Artigos Anteriores

BOLSONARO NO -RODA VIVA-

ANO XIV - Nº 007/14 -

RODA VIVA

No editorial do dia 24 de julho escrevi sobre a participação de Geraldo Alckmin no programa Roda Viva, na  TV Cultura (?). Escrevi (está lá registrado) que fiquei bem impressionado com as respostas e/ou propostas apresentadas pelo ex-governador de São Paulo e atual candidato à presidência.

BOAS SOLUÇÕES

Disse, também, que além de mostrar bom conhecimento dos problemas do país, Alckmin ofereceu boas e qualificadas soluções, no curto, médio e longo prazo.

JAIR BOLSONARO

Nesta segunda-feira, 31/07, com o mesmo interesse tratei de assistir o Roda Viva (?), que nesta edição contou com a participação do também presidenciável Jair Bolsonaro. Aliás, só pelo fantástico índice de audiência (76.9%) se tem uma ideia do número de telespectadores interessados em ouvir o líder das pesquisas eleitorais.

CABOS ELEITORAIS

Pois, desta vez, para surpresa geral, a produção do Roda Viva achou por bem que os holofotes não deveriam ser direcionados para o entrevistado, mas para os ENTREVISTADORES. Para tanto escolheu a dedo, com muito cuidado, verdadeiros -CABOS ELEITORAIS- do presidenciável.

PAPEL DE BOBOS DA CORTE NEOCOMUNISTA

O que pareceu estranho é que todos os ENTREVISTADORES , assim como o condutor do programa, fizeram o papel de CABOS ELEITORAIS na forma de PAPEL DE LEGÍTIMOS -BOBOS DA CORTE NEOCOMUNISTA-. Algo simplesmente incrível.

ÚNICO PROPÓSITO

Confesso que gostaria de manifestar a minha opinião sobre as propostas que o candidato Jair Bolsonaro teria a apresentar. Mas, por tudo que li ontem, percebi que o espetacular contingente de 76,9% de telespectadores já disseram tudo que eu poderia escrever neste editorial, ou seja, os ENTREVISTADORES se uniram com um mesmo e único propósito: ELEGER JAIR BOLSONARO.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • AJUSTE FISCAL

    Em evento realizado pela XP, Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional, afirmou que não enxerga muito espaço para o próximo presidente descontinuar o ajuste fiscal, dado que seria necessário deixar bem claro a descontinuidade, diferente das ‘maquiagens’ que eram realizadas há 4 anos. Mansueto também afirmou que vê a gestão fiscal de curto prazo como controlada e acredita existir possibilidade de avançar com a Reforma da Previdência este ano após as Eleições.

  • IPC-S

    O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) perdeu força e subiu 0,17% na última leitura de julho,
    desacelerando-se relação à alta de 0,38% na prévia anterior, informou a  Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com isso, o indicador acumula altas de 3,17% no ano e de 4,22% nos últimos 12 meses.

FRASE DO DIA

A sabedoria começa na reflexão.

Sócrates