Artigos Anteriores

ADMINISTRANDO OS RISCOS

ANO XIV - Nº 007/14 -

RISCO CAMBIAL

Em todas as oportunidades que falo e opino sobre câmbio, defendendo a livre flutuação das moedas, sempre recebo algumas críticas. Alguns reclamam, até com razão, que a excessiva volatilidade de preços do real tira a capacidade de formar corretamente o preço dos produtos a serem exportados. Talvez desconheçam o que o mercado oferece para diminuição destes riscos.

TRADIÇÃO

Outros, porém, por pura tradição, sempre entendem que risco cambial é assunto exclusivamente governamental, nunca para empresas e empresários. O que, por sua vez, define um baixo nível de conhecimento sobre administração de riscos, de mercados e da própria empresa.

RECLAMANDO DO QUE?

Para estes e outros inconformados com a apreciação do real frente ao dólar, cabe uma informação importante: uma moeda só se valoriza quando as coisas vão bem naquele país. E a desvalorização, naturalmente, sempre acontece quando as coisas vão mal. A nossa situação atual, gente, mostra que o Brasil está melhorando economicamente. O BC, por sua vez, está fazendo o que há de mais correto. E, pasmem, é exatamente por isso QUE a sociedade está reclamando. Pode? Isto quer dizer, claramente, que gostamos e aplaudimos tudo quando as coisas vão mal. Muito mal. Pode?

SWAP CAMBIAL

Para enfrentar os problemas acima mencionados devemos saudar a chegada, finalmente, da maioridade no mercado de câmbio no Brasil. Com as operações de swaps, iniciadas ontem na BM&F, é possível ficar ativo em dólar e passivo em juros. Assim, as empresas exportadoras já dispõem de um mecanismo eficiente para se defender das oscilações mais significativas. Além de entender de mercados de produtos e serviços, sugiro que os exportadores passem a conhecer melhor o mercado financeiro. E comecem a usar os instrumentos existentes.

SÍMBOLOS DE LIBERDADE

Das 25 invenções que mais revolucionaram os últimos 25 anos, a Internet foi a resposta unânime de um grupo de pesquisadores e especialistas reunidos pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets. Não é por nada que a Internet é um grande símbolo de liberdade, criado e desenvolvido, obviamente, por um país capitalista.

SÓ A COCA COLA?

As demais (24 seguintes), sem surpresas também foram descobertas por países capitalistas. Pela ordem: o Telefone Celular, o Computador, a Fibra ótica, o GPS (Sistema de Posicionamento Global), o Laptop, o CD, a Câmera digital, etc... Quase todas, como constatado, foram muito utilizadas no Fórum Social Mundial, mas só a Coca Cola foi proíbida. Qual a razão?

URSO LUGUITO

O chocolate Lugano está marcando a abertura da sua primeira loja temática com uma novidade: o Urso Luguito. A Casa de Luguito fica no bairro Carniel, em Gramado, RS, e a entrada da loja é a barriga do próprio Luguito, o qual abre e fecha os olhos, estando rodeado por um colorido jardim e locais especiais para fotografias. Bela iniciativa que terá sucesso para o período da Páscoa que vem aí. Parabéns.

CARGOS

A partir de 1º/02/2005 o Eng° Sérgio Coelho da Silva deixou o cargo de Presidente e Diretor de Operações do Univias para se dedicar às questões do setor de concessões rodoviárias através da presidência da AGCR - Associação Gaúcha das Concessionárias de Rodovias. Sérgio será o responsável pelas questões relacionadas ao reequilíbrio dos contratos de concessão rodoviária junto ao Governo do Estado. Assume a presidência do Univias o Eng° Marcos Picarelli Ferreira, que deixa a diretoria da Construtora Sultepa.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

FRASE DO DIA

O DINHEIRO NÃO É TUDO. TUDO É FALTA DE DINHEIRO.

Millor