sabe porque, que o rombo da Previdência dos Servidores da União não só é um escândalo como aumentou, em 2011, de forma brutal. Aí sim houve AVANÇO. Avanço no rombo, como se vê.O lamentável é que, ao não pregar por uma necessária e urgente reforma da Previdência, o jornal mostra preocupação quanto à Lei Geral da Copa. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ACELERANDO
    O IGP-M registrou, no segundo decêndio de janeiro, variação de 0,22%. Em dezembro, no mesmo período de apuração, a taxa foi de -0,07%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem do segundo decêndio de dezembro para o segundo decêndio de janeiro: IPA, de -0,38% para -0,04%; IPC, de 0,59% para 0,81% e INCC, de 0,43% para 0,60%.
  • SELIC
    O Banco Central, ou COPOM, confirmou as apostas do mercado financeiro e reduziu a taxa básica de juros de 11% para 10,5% ao ano. Desta vez foi por unanimidade.
  • VIA MERCADO
    Porque o governo não aceita que o mercado diga quanto quer receber de remuneração pelos títulos públicos? O que impede que a taxa de juros seja feita por leilões de títulos?
  • DESCONFIADOS
    As famílias gaúchas iniciam o ano de 2012 com ligeira queda na confiança e perspectiva de consumo. É o que mostram os resultados de janeiro do ICF-RS (Intenção de Consumo das Famílias gaúchas), que marcou 113,8 pontos, resultado abaixo de dezembro de 2011 (114,4 pontos) e ainda com queda significativa na comparação com janeiro passado (134,6 pontos).

FRASE DO DIA

Jamais haverá ano novo se continuarmos a copiar os erros dos anos velhos.

Luís Vaz de Camões