Artigos Anteriores

CONIVÊNCIA E AMIZADE

ANO XIV - Nº 007/14 -

RESPONSÁVEIS PELA CRISE

Da mesma forma com que todos os atos da intensa CORRUPÇÃO precisam ser explorados, investigados e comentados, até que os envolvidos paguem pelos roubos que cometeram, também se faz necessário esclarecer ao sofrido povo brasileiro quem foram os reais responsáveis pela CRISE ECONÔMICA que levou o Brasil à lona.

 

CUMPLICIDADE

Por mais que esteja certo quem diga que a MATRIZ ECONÔMICA BOLIVARIANA se constituiu numa poderosa MÁQUINA DE MOER EMPREGOS E EMPRESAS, o que inúmeros brasileiros ainda não perceberam é que a destruição só aconteceu graças a uma terrível CUMPLICIDADE, envolvendo GOVERNO, SINDICATOS E ENTIDADES EMPRESARIAIS (ou CORPORAÇÕES). 

DOIS SENTIDOS

O que chama a atenção, para que não sabe, é que a -CUMPLICIDADE- se manifesta em dois sentidos diferentes:

1- no sentido de CONIVÊNCIA; ou,

2- no sentido de AMIZADE.

 

 

CONIVÊNCIA

A CONIVÊNCIA, de forma geral, está associada a um ou mais atos ILEGAIS. O que prova a existência e progressão dos atos de CORRUPÇÃO. Como aqueles que são considerados -CONIVENTES- atuam de livre e espontânea vontade, isto os tornam CÚMPLICES. 

AMIZADE

Já a -AMIZADE- diz respeito ao sentido de OFERECER APOIO E COMPANHEIRISMO. Nestes casos o que mais se faz presente é o CINISMO e a FALSIDADE, ou seja, o lamentável -PUXA-SAQUISMO- que pode ser comprovado pelos aplausos conferidos às autoridades que fazem palestras ou apenas comparecem em atos públicos. 

 

USO DA ARMA

Portanto, ainda que os ventos fortes da MATRIZ ECONÔMICA BOLIVARIANA, esculpida pelo PT, tenha se mostrado como a arma que exterminou mais de 12 milhões de empregos e milhares de empresas do mercado, o fato é que a catástrofe só se confirmou porque muitos empresários e suas entidades, assim como sindicatos e demais corporações foram CONIVENTES. Fizeram uso da arma, por vontade própria.

POR VONTADE PRÓPRIA

O resultado aí está: a melodia suave do CANTO DA SEREIA DILMA-PETISTA, que contou com muita CONIVÊNCIA e AMIZADE resultou em tragédia. Embriagados com doses cavalares de grande POPULISMO e ASSISTENCIALISMO, milhares de naus empresariais foram para as pedras e lá se esfacelaram. O ALTO número de processos de liquidação judicial fala por si. De novo: tudo por VONTADE PRÓPRIA!!!!

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • INDICADORES DE INFLAÇÃO

    O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) avançou 0,43% em janeiro, após subir 0,83% em dezembro. O índice, dentro do esperado pelo mercado, acumula alta de 6,02% em 12 meses.

    A produção industrial, medida pelo IBGE, mostra que houve crescimento em 10 dos 14 locais pesquisados em dezembro ante novembro, mas em São Paulo a produção recuou 1,5% nesse intervalo e 0,6% ante dezembro de 2015.

  • EXEMPLO ROMENO

    Em Bucareste, capital da Romênia, os protestos contra a CORRUPÇÃO já duram 7 dias ininterruptos. O Brasil ainda precisa aprender muito. Inclusive com os romenos, pois aqui o povo vai às ruas com data marcada e só por um dia. Pode?

  • ABSURDOS

    As vaias que foram dirigidas ao juiz Sergio Moro, ontem, em NY, deixaram o mundo todo intrigado. Ficaram com a impressão clara de que, no Brasil, honestidade e justiça são considerados crimes absurdos. Que tal?

  • VALENTINE'S DAY

    O Sheraton Porto Alegre preparou atrações especiais para quem deseja celebrar o Valentine’s Day, o Dia dos Namorados no calendário norte-americano. No dia 14 de fevereiro, casais apaixonados podem desfrutar de um jantar romântico com menu criado pelo chef Mauro Sousa e também diferentes modalidades do pacote Jante & Fique.

    Entre as alternativas, os hóspedes podem receber o jantar servido por um mordomo na suíte temática Londres, decorada com pétalas de rosas e velas, com mimos de banho da Granado à disposição, roupa de cama em algodão 700 fios, e café da manhã no quarto ou no restaurante Clos Du Moulin.

    Informações e reservas podem ser obtidas pelo e-mail eventos.poa@sheraton.com ou pelo telefone (51) 2121.6000. 
     

FRASE DO DIA

Nada se esquece mais lentamente que uma ofensa e nada mais rápido que um favor.