Artigos Anteriores

AVALANCHE DE ABSURDOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

INDIGNAÇÃO SELETIVA

A avalanche de absurdos que estamos recebendo diariamente, cometidos muito mais pelos políticos em geral, tem sido tão expressiva que, embora a indignação do povo já seja grande para muita coisa, só algumas conseguem obter mais notoriedade. É a indignação seletiva por impacto exagerado, digamos.

APLAUDIDO?

Ontem tivemos mais dois exemplos de palhaçadas publicadas: 1- Quando Lula discursou ontem, no RJ, falando sobre a desmistificação do déficit da Previdência Social, foi aplaudido pelos inúmeros puxa-sacos ouvintes. Aplaudiram o quê, afinal? O déficit ou o assistencialismo? Sai dessa;

COISA ALGUMA

2- O pobre ministro Luiz Marinho, do Trabalho, afirmou que o BC bobeou ao reduzir a taxa de juros em 0,25 pp. Com tanto conhecimento que Marinho imagina que possui sobre as questões brasileiras deveria dizer que ele é quem mais bobeia em nada fazer para reformar as leis trabalhistas, coisa que diz respeito à sua Pasta. Fala de outras áreas sem conhecimento. E mostra nenhum conhecimento no que deveria entender. Fora, Marinho!

BANRISUL RENTÁVEL

O Banrisul, atualmente, sem sombra de dúvidas, é um banco bem administrado, bastante competitivo e extremamente rentável. Um dos mais lucrativos do país, a considerar a rentabilidade de 27,9% sobre o patrimônio líquido final. Um retorno e tanto, como se vê e que vem se mantendo há vários anos. Na apresentação do Balanço de 2006, nesta manhã, foi possível entender as razões usadas pela governadora Yeda ao preferir manter a mesma diretoria à frente da instituição.

GOVERNANÇA

Esta decisão pode estar dando início ao processo de Governança ao Banrisul. E o possível encaminhamento ao Nível II da Bovespa. Um grupo até já foi formado para discutir o aumento de capital, com emissão de ações preferenciais. E tudo leva a crer que poderá haver a venda de parte das ações ordinárias que ainda estão em poder do Estado. Como o governo possui mais de 95% das ações ordinárias, quando bastaria 50% mais uma para manter o controle acionário da empresa, seria inteligente adotar o procedimento.

NUMA TACADA

A se confirmar esta minha expectativa, com uma só tacada o resultado pode ter duplo efeito. E muito positivo. A saber: o Banrisul fica mais capitalizado com a emissão de novas ações preferenciais, e o Governo do Estado recebe um bom dinheiro pela venda do excesso das ações ordinárias. Só isto já ajudaria bastante na melhora do caixa do Tesouro, bastante debilitado. Tudo sem precisar falar em privatização, coisa que quase ninguém aceita falar no RS.

DISTRIBUIÇÃO EXAGERADA

Como o Banrisul distribuiu 55% dos lucros no período (muito exagerado), por pura exigência do seu sócio controlador (Governo), que está muito mal de caixa, não consegue reinvestir os seus ótimos resultados obtidos. Com isto, a instituição pode perder espaço para outros bancos mais capitalizados. Sem a pressão do Estado, o Banrisul pode crescer bem mais. Com boa governança.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

O homem verdadeiramente sábio não diz tudo que pensa, mas pensa tudo quanto diz.

Aristóteles. (Enviado p/ Ezio de Salles)