Artigos Anteriores

AS INSTITUIÇÕES ESTÃO, SIM, FUNCIONANDO!!!

ANO XIV - Nº 007/14 -

RETA FINAL DO ANO

Entramos na penúltima semana de 2017, que encerra com a chegada do Natal e dá início aquela que marca a entrada de 2018, que desde já dá a entender que será, quem sabe, um período de grandes esperanças. 

TROCA DE MENSAGENS

Assim, ao longo destas duas semanas nada será capaz de superar o mágico espírito de confraternização. É, chegado, enfim, o momento em que todos, indistintamente, trocam mensagens repletas de desejos de muita PAZ, SAÚDE, DISPOSIÇÃO e PROSPERIDADE.

PARCERIA ESCANDALOSA

Entretanto, sem a menor intenção de querer estragar o momento mágico do Natal e as Festas de Ano Novo, não posso ficar alheio à reportagem publicada na Veja desta semana, que discorre sobre a rumorosa (ou escandalosa) parceria comercial que envolve o ministro do STF Gilmar Mendes e o empresário Joesley Batista, da JBS.

 

INSTITUIÇÕES FUNCIONANDO

Quem ainda estava se perguntando se,  de fato, as INSTITUIÇÕES estão funcionando, ao ler a matéria da Veja sairá convencido positivamente. Não da forma como muita gente está pensando, mas de forma lamentável, indevida e nada correta.

 

GILMAR MENDES

 Infelizmente, sem qualquer surpresa, as INSTITUIÇÕES, umas mais outras menos, só existem no nosso empobrecido Brasil, para garantir direitos e privilégios safados. O ministro Gilmar Mendes, antes de tudo, é apenas um dos tantos que emporcalham, sem o menor receio de afastamento, as nossas INSTITUIÇÕES. 

 

SÓ COM GENTE SAFADA

O que causa mais espanto é que o complicado Gilmar Mendes é um INTOCÁVEL ministro da Corte Suprema. Como tal, pinta e borda fazendo o que bem entende, como se dono do poder fosse.  Mais: em nenhum caso em que é flagrado com conversas, o encontro se dá com pessoas insuspeitas e/ou corretas. Só com gente de caráter duvidoso ou mesmo criminoso. Pode? 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOCUS DE HOJE

    1- as expectativas para a alta do IPCA DE 2107 recuaram para 2,83%, mais abaixo da meta oficial definida pelo governo, enquanto projeta 4% para 2018. A meta de inflação para ambos os anos é de 4,5 por cento com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual.

    2-a projeção para a taxa básica de juros Selic no final de 2018 continua sendo de 7%, após redução de 0,25 ponto percentual em fevereiro e elevação na mesma proporção em dezembro.

    3- as expectativas para expansão do PIB cresceram:  0,96%  para 2017 e 2,64% para 2018.

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina, com o título - UM SISTEMA PREVIDENCIÁRIO IMPERITO, IMPRUDENTE E NEGLIGENTE-:

    Sistemas públicos de aposentadoria frequentam o centro de colossais encrencas fiscais, políticas, econômicas e culturais porque propagam a ideia de que todos podem garantir seu futuro não à própria custa, mas à custa dos demais. Exceções à parte, a regra mais ampla deveria ser a da prudência pessoal, da previdência individual, da iniciativa privada, da difícil, mas imperiosa, poupança dos próprios meios.

              Ao abraçar a função, o poder público sinaliza para a sociedade o comportamento inverso, ou seja, orienta para o desejo de contribuir na menor proporção possível, obtendo o máximo resultado futuro, pelo menor tempo que der. E o Estado, arrecadador das contribuições, sofre dois assédios principais. De um, cede (e no caso brasileiro cedeu mesmo) à tentação de usar para urgências de curto prazo os recursos originalmente poupados na implantação do sistema, deixando de formar o fundo que irrigaria a economia com investimentos produtivos e atenderia os benefícios a serem concedidos no futuro. De outro, cede (e no caso brasileiro cedeu mesmo) à tentação de conceder privilégios que realizam, para tantos, o sonho de contribuir menos, por tempo reduzido, e obter ali adiante, magicamente, o desproporcional benefício.

