Artigos Anteriores

ATÉ NO FUTEBOL

ANO XIV - Nº 007/14 -

DESFILE DE FANTASIAS

A economia mundial, indiscutivelmente, está mostrando uma carranca muito feia. Se por algum momento alguém imaginou que tudo não passava de um desfile de fantasias, esta possibilidade já foi totalmente afastada.

ÁLBUM DE FOTOS

O retrato da péssima fisionomia que vem sendo mostrada aí está: é real, preocupante e, muito provavelmente, de longa duração. Pior: como neste álbum de fotos de horror estão presentes vários países do decantado primeiro mundo, a situação fica ainda mais dramática.

UM ÚNICO REMÉDIO

Por mais que alguns ainda queiram discutir os tratamentos disponíveis para tentar suavizar os traços da péssima carranca, a realidade impõe que um único remédio é capaz de atenuar a crise atual: um corte imediato e eficaz de gastos públicos. Não há outro. Caso contrário, o calote de pagamento dos títulos públicos não poderá ser evitado.

REGIME DE GASTOS

Como praticamente todos os setores de atividade, queiram ou não, vão precisar se adequar a uma realidade de consumo mais reduzido, principalmente na Europa, até o futebol será afetado. Por uma simples e incontestável razão: tanto clubes como competições e, certamente, vários atletas, são sustentadas por empresas.Como todas as empresas já começaram a apertar seus cintos, até o futebol vai sentir o reflexo do necessário regime de gastos.

ALERTA

Este é um alerta que precisa ser feito à imprensa, aos clubes e, principalmente, aos atletas. Aqueles que sonham em jogar na Europa, notadamente na Espanha, Portugal e Itália, precisam levar em conta que a possibilidade de ficarem sem receber salários é enorme.

RENEGOCIAR CONTRATOS

Na Espanha, por exemplo, a soma do endividamento dos clubes está beirando o montante de um bilhão de euros. A greve dos atletas já evidencia o perigo. Como o faturamento em publicidade esportiva das emissoras de televisão também vai diminuir, as cotas dos clubes idem.Assim, caso queiram permanecer na Europa, muitos atletas vão precisar renegociar seus contratos, com valores bem menores.

O RITMO É OUTRO

Em resumo: esta crise pode trazer muitas surpresas ruins. Como não mostra sinais de passageira, pelo estrago que o crédito desmedido proporcionou, até que tudo volte ao normal muita gente vai penar.Uma coisa é certa: o tamanho do consumo, com oferta de crédito adequado, sem o exagero que deu origem à bolha, é bem menor do que se viu até 2008. Isto basta para entender o ritmo esperado para a economia.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • VIAGENS
    Por ser mês de férias escolares, julho apresentou o maior déficit da conta de viagens internacionais da série histórica. Segundo o Banco Central, o déficit de US$ 1,706 bilhão da conta turismo no mês passado é o maior para o mês da série histórica.
  • EXPOAGAS
    Tradicional por lançar novidades na área de alimentos e serviços, a Expoagas 2011 começa hoje e vai até o dia 25 de agosto, no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre.Este ano, quando completa três décadas de atuação no Estado, a Feira conta com a participação de 334 empresas nacionais e internacionais, que apresentarão diversos lançamentos.
  • INFLAÇÃO
    O IPC-S de 22 de agosto de 2011 apresentou variação de 0,31%, 0,14 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada na última divulgação.
  • TÁ NA MESA
    O Tá na Mesa da Federasul recebe amanhã (24), o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque. O convidado falará sobre os desafios e ações da infraestrutura e logística no RS. A reunião-almoço acontece, a partir das 12 horas, na Federasul.

FRASE DO DIA

O futuro é comprado pelo presente.

Samuel Johnson