Artigos Anteriores

BRASIL: A BOLA DA VEZ DOS INVESTIDORES

ANO XIV - Nº 007/14 -

RECURSOS IMPORTANTES

Com tantas coisas deploráveis que nós estamos deixando acontecer no nosso país, o fato é que os investidores internacionais estão enviando volumosos recursos para o Brasil. E isto está acontecendo sem que tenhamos conquistado ainda a tão esperada e importante graduação de investimento denominada - Investment Grade -.

CUSTOS MENORES

Quando isto acontecer, os recursos que continuam sendo aportados, e até chegam a impressionar pelos volumes atingidos, deverão mais do que triplicar. E, naturalmente, com custos bem menores, diga-se de passagem.

TAPA EM CEGO

Mesmo que os nossos governantes não gozem de qualquer credibilidade e nada fazem para mudar de forma definitiva a fotografia do país, os investidores ainda assim continuam apostando no Brasil. Imaginem se as garantias exigidas e o necessário marco regulatório já estivessem andando. Aí seria como dar tapa em cego (estes que me perdoem pela simbologia).

RISCO

Tudo aquilo que grandes fundos de investimentos externos estão destinando a países emergentes, e por conseguinte mais arriscados, já se mostra exuberante. Mas tudo devidamente explicado pela fantástica liquidez financeira mundial. Agora tentem imaginar, no mesmo quadro de liquidez atual, os volumes de dinheiro que serão destinados ao Brasil a partir do Investment Grade.

ATROPELO

Gente: o que pode se esperar é uma verdadeira loucura. É possível até que, no atropelo, mesmo sem a existência de um marco regulatório definido, ainda assim muito dinheiro acabará sendo enviado para projetos que possam financiar a nossa decadente e indecente infra-estrutura.

CRÉDITO

Já no cenário interno do Brasil também há espaço para euforia. Pelo menos enquanto perdurar a fantástica expansão do crédito, que já alcançou o percentual expressivo de 33% do PIB, ou seja, R$ 800 bilhões. É lógico que o crédito até pode crescer mais, mas chegará um momento que só o aumento da renda poderá justificar tal expansão. Se ela não acontecer como deve a quebradeira será geral e inevitável. Com a roupa da inadimplência.

EVITAR O COLAPSO

Exatamente por isto, até para aqueles que só aceitam ler e ouvir boas notícias, o negócio é pressionar cada vez mais por reformas. Reformas que produzam o efeito magnífico do crescimento e da renda. Caso contrário, ao invés de euforia teremos o colapso. Isto precisa ficar bem claro.Enfim, se o governo brasileiro quiser promover de fato um crescimento duradouro, precisará admitir de forma consciente e definitiva, que a melhor contribuição para que a euforia se mantenha por muitos anos, é a redução da carga de impostos. Que é a grande causa de todos os males deste ainda pobre país.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • EM PÉSSIMA CLASSIFICAÇÃO
    O Banco Mundial divulgou ontem seu ranking Doing Business, com os melhores países para se fazer negócios. Dos 178 países analisados, o Brasil ficou com o 122º lugar, atrás de países como o Cazaquistão, Etiópia e Samoa. Também foi o país dos BRIC com a pior classificação - de um ano para cá, a China saltou 10 posições (de 93ª para 83ª), a Rússia ficou em 106º e a Índia, que até 2006 estava pior classificada que o Brasil, passou para o 120º lugar.O primeiro lugar ficou com Cingapura, seguida pela Nova Zelândia, Hong Kong, Estados Unidos e Dinamarca. A classificação do Banco leva em conta vários aspectos que influenciam na realização e manutenção de empresas nos países, como tempo para abertura, burocracia, tributação, acesso a crédito e legislação trabalhista.
  • BEIJO DA VIDA
    O Instituto Avon, para combater o câncer de mama, promove no dia 29 o Dia do Beijo pela Vida, com atrações especiais para as mulheres, além da divulgação dos exames preventivos desta doença que, diagnosticada a tempo, pode ser tratada com amplo sucesso. O evento acontece no Anfiteatro Pôr-do-Sol, das 13h às 17h.
  • E O DINHEIRO?
    O ministro Marco Aurélio, do STF, concedeu liminar ao Tribunal de Justiça do Estado do RS, determinando que a governadora Yeda Crusius complemente a proposta orçamentária do Poder Judiciário gaúcho para 2008, no valor aprovado pelo Plenário do Tribunal de Justiça. Ao mesmo tempo, Marco Aurélio suspendeu, até que ocorra o mencionado aditamento, o processo de votação do projeto orçamentário para 2008 pela Assembléia Legislativa gaúcha. Só faltou dizer de onde sairá o recurso. Ora bolas...
  • ENCONTRO
    O Grupo Gerdau participará do 2º Encontro Gaúcho do Terceiro Setor com a apresentação do case Fundo Pró-Infância dos Profissionais Gerdau pelo Gerente do Instituto Gerdau, Clódis Xavier. O evento ocorre nos dias 26 e 27 de setembro no Hotel Swan Tower, em Novo Hamburgo, RS.

FRASE DO DIA

A VIDA É COMO UM ECO: SE VOCÊ NÃO GOSTA DO QUE RECEBE OBSERVE O QUE EMITE.

Lair Ribeiro