Artigos Anteriores

CONSCIÊNCIA TRAÍDA

ANO XIV - Nº 007/14 -

VONTADE PRÓPRIA

No Brasil, tudo aquilo que precisa acontecer para que haja crescimento econômico e desenvolvimento, por exclusiva vontade do governo Dilma Neocomunista-Petista não para de despencar. É o caso da liberdade, do PIB, do emprego e da vergonha, por exemplo. 

CONTRAPARTIDA

Em contrapartida, tudo aquilo deveria despencar, ou mesmo nem existir, como é o caso da corrupção, da inflação, da mentira e da incompetência, para ficar só com esses, a curva de crescimento chega a ser preocupante. Pior: apavorante. 

AJUSTE FISCAL

Depois de provocar um rombo extraordinário nas contas públicas, através de programas recheados de muito populismo e excesso de assistencialismo, que contaram com a distribuição de privilégios por todos os setores, lados e cantos do país, ao se deparar com a falta de crédito e recursos, Dilma não teve outra alternativa senão a de propor um ajuste fiscal.

TRAIÇÃO

É preciso deixar bem claro que o tímido ajuste fiscal que a presidente está implorando para que o Brasil não perca o importante -investment grade-, não lhe faz nem um pouco feliz. Até porque se trata de uma afronta, ou traição, à sua consciência petista e ao seu ideário neocomunista. Mais: contraria totalmente o programa -bolivariano- definido e aprovado, por unanimidade, pelos membros do Foro de São Paulo. 

SEGURO DESEMPREGO

Quanto ao -Ajuste Fiscal-, cuja primeira MP que trata do Seguro-Desemprego foi aprovada ontem, na Câmara dos Deputados, é importante deixar claro  que o rombo desta conta junto ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) ultrapassa a lógica do entendimento. A forma -populista- com que o governo petista tratava do assunto significava um prêmio fantástico para quem deixava o emprego. 

COMO ASSIM?

Diante da imploração de Dilma, a pergunta é uma só: - É possível um país cujo governo se vangloria por manter um baixo número de brasileiros sem trabalho, atestar um crescimento de 383% nos gastos com benefício para desempregados em 10 anos, causando déficit em fundo (FAT) que serve também para financiar investimentos em infraestrutura? Como assim ???
 

ROMBOS NO FAT

O governo Dilma, depois de promover um rombo extraordinário nas contas do FAT, certamente viu que as ideias petistas são altamente destruidoras. Para tanto decidiu mudar as regras.  Só para esclarecer: só no ano de 2014, o rombo provocado pelo Seguro-Desemprego (num país que surfa a onda do pleno emprego, como diz o PT) excedeu a R$ 13 bilhões. E, só para 2015, antes da aprovação da MP, o rombo previsto deveria superar R$ 20 bilhões. Pode? 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • TAXA DE DESOCUPAÇÃO

    A taxa de desocupação, no Brasil, foi estimada em 7,9% no 1º trimestre de 2015. A maior taxa verificada desde o 1º trimestre de 2013 (8,0%). Esta estimativa cresceu tanto na comparação com o 4º trimestre de 2014 (6,5%), quanto com o 1º trimestre de 2014 (7,2%). Pela primeira vez, a PNAD Contínua traz as informações completas sobre o mercado de trabalho para Brasil, grandes regiões e unidades da federação. A maior taxa foi verificada na região Nordeste (9,6%), e a menor, no Sul (5,1%). Entre as unidades da federação, Rio Grande do Norte teve a maior taxa (11,5%) e Santa Catarina, a menor (3,9%).

    A população desocupada (7,934 milhões de pessoas) variou 23,0% frente ao trimestre imediatamente anterior. Em relação ao 1º trimestre de 2014, o quadro foi de 12,6% . (Ricardo Bergamini)

  • IGP-DI

    O IGP-DI avançou 0,92% em abril, após subir 1,21% em março, dentro do esperado. O índice acumula alta de 3,37% no ano e de 3,94% em 12 meses.
     

  • PRÊMIO

    O Moinhos Shopping recebeu o Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente, na categoria Shopping Center. Em sua décima sexta edição, a premiação é promovida pela revista Consumidor Moderno em parceria com a Gfk Custom Research Brasil, e representa a principal iniciativa no ranqueamento do setor de relacionamento com clientes no Brasil.
     

  • FACHIN

    Quando os senadores forem fazer uma sabatina com o Sr. Luiz Edson Fachin, haverão de perguntar se ele renunciou às ideias expostas em artigo de 1986 sobre a reforma agrária. Acho que não! Ou ele não seria o nome de João Pedro Stedile para o Supremo. Não por acaso, até Luiz Inácio Lula da Silva se assustou com suas ideias em 2010, quando buscava um nome para a vaga aberta com a aposentadoria de Eros Grau. E isso tem apenas cinco anos, não 29. Depois de falar com Fachin, comentou com um próximo: “Ele é basista demais!”. Vale dizer: em 2010, até o Babalorixá de Banânia considerou que Fachin era excessivamente esquerdista e populista para ocupar uma vaga no Supremo. (Reinaldo Azevedo)

FRASE DO DIA

Não reclame da colheita indesejada, se seu plantio foi corrupção.