Artigos Anteriores

ANTEVENDO MAIS PROBLEMAS

ANO XIV - Nº 007/14 -

RISCO NATUREZA

Dias atrás escrevi sobre o risco produzido pela natureza, onde as variações climáticas muitas vezes se apresentam como uma forma de difícil administração. Os períodos de estiagem, dependendo do solo, ainda podem ser controladas por sistemas corretos de irrigação. Já as inundações são bem mais difíceis.

PREVISÕES COMPLICADAS

Como a maioria dos agricultores gaúchos desdenharam as previsões do tempo e mostraram pouca capacidade para enfrentar a estiagem, apesar das informações fornecidas pelos meteorologistas americanos, imaginem o que vão fazer com as inundações, como já prevêem os australianos para a América do Sul.

A LEI DAS PROBABILIDADES

Pois é bem isto que pode acontecer. Caso se confirmem as previsões do Instituto Australiano de Meteorologia, como informa o leitor atento Ewandro Puggina, estamos fritos, ou melhor, molhados. Eis o informe: - Fenômenos tipo El Nino podem provocar seca na Austrália e inundações na América do Sul, com probabilidade entre 30% e 50% de ocorrência. Ou seja, o risco é o dobro do que seria de esperar para esta época do ano -. Embora ninguém queira que isto aconteça, o mais importante é observar a lei das probabilidades.

AO CONTRÁRIO

Todos os brasileiros certamente ainda lembram da frase do então ministro Ricupero, quando disse: - O bom a gente fatura. Já o ruim não se comenta -. Agora, já entrando no clima eleitoral de 2006, corremos o sério risco de fazer o contrário. Pelo que se ouve e lê, o país pode ficar com o mal e deixar pra lá o que está mais certo.

VOLTA FMI !

O lado mais correto, o macro-econômico, está sendo constantemente bombardeado pelas oposições e pelos próprios aliados(?) do governo. Como a tradição nos informa, é quase certo que vamos, mais uma vez, ceder ao fracasso. Gente, estamos praticamente prontos para abandonar tudo aquilo que foi conquistado no sentido de obtermos alguma credibilidade junto ao mercado internacional. A continuar assim, o próximo passo será, de novo, pedir ajuda ao FMI.

PAÍS COMPLICADO

Enquanto matamos o tímido sucesso, os nossos graves problemas continuam intocáveis, pela condução da micro-economia. Não flui, pois faltam soluções suficientes para que os negócios aconteçam. E, por outro lado sobram medidas assistencialistas que só provocam gargalos e obstáculos intransponíveis.

PARA O INFERNO

Como se isto não bastasse, no âmbito do governo só acontecem reuniões festivas com representantes fracassados. As fotos e as declarações de Kirchner, Hugo Chávez e Lula mostram o caminho que estamos metidos. Somos tão ruins quanto qualquer um de seus países. Partimos para uma verdadeira caminhada para o nada, ou para o inferno. Confesso,. inclusive, que já cansei de ouvir falar em Mercosul e com a possibilidade de ver acontecer esta besteira. Esta hipótese, gente, já foi retirada de qualquer sonho de inocentes.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • FESTIVAL DO TURISMO
    O próximo Festival do Turismo de Gramado, que acontecerá de 17 a 20 de novembro, em Gramado, RS, terá representantes em vários países da América Latina. O trabalho terá enfoque em países como a Colômbia, Peru, Equador, Chile, Uruguai, Argentina, Paraguai Bolívia e outros. Nestes países o evento está formatando parcerias para chamar atenção do mercado local a investir no evento. ?O Festival está apostando no mercado latino americano, considerando a grande demanda de turistas destes países?, destacam as organizadoras do evento.
  • FEIRA
    De 21 a 29 de maio, acontece a 10ª Feira Riograndense de Arquitetura de Interiores e Imóveis. O evento foi criado em 1997 e que atinge hoje 6.000 m2 ocupando o 3º piso do Shopping Iguatemi, em PA. A feira nestes anos se consolidou como referência na comercialização/exposição/divulgação de profissionais, produtos, marcas e serviços do setor de decoração e arquitetura. Na edição de 2005 o SEBRAE estará apoiando a indústria moveleira do Litoral Norte, Vale do Caí e Vale dos Sinos.
  • VINHO GAÚCHO
    A produção vitivinícola na Metade Sul do Estado, que vem crescendo nosúltimos anos, deverá ganhar um aliado importante na conquista de novos mercados internacionais. Fruto de um trabalho conjunto entre a Emater, Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e Embrapa, os nomes Região da Campanha e Serra do Sudeste, como indicação de procedência geográfica,deverão estampar os rótulos das garrafas com a produção das duas regiões, assim como já acontece com os vinhos produzidos no Vale dos Vinhedos, na Serra gaúcha, desde 2001.
  • TAP
    Aconteceu hoje, 10, a edição gaúcha do evento \"TAP voa mais alto\", no Porto Alegre City Hotel. Durante o evento, a gerente regional de vendas da empresa portuguesa, Maria João Raupp, apresentou os bons resultados alcançados pela companhia aérea européia que mais voa para o Brasil, no país e em Porto Alegre. O faturamento da TAP no Brasil aumentou 33% em 2004, com relação a 2003. E no primeiro trimestre de 2005, 13% a mais do que no mesmo período de 2004. A taxa de ocupação das aeronaves que realizam os vôos de e para o Brasil foi de 78% em 2003, de 80% em 2004 e no primeiro trimestre de 2005está em 85%. Atualmente, a empresa realiza 39 freqüências semanais do Brasil para a Europa em aeronaves próprias, possibilitando ainda realizar 10 vôos em code share a partir de São Paulo e Rio de Janeiro. A partir de junho, com o reforço da linha de Natal, que passa de 4 para 5 freqüências semanais, a TAP passará a oferecer um total de 50 vôos por semana a partir do Brasil. Aí está mais uma vantagem para quem está no nordeste do Brasil: a viagem para a Europa dura de 5 a 6 horas. Que tal?

FRASE DO DIA

A ABELHA E A VESPA SUGAM AS MESMAS FLORES. MAS NÃO FAZEM O MESMO MEL.

Anônimo