Artigos Anteriores

CRIME HEDIONDO

ANO XIV - Nº 007/14 -

ROMBOS

Enquanto o Brasil segue amargando indisfarçáveis e preocupantes ROMBOS NAS CONTAS PÚBLICAS, que tem como MAIOR responsável a FOLHA DE SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS , notadamente os APOSENTADOS (que integram a PRIMEIRA CLASSE DE BRASILEIROS), a maioria dos nossos deputados e senadores simplesmente dão as costas para a REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

AUMENTO DE SALÁRIO

Entretanto, quando entra em pauta um projeto que propõe um AUMENTO DE SALÁRIO para os já apaniguados funcionários públicos, que atinge com a mesma intensidade tanto ATIVOS quanto INATIVOS, aí não há protelamento algum. Mais: a aprovação é certa, mesmo que alguns votem contra.

16,38%

Ontem, como se viu, esta lógica nojenta e criminosa se mostrou mais uma vez presente no triste ambiente do Senado, que tem como predileção o aumento de ROMBOS NAS CONTAS PÚBLICAS: por 41 votos favoráveis e 16 contra, os senadores aprovaram um estúpido aumento de 16,38% dos SUBSÍDIOS MENSAIS dos ministros do STF e do titular da PGR. Isto significa que ao invés de continuar recebendo os minguados  salários de R$ 33,7 mil, vão passar a receber R$ 39,2 mil mensais. Que tal?

EFEITO CASCATA

Como manda o figurino combinado no ambiente  SETOR PÚBLICO, o efeito cascata deste brutal e nojento projeto aprovado ontem, vai produzir um AUMENTO DE DESPESAS DE PESSOAL, só nas CONTAS DA UNIÃO, em mais de 4 bilhões de reais/ano.

SITUAÇÃO DE PENÚRIA

Se esta aprovação de AUMENTO DO ROMBO DAS CONTAS PÚBLICAS já provocou um enorme sentimento de indignação, a revolta ficou ainda maior para quem ouviu as declarações do péssimo ministro Lewandowski: primeiro, disse que a elevação de 16,38% é um reajuste modestíssimo; segundo, afirmou que o aumento chega num bom momento, pois, segundo ele, os juízes aposentados e pensionistas estavam “em situação de penúria”.

CLIMA

Volto a afirmar, pela enésima vez: esta lamentável cultura de AUMENTO DE DESPESAS PÚBLICAS, notadamente de PESSOAL, que eleva 1- a CARGA TRIBUTÁRIA; e 2- a DÍVIDA PÚBLICA, tem sido crucial para o nosso País e, da mesma forma, para os Estados e Munícipios.

Vejam que os deputados e senadores que aprovaram o aumento de salários dos ministro do STF são os mesmos que não veem clima para aprovar a REFORMA DA PREVIDÊNCIA. Ou seja, aumentar despesas é urgente; uma possível contenção de gastos depende de clima. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • A ABERRAÇÃO DA ORGIA DE GASTOS COM PESSOAL NO BRASIL

    - Em 2002 os gastos com pessoal -consolidado- (união, estados e municípios) foi de 13,35% do PIB, representando 41,64% da carga tributária que era de 32,06%.

    - Em 2017 foi de 15,90% do PIB. Crescimento real em relação ao PIB de 19,10% representando 49,20% da carga tributária de 2016 que foi de 32,38%.

    Em relação à carga tributária o crescimento foi de 18,16%. Para que se avalie a variação criminosa dos gastos reais com pessoal, cabe lembrar que nesse mesmo período houve um crescimento real do PIB Corrente de 36,10%, gerando um ganho real acima da inflação de 43,00% nesse período. Nenhuma nação do planeta conseguiria bancar tamanha orgia pública.

