Artigos Anteriores

AGONIA FISCAL

ANO XIV - Nº 007/14 -

ÚNICA SAÍDA

A equipe econômica do governo Temer tem se desdobrado como pode para convencer a maioria dos deputados e senadores de que a única porta que restou para melhorar (não resolver) os gravíssimos problemas econômico-financeiros que atingem as nossas contas públicas é a APROVAÇÃO DAS REFORMAS. Notadamente a REFORMA DA PREVIDÊNCIA. 

FALTOU A MÍDIA

Pois, ainda que esta turma seja a grande responsável pela melhora e/ou recuperação do nível de confiança na nossa economia, o que mais lamento é a falta de percepção de que, bem antes de convencer deputados e senadores, é preciso convencer a mídia.  

INFLUÊNCIA

Sabe-se, perfeitamente, que em países de baixa escolaridade a mídia exerce um papel de enorme influência na maioria da população. Com isso, grande parte dos nossos parlamentares, que só tem olhos e ouvidos voltados para a próxima eleição, fica de olho na mídia para decidir seu voto.

SEM ALTERNATIVA

Como a situação fiscal do país, assim como de vários estados, atingiu um patamar simplesmente insuportável, e a carga tributária idem,  não resta outra alternativa: ou o Congresso muda a Previdência, cujo ROMBO previsto para este ano (2017) encosta nos R$ 400 BILHÕES; ou será necessário aumentar ainda mais o endividamento público, que nada mais é do que o IMPOSTO A PRAZO, com consequências muito mais sérias a frente.

TÍTULOS PODRES

Vejam que o MAL PREVIDENCIÁRIO não atinge apenas o governo federal. Que o diga o complicadíssimo Estado do RS, cujas contas públicas estão corroídas pela despesa com servidores aposentados. Com um detalhe: os estados não emitem títulos públicos para se financiarem. E se isto fosse possível, certamente não haveria tomadores para títulos tão podres. 

SUGESTÃO

Aliás, dentro desta lógica faço aqui uma sugestão: todos aqueles que se manifestam contra as privatizações e/ou reformas deveriam ser obrigados a investir todos os seus recursos, sejam em forma de Fundos de Pensão ou investimentos individuais,  em títulos de empréstimos/financiamento de empresas públicas e Estados falidos.  

EXIGÊNCIA

Melhor ainda: por coerência, exijam dos administradores dos Fundos de Pensão aos quais pertencem, para que mandem vender todos os títulos/ações de empresas privadas e, de imediato, apliquem 100% dos recursos apurados em aquisições de ações de estatais e/ou em contratos de financiamento de Estados falidos pela previdência. Que tal?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • VOCE SABIA???

    - São 154 empresas estatais federais (elefantes brancos) e suas centenas de subsidiárias onde existem algumas curiosidades, tais como: empresas com patrimônio líquido (PL) negativo e outras empresas dependentes exclusivas do tesouro nacional. Por que não iniciar a privatização ou extinção das empresas com PL negativo e dependentes exclusivas do tesouro nacional?

    Você talvez não saiba, mas precisa saber, que...
    - Em 2016 o tesouro nacional colocou R$ 15,0 bilhões na lixeira das estatais dependentes exclusivas do tesouro nacional e está orçado colocar mais R$ 18,4 bilhões em 2017 (anexo 3.7).
    - Em 2016 a dívida das estatais era de R$ 437,0 bilhões (anexo 4.1).
    - Em 2015 as empresas com patrimônio líquido negativo totalizaram passivo a descoberto da ordem de R$ 24,6 bilhões (anexo 6.5).
    - Em 2016 o quadro de servidores ativos das estatais era 534.216, cujo crescimento foi de 25% em relação ao ano de 2006 (anexo 6.9).
    - Em 2016 somente nas empresas dependentes exclusivas do tesouro nacional tinha um efetivo de 73.169 servidores ativos, cujo crescimento foi de 126% em relação ao ano de 2006. (Ricardo Bergamini)
     

  • BALANÇO BANRISUL

    O Banrisul alcançou, no primeiro semestre de 2017, lucro líquido de R$ 316,2 milhões O resultado recorrente registrou R$ 367,5 milhões, 5,7% abaixo do apurado no mesmo período de 2016. A rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido médio foi de 11,6%. 

FRASE DO DIA

A ESSÊNCIA DO PENSAMENTO LIBERAL ESTÁ NA NEGAÇÃO DE TODO PRIVILÉGIO.

Hayek