Artigos Anteriores

CRÉDITO IMOBILIÁRIO

ANO XIV - Nº 007/14 -

FEIRÃO DE IMÓVEIS

A Caixa Econômica Federal, que de forma costumeira promove Feirões de Imóveis pelo Brasil afora, realizou um desses mega-eventos num recente final de semana de maio, em Porto Alegre.

ATITUDE DA CAIXA

Sem ter nada para fazer resolvi conferir algumas coisas: 1- o que estava sendo colocado à venda; 2- os preços praticados; e, 3- qual a atitude da Caixa quanto ao financiamento dos imóveis ofertados.

OPORTUNIDADE DE COMPRA

Pois, pela forma com que os corretores oferecem os mais diferentes imóveis, dizendo aos potenciais compradores que precisam se decidir rapidamente para não perder a oportunidade de compra, aí o que mais funciona é o impulso.

COMPRA POR IMPULSO

Comprar um imóvel por impulso, mais do que sabido, já é uma temeridade. Mas, o pior de tudo vem a seguir: engana-se quem imagina que a Caixa Econômica estava lá para avaliar a condição financeira e econômica dos eventuais compradores.

CRÉDITO ÀS CEGAS

A ordem, pasmem, era dar crédito a todos que foram até o local do evento. Para os funcionários da Caixa, pouco ou nada importava se havia interesse na compra de algum imóvel. Bastava encostar a barriga no balcão da Caixa para sair dali com crédito aprovado. Pode?

OLHANDO O FUTURO

Depois dessa, como já havia obtido as respostas que precisava, resolvi cair fora do local do evento. Antes, porém, ainda dei uma olhada rápida em direção ao futuro, tipo uns dois anos à frente, na tentativa de enxergar o resultado da minha visita ao Feirão.

DEVOLUÇÃO EM MASSA

Foi quando vi esses inúmeros compradores querendo devolver seus imóveis adquiridos por impulso. Como a fila que estava ao alcance dos meus olhos imaginários estava longa, me deu a entender que outros tantos estavam ali querendo renegociar suas dívidas para o dia de São Nunca. E a Caixa-Mãe concordava com tudo.... Pode?

BOLHA IMOBILIÁRIA

Como se vê, o Brasil também está construindo a sua Bolha Imobiliária. A diferença em relação às demais é que o nosso sistema financeiro como um todo, diferente do que aconteceu nos EUA e na Europa, não será afetado. Aqui, quem vai se transformar numa enorme imobiliária será a Caixa Econômica Federal, que passará a ter a maior carteira de casas e apartamentos do mundo.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • CASA COR RS
    Começa hoje, 7, a 22ª edição da Casa Cor Rio Grande do Sul, com patrocínio da PPG, multinacional detentora da marca Tintas Renner. Com o tema Um olhar muda tudo, a exposição estará aberta a visitações até o dia 1º de agosto, na Alameda Alceu Wamosy, 91, esquina com a Av. Carlos Gomes, em Porto Alegre. O horário de funcionamento é das 15h às 21h, de terça a quinta-feira; e das 12h às 21h, de sexta-feira a domingo e nos feriados. A entrada custa R$ 30. Estudantes e idosos pagam R$ 15.
  • TESTE PARA COPA
    A Prefeitura Municipal de Porto Alegre está preparando uma operação conjunta para o jogo amistoso entre as seleções de Brasil e França, que acontece no próximo domingo, 9, na Arena do Grêmio. O planejamento envolve Mobilidade Urbana, Segurança, Saúde e Fiscalização já que o evento é considerado o primeiro teste da Capital para a Copa do Mundo de 2014.
  • MANIFESTO
    Durante reunião-almoço, promovida pela Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap), ontem, 6, foi lançado o Manifesto pela Liberdade de Imprensa. Os publicitários registraram as ameaças à liberdade de imprensa, que surgem devido a projetos legislativos e governamentais, e destacaram a liberdade como um fator inegociável, na medida em que é essencial a defesa da cidadania e da democracia.
  • IPCA
    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,37% em maio, após alta de 0,55% em abril, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em igual mês do ano passado, o índice avançou 0,36%. Com o resultado de maio, o indicador acumulou alta de 2,88% no ano e de 6,50% em 12 meses. Nos 12 meses encerrados em abril, a inflação tinha ficado em 6,49%. No ano passado, no acumulado até maio, a inflação tinha alta de 2,24% e, em 12 meses, alta de 4,99%.
  • NEGATIVA
    A agência de classificação de risco Standard & Poor?s revisou para ?negativa? a perspectiva da nota de longo prazo ?BBB/A-2?, em moeda estrangeira, atribuída ao Brasil. A mudança indica a possibilidade de rebaixamento da nota no futuro. A perspectiva anterior era ?estável?. Segundo a agência, o lento crescimento do PIB e a política fiscal expansionista enfraquecem o perfil financeiro do país e podem, se não corrigidos, resultar em um aumento do endividamento do governo local.

FRASE DO DIA

O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a ser salvos pela crítica.

Norman Vincent