    Um grupo de trabalhadores de PRIMEIRA CLASSE (servidores públicos) composto por 13,4 milhões de brasileiros (ativos, inativos, civis e militares) que representam apenas 6,44% da população brasileira, sendo 2,2 milhões federais, 4,7 milhões estaduais e 6,5 milhões de municipais gastaram em 2017 o correspondente a 15,90% do PIB. Pois, esse percentual representou 49,20% da carga tributária que foi de 32,38% do PIB em 2016. (Ricardo Bergamini)

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo bem explicativo produzido pelo economista e pensador Darcy Francisco Carvalho dos Santos, com o título - ESTADO DO RS, ESTE DESCONHECIDO - : 

    Para entender as finanças estaduais basta fazer uma continha simples, assim: Da cada 100 arrecadados, 50 é gasto automaticamente ou tem destinação específica. As demais despesas correspondem a 65, restando, portanto, 15 a descoberto. Só que para gerar esses 15 necessita aumentar em mais de 25. E isso não ocorre de uma hora para outra. Precisa de um longo período de aumento de receita e de contenção de despesa.

    Essa situação estava melhorando, mas retrocedeu a partir de 2011, quando, a folha de pessoal dobrou de valor, ao passar de R$ 13,4 bilhões para 27,1 bilhões em 2017, sendo 123% por conta dos gastos previdenciários, quando a inflação foi de 54%. Desse aumento, parcela de R$ 5,5 bilhões ocorreu no governo atual, sem que decorresse de decisão sua.
    Nem o reajuste das alíquotas de ICMS (R$ 2,3 bilhões) e a suspensão do pagamento da dívida (R$ 4 bilhões) foram suficientes para evitar o atraso da folha do pessoal do Poder Executivo, que também não recebeu reajustes salariais, exceto os que foram concedidos no governo anterior.
    Agora está na Assembleia o pleito de reajuste dos demais Poderes, os únicos que vem sendo compensados pela inflação passada e recebem os pagamentos em dia. É verdade que, embora eles recebam as maiores remunerações, não foram os responsáveis por esse crescimento exagerado da folha acima citado.
    Seria justo atender esse pleito, se, no mínimo, o Estado estivesse conseguindo pagar em dia os demais servidores. Mas não é isso que está acontecendo. Além disso, há outro pleito para o reajuste automático dos membros de Poderes.
    Tudo isso seria defensável, numa situação de equilíbrio orçamentário, em que os orçamentos fossem elaborados respeitando as necessidades de todos os Poderes e que o repasse dos recursos financeiros obedecesse ao ingresso efetivo dos recursos e não uma previsão orçamentária que não se realiza.

    Enquanto não nos apercebemos de tudo disso, continuaremos em crise. Precisamos acima de tudo entender melhor o Estado que, para a maioria das pessoas e dos que exercem uma função pública, é um grande desconhecido. 

  • BOULEVARD ASSIS BRASIL

    O Boulevard Assis Brasil conta agora com mais uma opção de gastronomia, a CiAO Pizzeria Napoletana, que chega à Zona Norte de Porto Alegre. Esta é a sexta unidade da marca, pioneira no Sul do Brasil em pizzas napoletanas, conceito marcado pela simplicidade das receitas e valorização dos ingredientes. A nova loja está situada próxima à Praça de Alimentação, junto à área externa de convivência do Boulevard Assis Brasil. No local, o cliente pode comprar sua pizza e consumir ao ar livre, se desejar, bem ao estilo das pizzerias napoletanas.

  • MEET & GREET

    Vinte clientes do Bourbon Country terão a oportunidade de conhecer pessoalmente a übermodel Gisele Bündchen no próximo domingo (11), em um Meet & Greet exclusivo promovido pelo shopping através de seu perfil no Instagram, quando a gaúcha faz o lançamento de sua biografia na Livraria Cultura. Para concorrer a uma das vagas, basta seguir o shopping na rede social e publicar até o dia 9 de novembro, uma foto capturada no Bourbon Country acompanhada da hashtag oficial da campanha #BourbonAprendizadosGisele.

    Os candidatos serão avaliados pela forma como exploraram o tema “Meu shopping favorito Bourbon Country”, em critérios como originalidade, criatividade e design da foto. Além de participar do Meet & Greet com a modelo, os vencedores também receberão um exemplar do livro da modelo, "Aprendizados: Minha Caminhada Para Uma Vida Com Mais Significado". O evento acontece a partir das 16h.

FRASE DO DIA

Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele.

Henry Ford