Artigos Anteriores

AS HOMENAGENS CORRETAS

ANO XIV - Nº 007/14 -

DIA DA MULHER

Ontem, quando eu e minha esposa, Lúcia, conversávamos sobre a importância que a sociedade brasileira dá às homenagens que são prestadas aqui pela passagem do Dia Internacional da Mulher, mais uma vez ouvi ela repetir aquilo que pensa sobre o assunto.

CONQUISTA OBTIDA

Mesmo sabedora do quanto conheço a sua forma de agir e pensar, ainda assim Lúcia fez questão de reafirmar, sempre de forma categórica, que cada um é livre para festejar o que bem entende. Considerando que vivemos na parte ocidental do mundo, Lúcia prefere não se incluir entre aquelas que discriminam a mulher atribuindo-lhe uma data comemorativa. Afinal, a sempre referida igualdade de direitos já foi conquistada. Há muito tempo.

PRIVILÉGIO

Lúcia, antes de tudo, exige para as mulheres os mesmos direitos conquistados pelos homens. Exatamente por isto não aceita nem admite que cada direito adquirido se confunda e se transforme num privilégio. Daí a razão pela qual reprova, com unhas e dentes, que as mulheres tenham o privilégio, legal, de se aposentar com idade inferior à dos homens.

APOSENTADORIA

O argumento de Lúcia é simples e certeiro: como a mulher vive, em média, bem mais do que os homens, não há razão para que o benefício seja concedido a partir dos 55 anos para as mulheres, enquanto que para os é 60 anos. Um duplo erro, portanto.

PRECIFICADO

Para a Lúcia, e para todas as mulheres que têm discernimento e raciocínio, o salário das mulheres só é inferior ao dos homens porque as vantagens obtidas por lei acabam sendo precificadas. Ou seja: quanto maior o benefício concedido por lei, maiores os custos para o empregador. Coisa que, indiscutivelmente, precisa ser considerada na formação do salário.

LICENÇA MATERNIDADE

O mesmo raciocínio usado no item aposentadoria, Lúcia também aplica à licença maternidade. Daí porque reprova o projeto que tramita no Congresso, que visa esticar, de forma obrigatória, de quatro para seis meses a licença absurda. O custo, obviamente, irá para a folha. Isto não é uma luta por igualdade. É uma luta para obtenção de um privilégio.

PELA LIBERDADE

Concluímos, ao final da conversa, que não é a mulher que precisa ter uma data comemorativa. Aí fica parecida com o Natal, cuja data é esquecida tão logo os presentes são trocados e a ceia é servida. Quem precisa ser lembrada, dia após dia, é a humanidade. Independente de sexo, cor, religião e ideologia. Quem precisa mesmo ser lembrado é aquele ser humano que luta, ardorosamente, pela liberdade. Liberdade para que cada um faça o que bem entender. Desde que respeite os direitos e a liberdade do seu semelhante. Dito isto só me resta parabenizar todas as mulheres que lutam pela liberdade, pelos legítimos direitos humanos e pelo fim dos privilégios.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • BRASIL MEDÍOCRE
    Os cosméticos dos EUA terão alíquota de importação aumentada de 18% para 36%. Já os carros americanos a alíquota aumentará de 35% para 50%. A lista de absurdos contém 102 itens que serão objeto de uma dita retaliação aos subsídios ilegais americanos aos produtores de algodão do país. Pode? Viva o Brasil medíocre!
  • MAIORES
    A Receita Federal está trabalhando para criar a Divisão de Acompanhamento dos Maiores Contribuintes. A nova unidade da Receita terá inicialmente escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro, estados responsáveis pela maior arrecadação do governo federal.
  • CENSURA À VISTA?
    Com a quebra do sigilo da Bancoop, o Ministério Público e descobre que dirigentes da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo lesaram milhares de associados ao montar um esquema de desvio de dinheiro que abasteceu a campanha de Lula em 2002 e encheu os bolsos de dirigentes do PT. Eles sacaram ao menos 31 milhões de reais na boca do caixa. A turma do PT vai pedir, mais uma vez o silêncio da Imprensa.
  • CASA DA MOEDA
    A partir de hoje a Casa da Moeda do Brasil passa a ter status de Autoridade Certificadora de primeiro nível na cadeia da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras.

FRASE DO DIA

SÓ A VERDADE OFENDE.

N. Bonaparte