Artigos Anteriores

BRASIL - POTÊNCIA GLOBAL?

ANO XIV - Nº 007/14 -

VISITA AOS EUA

Por tudo que Obama e Dilma disseram, juraram e assinaram, ao longo desta importante visita que a nossa presidente fez aos EUA, pode-se dizer que o Brasil voltou a ganhar novas oportunidades econômicas e diplomáticas que os petistas e demais aliados neocomunistas, que nunca esconderam o ódio que nutrem, desde sempre, pelos americanos do norte, haviam sepultado.  

 

 

MOTIVOS DO ENCONTRO

Ainda que muita gente esteja convencida de que Obama almejava este encontro para se desculpar, pessoalmente, pelos propagados atos de espionagem feitos pela NSA, nada mais evidente de que a presidente Dilma foi aos EUA em busca de um tábua de salvação para a fantástica crise econômica que ela e seu partido plantaram no nosso pobre país. 

 

 

CONFIANÇA

É sabido que entre o discurso e a prática a distância é enorme. Entretanto, mesmo que alguns acordos não prosperem adequadamente, muita coisa pode evoluir favoravelmente. O que seria importante para melhorar um pouco o nível de confiança dos investidores, que vem crescendo, a olhos vistos, como rabo de cavalo. 

ENQUANTO ISSO...

Pois, enquanto Obama e Dilma trocavam algumas juras, tanto econômicas quanto diplomáticas, o nosso Senado aprovava um extraordinário aumento de salário dos servidores da (indecente) Justiça brasileira, que varia de 53% a 78,53%. Que tal?  Será esta a POTÊNCIA GLOBAL, que Obama se referiu durante o encontro com Dilma?

BLEFE

Saindo do Brasil e dos EUA e indo diretamente para a Grécia, país europeu que econômica e socialmente o Brasil petista está fazendo de tudo para se espelhar, o que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, tentou fazer com os membros da UE, o FMI e Banco Central  Europeu, nesta semana, foi aquilo que geralmente acontece no jogo de pôquer: BLEFAR. Ou dar um -cachorro-. 

ZONA DO EURO

Pois, ainda que a Grécia seja um país com baixíssima relevância econômica no contexto da União Europeia, o problema maior não está na impossibilidade de conseguir honrar com a enorme dívida que contraiu. O que realmente está em jogo é a Zona do Euro, que a partir de uma iminente saída da Grécia pode vir a sofrer novas baixas.

POPULISTA

Como a Grécia é governada por um partido declaradamente POPULISTA, não há como admitir que faça reformas capazes de diminuir despesas. Muito menos o corte dos fantásticos e impagáveis privilégios, todos absurdamente protecionistas e injustos.

 

A VOZ DO POVO

Portanto, antes de voltar a negociar o ajuste, que foi interrompido na última 3ª feira, a UE precisa saber se o povo grego (através do referendo que será realizado neste final de semana) quer que seu país continue ou não na Zona do Euro, com as regras impostas por todos os seus membros.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • MAU COMPORTAMENTO

    As agências internacionais que avaliam o RISCO DE PAÍSES equivalem aos nossos serviços de proteção ao crédito. Estão de olho no mau comportamento das contas públicas do Brasil, que assim corre o risco de perder o chamado grau de investimento, perda essa que significa algo mais próximo de uma ficha suja. Isso traria dificuldades de financiamento externo, com potencial de complicar a crise pelo lado cambial, ou pelo menos de dificultar a retomada do PIB ao prejudicar investimentos.

    Se a economia brasileira afundar mesmo, não será por culpa de suas forças produtivas. Será por conta de políticos que a levaram à crise, e também deles e de outras autoridades que em lugar de ajudar a resolvê-la contribuem para agravá-la.
    (Roberto Macedo, via Estadão)
     

  • PRODUÇÃO INDUSTRIAL NO BRASIL

    A produção industrial do país apresentou crescimento de 0,6% na margem em maio.  Apesar do desempenho melhor que o esperado, não há razão para otimismo. Essa elevação de maio se seguiu a uma queda de 1,2% em abril, e, no ano, a indústria acumula elevada contração de 6,9% em relação aos primeiros cinco meses de 2014. O resultado negativo do ano está concentrado no desempenho da indústria de transformação (que acumula queda de 9,0%), enquanto a extrativa cresce 9,9%.

     

  • PORTO ALEGRE

    Envolvido no projeto de recuperação do Cais Mauá, em Porto Alegre, o arquiteto Jaime Lerner afirmou, ontem, que “a revitalização do espaço deve ser um dos mais importantes projetos do país”, adiantando que a obra vai proporcionar um lugar de animação cultural e comercial. “Além de ser complexo, o plano envolve diversas entidades, situação que impede um ágil andamento”, explicou.

    Outro projeto que ganhou o destaque do arquiteto é a recuperação da Orla do Guaíba que tem a ambição de entregar à população uma grande “arquibancada” ao ar livre, ilustrou Lerner. Ele aproveitou o momento para fazer um apelo ao empresariado. “Temos que ter a confiança e contar com investidores desde o período da concepção até a entrega destas grandes obras”, finalizou.
        

FRASE DO DIA

O justo é tranquilíssimo, o injusto é sempre muito solícito.

Epicuro