Artigos Anteriores

BRASIL - REPÚBLICA FEDERATIVA DA NEGAÇÃO

ANO XIV - Nº 007/14 -

REPÚBLICA DA NEGAÇÃO

Entre tantas coisas importantes que a operação Lava-Jato está proporcionando através das reações de todos aqueles que até o presente momento foram citados pelos delatores, é revelação clara de que o Brasil é a REPÚBLICA FEDERATIVA DAS NEGAÇÕES. 

NEGAÇÃO

Como se viu no início dos trabalhos da Lava-Jato, os primeiros a praticar a NEGAÇÃO foram os próprios delatores, que depois de refletir por um bom tempo, atrás das grades, resolveram soltar a língua. A seguir, como estamos assistindo, foi a vez dos delatados exercerem a NEGAÇÃO de que fizeram parte do escandaloso esquema de CORRUPÇÃO. 

LUGAR INCERTO E NÃO SABIDO

Ora, considerando que os delatores afirmam ter repassado (apenas o pessoal da Odebrecht) mais de US$ 3,3 bilhões em forma de PROPINA para os delatados, e estes juram de pés juntos NEGANDO que receberam o farto dinheiro da INCALCULÁVEL CORRUPÇÃO, que, portanto, se  encontra em algum lugar ainda incerto e não sabido. 

RECUPERAÇÃO DA MEMÓRIA

Como vivemos, tranquilamente, na REPÚBLICA FEDERATIVA DA NEGAÇÃO, é preciso aguardar as investigações. Como muitos daqueles que apareceram na lista dos delatados da Odebrecht ainda não foram presos, a NEGAÇÃO vai persistir. Por certo, depois de ficar algum tempo atrás das grades, refletindo, o delatado começa a recuperar a memória. Até lá não tem jeito: são todos PUROS e INOCENTES.

 

COMPLIANCE

Diante deste quadro extremamente complicado, onde impera enorme desconfiança sobre tudo e sobre todos, muitas organizações empresariais já se deram conta de que a recuperação da confiança de seus acionistas, consumidores, colaboradores e próprio mercado passa pelo COMPLIANCE.

 

SIGNIFICADO

COMPLIANCE, em termos bem didáticos, significa estar absolutamente em linha com normas, controles internos e externos, além de todas as políticas e diretrizes estabelecidas para o seu negócio. É a atividade de assegurar que a empresa está cumprindo à risca todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento. E isso vale para as esferas trabalhista, fiscal, contábil, financeira, ambiental, jurídica, previdenciária, ética, etc.

ÉTICA E SERIEDADE

A crescente pressão externa pela adoção de padrões éticos, que gere valor a todos que participam da cadeia produtiva da empresa e do setor deve impulsionar as organizações para a criação de programas preventivos e de monitoramento constante.

É através das ferramentas de COMPLIANCE que uma empresa pode alcançar com maior solidez seus objetivos estratégicos. A sinergia da empresa com todas as normas, ditames de regulamentação e controles internos eficientes, representam maior qualidade na atividade empresarial (respeito às normas de qualidade), economia de recursos (evitando gastos com multas, punições e cobranças judiciais) e fortalecimento da marca no mercado (empresa séria e ética).

Aliás, se as empreiteiras tivessem dotado suas empresas de boas e corretas ESTRUTURAS DE COMPLIANCE, certamente não estariam envolvidas ou atuando como agentes CORRUPTORES. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • EXEMPLO DOS VENEZUELANOS

    A Venezuela já chegou a quase 15 dias de protestos contra Nicolás Maduro. Que isto sirva de aviso ao povo brasileiro, que só vai às ruas por um dia, e mesmo assim por poucas horas. As chances dos pleitos serem atendidos são maiores para quem permanece firme cobrando por eles.  
     

  • ZAFFARI HÍPICA

    O Zaffari Hípica, empreendimento inaugurado na Zona Sul de Porto Alegre no início do ano, inicia o mês de abril com novidades no mall que cerca o Supermercado Zaffari. CVC Turismo, Planeta Surf (roupas e acessórios esportivos), Blanca, Atmosfera e Patchwork (todas de vestuário feminino), unem-se às unidades da Panvel e da lavanderia Chuá, já em funcionamento desde a abertura do Zaffari Hípica.

  • ATA DO COPOM

    Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), foi reforçada a avaliação de que o ritmo intenso no corte de juros anunciado na semana passada, quando a Selic foi reduzia para 11,25%, é “adequado”, mas que a extensão desse ciclo de corte dependerá das estimativas da taxa estrutural da economia brasileira. O Comitê voltou a afirmar que a expectativa de inflação ancorada somada à elevada ociosidade da economia são os motivadores da queda do juro anunciada em abril.

     

FRASE DO DIA

A burrice não tem fronteiras ideológicas.

Roberto Campos