Artigos Anteriores

AS DECISÕES DO VILÃO

ANO XIV - Nº 007/14 -

EXTREMA-UNÇÃO

Lembram do editorial que dediquei ao reajuste automático dos combustíveis, que a diretoria da Petrobrás prometeu no momento em que o caixa da estatal recebia a extrema-unção?

MORTE LENTA

Pois, esta tentativa de salvar a Petrobrás, ou tirar a empresa das mãos estúpidas e assassinas do ministro Guido Mantega, da Fazenda, foi adiada. Ontem, para mostrar que os diretores da Petrobrás não decidem coisa alguma, o governo Dilma confirmou a minha previsão: adiou a reunião do Conselho de Administração (?) da Estatal para a próxima semana.

INFLAÇÃO

O governo, de forma muito competente, colocou na cabeça dos brasileiros e, lamentavelmente, também na mente da maioria dos jornalistas, um enorme equívoco, qual seja de que aumentar os preços dos combustíveis é contribuir com o aumento da inflação.

GASTOS PÚBLICOS

Ora, mesmo sabendo que é praticamente impossível fazer com que os brasileiros entendam o quanto vem sendo enganados, o fato, ou grande verdade, é que a inflação, no Brasil, é mera consequência das ações e iniciativas do governo, que não tem qualquer moderação com gastos públicos.

ESTRATÉGIA EQUIVOCADA

A estratégia que o governo montou para aumentar a demanda, usando o crédito e as desonerações como alavancas principais, deixou evidente o total descasamento na ponta da oferta. Ora, com mais procura e menos oferta, o equilíbrio se dá pelo aumento dos preços dos produtos e serviços.

INGREDIENTES

Como a taxa de investimento é extremamente baixa, a carga tributária é por demais elevada, e o governo gasta mais do que arrecada, o prato para servir a inflação já fica cheio. Se somarmos tudo isso e mais um pouco às intervenções que o governo constantemente faz na economia, aí temos um ambiente explosivo.

VILÃO

Infelizmente, como se vê, sempre há um vilão para explicar a elevação dos preços. E em nenhuma oportunidade o governo é citado como o grande e único responsável pela inflação. Aliás, não precisamos ir longe: no Chile, Colômbia, Peru e Panamá, por exemplo, a taxa de inflação tem se mantido em patamares extremamente baixos. E em todos esses países não há controle de preços dos combustíveis. Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FOMC
    Divulgada ontem a ata da última reunião do Fomc, comitê de política econômica do Fed (banco central norte-americano), o documento mostrou que os dirigentes do Fed esperam começar a reduzir o programa de compras de US$ 85 bilhões ao mês em bônus nos próximos meses.
  • VOO INAUGURAL
    O voo inaugural que vai ligar Porto Alegre a Miami, da American Airlines, decola hoje, 21, do Miami International Airport, às 23h, e pousa amanhã, 22, na capital gaúcha, quando, às 12h30min, faz a sua primeira viagem aos EUA, com lotação esgotada. Quem sai de Porto Alegre direto vai ganhar quatro horas (tempo perdido em função da conexão em São Paulo). O valor médio do bilhete é de U$ 1,1 mil.
  • DIFA
    As entidades que compõem o -Chega de Mordida- reafirmam que a cobrança da DIFA não existe mais desde o dia 13 de setembro, data em que a Assembleia Legislativa derrubou o decreto que instituía a cobrança. Portanto, o tributo, que venceria neste dia 20 de novembro, não deve ser pago. A recomendação aos empresários que sentirem-se desconfortáveis com esta decisão é que façam o depósito em juízo.O movimento Chega de Mordida é formado pela CDL Porto Alegre, Federasul, AGV e Movimento Lojista.
  • TERMÔMETRO DE VAREJO
    -Segundo o Termômetro do Varejo, índice de faturamento mensal divulgado pelo Sindilojas Porto Alegre, o crescimento no setor de materiais de construção foi de 15,96% entre janeiro e outubro deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. O levantamento junto aos lojistas do segmento mostra que manutenção do emprego, acesso facilitado ao crédito para reformar e construir e a ascensão da classe média são alguns dos fatores responsáveis pelo aquecimento do setor.Outro segmento pesquisado é o de vestuário, que apresentou crescimento acumulado de 2,79% nestes dez meses. O Natal deve impulsionar o aumento deste índice já que roupas são, conforme já demonstraram pesquisas da Entidade em anos anteriores, a opção preferida dos consumidores na hora de presentear.

FRASE DO DIA

O erro é a noite da inteligência e o laço da inocência.