              Há quem creia que uma situação assim possa ser mantida indefinidamente. Há entidades sindicais gastando dinheiro em anúncios publicitários para proclamar que o sistema é bom e o paraíso, aqui e agora, não se rende às trivialidades da aritmética. Há congressistas especializados no mercado das ilusões. Para estes, votar a favor de uma reforma da Previdência corresponderia a um recall de montadora de automóveis para trocar motor e chassis de todos os seus veículos. É a ruína. Há cidadãos, convencidos pelos fatos. Mesmo que não conheçam os números, têm uma ideia de proporção e de grandeza, aprenderam a tabuada do 10, e sabem que a conta não tem como fechar. Mas querem que tudo se resolva após estarem concretizadas suas próprias expectativas de direito. Há quem esteja se lixando para o país no pior sentido possível: o universo inteiro, com todas as suas galáxias, cabe no próprio umbigo. E que tudo mais vá para o inferno.

              Para viver do dinheiro que entra, um sistema previdenciário precisa de economia aquecida e de larga proporção de jovens em relação aos idosos. E, mesmo assim, não convive com remunerações desproporcionais, como as que se registram no Congresso Nacional. Matéria da revista Exame do dia 2 de agosto passado informou que “enquanto a proporção entre contribuintes e beneficiários do INSS é de dois por um (apenas!), na Câmara e no Senado ocorre o contrário – há dois aposentados para cada servidor na ativa. Dos 987 analistas legislativos da ativa do Senado, 471 estão no nível máximo do cargo, com salário de R$ 26,8 mil. Na Câmara, 1.036 analistas em atividade (56%) estão no nível máximo”. Entre arrecadação previdenciária e pagamento de benefícios, as duas casas têm um déficit anual de R$ 2,4 bilhões, suportados pelos pagadores de impostos.

              Perpetuar situações assim, com a extensão que tem em todos os poderes de Estado, é imprudência, imperícia e negligência, ou seja, todas as características de culpa criminosa.

  • VOO DE GALINHA

    A mídia e seus pobres leitores e ouvintes influenciados nega a informação de que o crescimento do PIB esperado para 2018 e provavelmente 2019 tem prazo de duração curto e limitado sem a realização das REFORMAS. Permanecendo o DÉFICIT DAS CONTAS PÚBLICAS, o Brasil permanece fiel à lógica do velho e conhecido VOO DE GALINHA. 

  • CEIAS DE FIM DE ANO

    A Ceia de Natal e a Festa de Ano Novo do Sheraton Porto Alegre serão celebradas com cardápios especiais assinados pelo chef Mauro Sousa harmonizados com vinhos italianos. A ceia de Natal (dia 24) contará com pratos típicos da data, enquanto que a festa de Ano Novo (dia 31) será em clima parisiense.
    A partir das 20h, no dia 24 de dezembro (domingo), o jantar natalino será servido com diversas opções de saladas, assados e pratos quentes.  A ceia será embalada por baladas natalinas como Ella wishes you a swinging Christmas, de Ella Fitzgerald, e clássicos de artistas como Nina Simone e Frank Sinatra, na voz de Melina Vaz, acompanhada do pianista Ras Vicente.
    Já a festa de Ano Novo será inspirada na Paris dos anos 1920, com direito a ilhas gastronômicas com nomes temáticos franceses como, estação Moulin Rouge (saladas),  estação Champs-Élyseés (assados)  e a ilha Tour Eiffel (sobremesas). A animação da noite ficará por conta da banda Rock Fevers, que apresentará hits do pop e rock nacional e internacional, em uma retrospectiva desde os anos 1950 até músicas contemporâneas.
    Outra tradição que será mantida no período são os almoços nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro, servidos a partir das 12h30min, com cardápios especiais em formato de buffet.

    Pacote Jante e Fique
    Opção para curtir a Ceia de Natal e o Réveillon sem preocupações de locomoção depois da festa é o pacote Jante e Fique, que oferece jantar para duas pessoas, hospedagem no hotel, café da manhã no dia seguinte e checkout tardio às 15h. Reservas e informações podem ser obtidas pelo telefone (51) 2121.6060 ou pelo e-mail portoalegrebistro@sheraton.com.

FRASE DO DIA

É uma verdade básica da condição humana que todo mundo mente. A única variável é sobre o quê.