Artigos Anteriores

BALANÇO DE PAGAMENTOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

ZAPEANDO NA TV

Num desses domingos chuvosos, de frente para a minha TV, com o controle remoto na mão, fiquei zapeando em busca de algum programa que pudesse me entreter. Pois, ao passar pelo canal da TV Globo me deparei com o apresentador Faustão, que naquele exato momento perguntava a uma atriz-convidada (não lembro o nome) se ela gostava de matemática.

SOLIDARIEDADE

A resposta da famosa, que certamente influencia a opinião pública, foi imediata e franca: - NÃO! DETESTO! NUNCA GOSTEI!

Diante da sincera manifestação, o apresentador Faustão transferiu a pergunta ao seu enorme auditório. A resposta, como já esperava, foi a mesma: 99% das pessoas que estavam na plateia movimentavam os braços gritando um sonoro -NÃO- , que soou, inclusive, como um ato de solidariedade à atriz.

EXEMPLO

Escrevo isso para mostrar e exemplificar que o povo brasileiro em geral, notadamente os comunicadores e/formadores de opinião, simplesmente por detestar a matemática não consegue desenvolver, minimamente, o raciocínio lógico.
 

CONFUSÃO

Isto explica, por exemplo, a brutal confusão que o povo faz quando a maioria dos jornais noticia que a simples proposta de diminuição do desperdício do dinheiro público deve ser vista pelos leitores, ouvintes e telespectadores como se fosse um SACO DE MALDADES ou um severo PLANO DE AUSTERIDADE. Pode?

REALIDADE NUA E CRUA

Diante desta nua e crua realidade é de se lamentar que só que aqueles que tem alguma iniciação para compreender o que dizem os números (parcela ínfima da sociedade) conseguem entender o que revela, por exemplo, o nosso Balanço de Pagamentos.

 

ESTUDO DIDÁTICO

Ainda que muitos leitores possam ter dificuldade e/ou desinteresse para entender a situação que o país vive, vou insistir. Para tanto faço uso do estudo feito pelo economista e pensador (Pensar+) Ricardo Bergamini, que de maneira muito didática diz o seguinte:

BALANÇO DE PAGAMENTOS

COMPOSIÇÃO- O balanço de pagamentos é composto do saldo de transações correntes que apura os movimentos correntes em moeda estrangeira de um país, tais como: exportações, importações, viagens, transportes, juros, lucros, dividendos, aluguéis de equipamentos, dentre outros, que totalizou nos 4 anos do governo Dilma um déficit da ordem de US$ 279,0 bilhões.

CONTA DE CAPITAL E FINANCEIRA - O outro grupo de apuração do balanço de pagamentos é o denominado de contas de capital e financeira, formado por investimentos do Brasil no exterior e do exterior no Brasil, além dos empréstimos e financiamentos do Brasil no exterior e do exterior no Brasil, que nos 4 anos do governo Dilma apresentou superávit da ordem de US$ 358,6 bilhões, gerando um saldo do balanço de pagamentos superavitário da ordem de US$ 82,4 bilhões.

ALGO ERRADO - Mesmo para um primário no tema é capaz de observar que algo muito errado está ocorrendo com o nosso balanço de pagamentos, ou seja: nosso comércio internacional não está se equilibrando, dependendo do fluxo financeiro e de capital para fechar.

CRISE CAMBIAL - Isso quer dizer que estamos vivendo uma crise cambial de balanço de pagamentos, apesar do saldo de reservas em moeda estrangeira da ordem de US$ 363,5 bilhões apurados 31/12/14, já que a sua formação não foi conquistada pelo comércio internacional (recursos próprios), mas sim com empréstimos, financiamentos e investimentos (recursos de terceiros), vulneráveis às crises internacionais.

DISCIPLINA FISCAL - Em algum momento os países da Europa e os Estados Unidos, que até a presente data estão empurrando os seus graves problemas com a barriga (emitindo moeda), terão que enfrentar a realidade com medidas técnicas e conservadoras, qual seja: disciplina e austeridade fiscal. Nesse momento o fluxo de capital para o Brasil será extinto e o Brasil, mais uma vez, encerra o seu segundo sonho do falso milagre brasileiro, repetindo os mesmos erros cometidos com o falso sonho do primeiro milagre brasileiro ocorrido nos governos militares, qual seja: crescer sem poupança própria.
 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • COMO DESTRUIR UMA EMPRESA

    Recebi esta notícia do pensador (PENSAR+) Sergio Maia. Vejam só:

    A Petrobrás já é utilizada nas universidades americanas de finanças como exemplo de má administração. Veja resumo de uma aula do Aswath Damodaran, professor da Stern School of Business at NYU.

    O título é bem sugestivo: "Como destruir uma empresa". 

     

    http://aswathdamodaran.blogspot.com.br/2015/02/how-low-can-you-go-doing-petrobras-limbo.html
     

  • O SUMIÇO DA CONFIANÇA

    A semana se inicia com o Índice de Confiança da Indústria (ICI) apurado na prévia da sondagem de fevereiro, que ficou em 83,2 pontos, o que representa recuo de 3,1% em relação ao resultado final do mês anterior, que foi de 85,9 pontos.

    Na comparação anual, o ICI declinou 15,5%, Já a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) desacelerou para 1,08% na terceira quadrissemana de fevereiro. Ambos os indicadores foram divulgados pela FGV.
     

  • BOLETIM FOCUS

    O Boletim Focus desta última semana de fevereiro traz as seguintes projeções:

    IPCA: subiu de 7,27% para 7,33% neste ano, enquanto segue em 5,60% para 2016.

    PIB: a estimativa para o PIB em 2015 passou de retração de 0,42% para QUEDA de 0,50%.  

    SELIC: as projeções seguem em 12,75% e 11,50%, respectivamente, para este e o próximo anos.
     

  • PRÊMIO

    O Instituto de Estudos Empresariais (IEE) foi condecorado com o Prêmio Francisco Marroquín Award 2014, promovido pela Fundação de Pesquisas Econômicas, Atlas Network. O mérito foi concedido ao IEE por ser a instituição da América Latina que proporcionou o projeto mais inovador no que diz respeito ao alcance dos estudantes, em decorrência da realização anual do Fórum da Liberdade – que reúne mais de cinco mil pessoas a cada edição, a maioria estudantes, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
     

FRASE DO DIA

SEJA OUSADO, NÃO DESCUIDADO.