Artigos Anteriores

CONSELHOS DE GESTÃO FISCAL

ANO XIV - Nº 007/14 -

VERDADES

Começo este editorial com duas VERDADES ABSOLUTAS

1ª VERDADE - O número de manifestantes que saíram às ruas ontem, em todo o país, pedindo o -FORA DILMA! e -FORA PT!- foi menor do que em 15 de março. 

2ª VERDADE - O sentimento, tanto de quem foi às ruas quanto daqueles que preferiram não se manifestar publicamente, continua sendo o mesmo, qual seja de grande revolta e indignação com o péssimo governo DILMA e com o seu corrupto PT. 

DESMONTE

Pois, partindo desses dois FATOS, INCONSTESTÁVEIS, o que mais o Brasil precisa, sem prejuízo das manifestações que deverão continuar, tanto nas ruas, mas principalmente nas redes sociais, é propor soluções para a RECONSTRUÇÃO do país, totalmente DESMONTADO pelo governo Dilma-Petista-Neocomunista. 

CONSERTAR O PAÍS

Como bem diz o economista e pensador (Pensar+) Paulo Rabello de Castro, tanto na entrevista que concedeu  revista Veja (Páginas Amarelas) desta semana, quanto, pessoalmente, na reunião-almoço com o Pensar+ no último sábado, 11, em Porto Alegre, é preciso aproveitar essa onda de insatisfação para consertar o nosso pobre país, onde:

1- a carga tributária corre célere em busca de uma participação de 50% do PIB; e,

2- a centralização é tamanha, que a  participação estatal já está perto de 50% do PIB. 

EFICIÊNCIA

Como o Pensar+, através do uso da RAZÃO, tem compromisso com a SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS, seus integrantes estão prontos para expor argumentos capazes para nos levar a uma grande virada, com medidas que resultem em ganho permanente para o povo brasileiro.

É preciso, portanto, a partir do pensamento crítico (diagnósticos) enveredar para o necessário e consciente pensamento propositivo. Para dar início ao processo, a PROPOSTA INICIAL é dotar o setor público de uma forte EFICIÊNCIA.   

CONSELHO DE GESTÃO FISCAL

A sugestão proposta por Rabello, referendada também pelo Pensar+,  é lutar, imediatamente, pela instituição de um CONSELHO DE GESTÃO FISCAL, com o propósito de revisitar e analisar as DESPESAS SOB O PONTO DE VISTA DA EFICIÊNCIA. Seria um órgão de recomendação com caráter técnico, como uma lupa que permitirá enxergar PREVIAMENTE o risco de desperdício do recurso público.

ÓRGÃO DE RECOMENDAÇÃO

Se já existisse esse sugerido Conselho de Gestão Fiscal, que precisa ser instalado no âmbito federal, estadual e municipal ele poderia ter recomendado aos governos que não iniciassem obras sem antes saber quais as razões e os custos envolvidos. 

 

ESTADOS E MUNICÍPIOS

Portanto, ainda que as manifestações de rua estejam voltadas para o péssimo governo Dilma e para o corrupto PT, os brasileiros precisam olhar com muita atenção para tudo que acontece nos seus Estados e, principalmente, nos seus Municípios. Se o pacto federalista é uma exigência imposta pelo povo, nada melhor do que começar pela fiscalização e análise das decisões pretendidas pelos seus governantes.

Aliás, os gaúchos, pelo estado deplorável das contas públicas do Estado do RS, deveriam dar o exemplo,  instalando o primeiro Conselho de Gestão Fiscal. Que tal?   

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PROJEÇÃO DO PIB E SELIC

    Segundo informa o Boletim Focus de hoje, a projeção para o crescimento do PIB em 2015 permaneceu em -1,01%, enquanto o crescimento para 2016 recuou de 1,10% para 1,00%.

    E a estimativa para a taxa Selic ao final de 2015 manteve-se em 13,25%, enquanto para o final de 2016 ficou inalterada em 11,50%.

