Artigos Anteriores

CÂMARA MORTUÁRIA FEDERAL

ANO XIV - Nº 007/14 -

VALA COMUM

Ontem,  em sessão solene, a Câmara Mortuária dos Deputados anunciou o assassinato, com requintes de crueldade, da REFORMA DA PREVIDÊNCIA. No mesmo ato ficou decidido, com flagrante ignorância, que a PEC deveria ser imediatamente enterrada em vala comum, inclusive sem direito a caixão.

 

PROBLEMA MAIOR

O que mais impressiona e espanta é que o magnífico e crescente ROMBO DA PREVIDÊNCIA simplesmente não consegue ser visto, sentido e entendido, pela maioria da população brasileira, como o PROBLEMA MAIOR, entre tantos, que impede o crescimento econômico sustentado do nosso empobrecido Brasil. 

 

INJUSTIÇA SOCIAL

O que mais me deixa muito pasmo e atônito é que a maioria do povo, influenciado pela catequese populista/sindical, é levado a acreditar que a PREVIDÊNCIA É SUPERAVITÁRIA (algo absolutamente incompreensível).

 

CÉREBROS DESTRUÍDOS

O estrago mental é de tal ordem que, além de enganar o povo sob algo que uma simples operação matemática já desmascara a mentira,  este enorme contingente de cérebros destruídos é levado a crer que também não há INJUSTIÇA SOCIAL na escancarada e nojenta existência de DUAS CLASSES DE BRASILEIROS, onde:

1- a pequena turma de servidores públicos, que perfaz a PRIMEIRA CLASSE (5%), goza de altíssimos privilégios; e,

2- a enorme turma de cidadãos, que integram a SEGUNDA CLASSE (95%) é obrigada a pagar por eles. Que tal?

 

EQUILÍBRIO FISCAL

Ora, diante da existência de tantos problemas sérios que precisam ser atacados, quase que ao mesmo tempo, a regra do bom senso exige um correto e preciso discernimento daquilo que é CAUSA e do que é EFEITO. Mesmo admitindo necessidade de combater a crescente violência que se instalou no Brasil todo, o fato é que, para tanto, o governo precisa de recursos. E, como se sabe, o que pode garantir verbas para SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA é o equilíbrio FISCAL.

 

LÓGICA DO RACIOCÍNIO

O simples exercício da LÓGICA DO RACIOCÍNIO, portanto, não deixa a menor dúvida: a PREVIDÊNCIA, que comprovadamente representa o MAIOR PROBLEMA FISCAL do País, Estados e Municípios, independente da INJUSTIÇA SOCIAL que produz jamais deveria ser assassinada para dar vida à INTERVENÇÃO FEDERAL NO RJ. Mesmo que também seja importante e necessária, o fato é que a Intervenção ataca os EFEITOS deixando as CAUSAS intactas. Mais: produz duplo prejuízo, pois não há recursos para tanto. Pode?

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • DÍVIDA PÚBLICA

    O ritmo de crescimento da DÍVIDA PÚBLICA brasileira, sem a REFORMA DA PREVIDÊNCIA,  deve superar, muito em breve, os 80% do PIB. Segundo a maioria dos cenários traçados, o Bank of America Merrill Lynch (BofA) prevê que as agências de risco -Moody's e Fitch- podem rebaixar o rating soberano brasileiro, seguindo o movimento da S&P Global Ratings, que em janeiro cortou a nota do País em um nível.

    A relação dívida/PIB, um dos indicadores da solvência de um país e um dos números monitorados de perto pelas agências de rating, subiu de 70% em 2016 para 74% no ano passado, ressalta o BofA. Dependendo do ritmo de crescimento do PIB e da Selic, pode ultrapassar os 80% já em 2019 e superar os 90% a partir de 2022. Em 2017, a dívida pública atingiu R$ 3,6 trilhões ante R$ 3,1 trilhões do ano anterior.

  • ENFIM...

    A Prefeitura de Porto Alegre e o Banrisul assinam hoje, terça-feira, 20, o embromado contrato de financiamento de R$ 120 milhões, que vai viabilizar a retomada das obras da Copa. Somente em dívidas com as empresas, os valores são da ordem de R$ 45,4 milhões. 

  • LUCRO DO BANRISUL

    Ontem, o Banrisul anunciou o maior lucro líquido consolidado de sua história: R$ 1,05 bilhão em 2017. O resultado é 59,6% acima do de 2016.

FRASE DO DIA

A pior forma de desigualdade é tentar fazer duas coisas diferentes iguais.

Aristóteles