  • IPCA E CÂMBIO

    Já a projeção para o IPCA ao final de 2015 recuou de 8,20% para 8,13%, enquanto, para o final de 2016, permaneceu em 5,60%. E as estimativas para a taxa de câmbio ao final de 2015 e 2016 ficaram estáveis em R$ 3,25/US$ e R$ 3,30/US$, respectivamente.

  • ADMINISTRAÇÃO PÉSSIMA

    A nova pesquisa de popularidade realizada pelo Datafolha no dia 10 de abril revelou números muito próximos aos do levantamento realizado em março. Para 13% dos entrevistados, o governo Dilma é bom ou ótimo, enquanto 60% consideram a administração ruim ou péssima.

  • JE SUIS MARCEL!

    Eis a NOTA OFICIAL publicada pelo deputado Marcel Van Hatten, com o título: - ASSASSINATO DE REPUTAÇÃO: MAIS UM CAPÍTULO

    - Estou, novamente, sendo vítima de uma tentativa de assassinato de reputação. Dessa vez, meus opositores estão fazendo uso político de um acidente de trânsito - acidente!! - para me atacar.
    Como muitos já sabem - e, apesar de ser um assunto muito pessoal e delicado, nunca escondi nem me neguei a falar sobre ele -, em 2006 sofri um acidente de trânsito que resultou infelizmente - e posteriormente - no falecimento de uma... pessoa.
    Voltando da aula em Porto Alegre, a caminho de Dois Irmãos, fui surpreendido, após uma curva, por uma pessoa que ingressou inadvertidamente na pista da BR-116, na altura da cidade de Ivoti. Infelizmente, não consegui desviar a tempo. Conforme demonstram claramente os autos do inquérito, eu não invadi o acostamento nem me desviei do fluxo normal da pista.  Parei o carro e, evidentemente, prestei socorro. Para minha profunda tristeza, o acidente levou a vítima ao hospital e, após pouco mais de meio ano, veio a falecer.
    O acidente foi investigado a fundo pelas autoridades competentes. O inquérito policial concluiu que eu não tive culpa alguma pelo acidente e o arquivamento foi solicitado pelo Poder Judiciário. Não fui processado nem, muito menos, condenado por homicídio, lesão corporal ou por qualquer crime. SOU INOCENTE. Apesar disso, as partes interessadas no processo ingressaram com uma ação cível buscando indenização (algo que é seu direito). Essa ação ainda está tramitando, em fase recursal e se alguém quiser acompanhar, o número do processo (apelação cível) é 70039964804.
    Nesta semana, contudo, fui informado de que foi protocolado na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, da qual sou membro, um documento pedindo, quase nove anos depois dos fatos ocorridos, nova apuração. É um pedido descabido sob o ponto de vista das atribuições da Assembleia e do ordenamento jurídico brasileiro, já que o caso foi encerrado por eu ser inocente.
    Usar uma tragédia pessoal para fins políticos já é, em si, absolutamente lamentável. Mas está ocorrendo pior do que isso: assessores de deputado do PT e militantes começaram agora a aproveitar-se desta tragédia para espalhar falsas acusações contra mim, o que é uma estratégia baixa, suja e rasteira. Estão fazendo aquilo que se tornou corriqueiro para o PT: tentar assassinar a reputação de quem tem a coragem de ser oposição.
    Estou tão indignado quanto triste com tamanha falta de dignidade. Que terrível escassez de meios para me combater!
    Portanto, aos opositores políticos que espalham falsas notícias a meu respeito, repito o que já disse outras vezes aqui: não aceitarei e denunciarei sempre as tentativas de me calarem tentando assassinar a minha reputação. Continuarei com minha conduta transparente, combativa e coerente com os meus valores.
    Assassinato de reputação, COMIGO, NÃO!
    Marcel van Hattem
    Deputado Estadual/RS
     

     

FRASE DO DIA

Não corrigir nossas falhas é o mesmo que cometer novos erros.

Confúcio