Artigos Anteriores

A RECLAMAÇÃO CORRETA

ANO XIV - Nº 007/14 -

OPINIÃO FUNDAMENTADA

Ao longo dos últimos anos tenho ficado praticamente sozinho em defesa da política monetária do governo, traduzida, é verdade, em juros altos. E vou continuar defendendo com afinco esta mão forte até que as verdadeiras causas da nossa longa e crônica vulnerabilidade sejam combatidas e debeladas. A sociedade como um todo, sabidamente, não concorda com a minha opinião. Por isto manifesta-se sempre contra as taxas definidas pelo COPOM, assim como também não aceita a flutuação cambial. Alerto, no entanto, que não basta gostar ou odiar. Se houver afrouxamento na política monetária e fiscal antes das reformas necessárias, vamos ter problemas muito sérios. Coisa que ninguém admite que se fale ou comente. Observem o meu raciocínio:

RACIOCÍNIO

1- Há quem diga, com razão, que o tamanho da dívida vai continuar crescendo bem acima do superávit fiscal que estamos obtendo. Perfeito. O percentual das taxas de juros sobre uma dívida muito alta promove este descasamento e até anula o esforço obtido. Isto prova que, enquanto nada for feito, e de forma definitiva para diminuir os gastos governamentais (causa maior que impõe taxas de juros elevadas), o tempo estará sempre correndo contra nós. E junto com ele a dívida interna, a qual apontará para um patamar onde algum tipo de calote será inevitável.

PENSANDO POR ESCRITO

2- Não quero ser considerado, por este raciocínio, como um catastrofista, mas alguém que está pensando seriamente, por escrito. Se entenderem que há exagero, esqueçam. Mas se prestarem atenção, creio que chegarão a conclusões parecidas. Para tanto, observem o seguinte: a nossa dívida externa é insignificante perto do todo. Não alcança R$ 200 bi e está bem negociada e distribuída no tempo. Não há risco, neste particular, de não podermos honrar os pagamentos. Já a dívida mobiliária interna, por volta de R$ 915 bi, e que não representa o total, mas só a que está no mercado, tem perfil mais concentrado de vencimentos.

DECISÃO DE CAIXA

3- Sem as reformas necessárias, o percentual desta dívida, sobre o PIB, acabará levando os investidores a um ponto no futuro, sem data marcada, de recusa em financiar o governo. Pronto. O suficiente para que um calote de prazo ou de valor seja aplicado. Certamente será parcial no início. Mas, o fato de deixar de pagar um só título na data do seu vencimento, já contamina o restante. Nunca se pode duvidar disto, pois acontece até com pessoas físicas ou empresas que estão com problemas de liquidez. E o simples fato de não pagar em dia já é um calote de prazo. Mais: não precisa ser uma decisão de governo, mas de caixa.

CONCLUSÃO

Então, vamos à conclusão do raciocínio: (a)- Antes que o governo tome, por ventura, a simples atitude de diminuir as taxas de juros, como todos querem e exigem; (b) antes de agravar mais ainda a dívida; e, (c) antes de desmontar este esforço para segurar a inflação, temos as seguintes saídas, que aí a sociedade mais exigentes deveria perseguir.

SAÍDAS A PERSEGUIR

A primeira é fazer as reformas urgentes atingindo as causas. A segunda é vender o mais rápido possível as estatais e, com os recursos, baixar o tamanho da dívida. A terceira é impedir desde já uma repetição futura do problema, o que admite uma séria DIMINUIÇÃO DE GASTOS DO GOVERNO, urgentemente. Só estas providências baixam fortemente os juros, diminuem a dívida/PIB e afastam definitivamente o calote. Ou vamos por este caminho ou nunca sairemos da cova, até agora chamada de UTI. Escolham.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • MERCOPAR 2005
    A 14ª edição da Feira de Subcontratação e Integração Industrial -Mercopar 2005- já tem a confirmação das presenças de 250 expositores, entre eles 25 empreendedores da Turquia, Estados Unidos, Taiwan, Espanha e Argentina. Os organizadores prevêem a participação de 350 empreendimentos no evento, que poderá atrair mais de 23 mil visitantes para a cidade de Caxias do Sul,RS. A exposição acontecerá de 18 a 21 de outubro, das 14h às 21h, nos Pavilhões da Festa da Uva. A feira é realizada pelo SEBRAE/RS.
  • EDUCAÇÃO
    A Junior Achievement atinge cerca de 170 mil alunos em 20 Estados Brasileiros. Um quarto deste total está no RS. A instituição é responsável pela aplicação de mais de 15 programas de educação empreendedora em escolas da rede pública e privada do Estado.
  • PARCERIA
    A TAP Portugal estabeleceu com sua parceira da Star Alliance, a United Airlines, um acordo - em vigor a partir do dia 12 de setembro - que oferecerá aos clientes a possibilidade de viajarem para um conjunto de destinos nos EUA, nos vôos operados em code-share. Ambas as companhias compartilharão os seus códigos nos vôos transatlânticos, oferecendo assim aos passageiros uma variedade de opções entre Portugal e os Estados Unidos, através de Newark, Londres (Heathrow), Frankfurt, Munique, Amsterdam, Bruxelas e Zurique.
  • EXPOINTER
    A Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) e da Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM) estarão juntas, como expositores, na EXPOINTER 2005, que será realizada no período de 27 de agosto a 4 de setembro, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Estarão ocupando um amplo estande com 100 m² de área localizado, na Quadra 13, Lote 01, em frente à Pista de Ovinos.
  • CENTRAL DE IMPRENSA
    O Grupo Gerdau e o Governo do Estado do RS realizam amanhã, 24, às 10h, a inauguração da nova Central de Imprensa no Parque de Exposições Assis Brasil. O prédio de 450 metros quadrados, construído junto à pista central de eventos, possui um auditório com capacidade para 70 pessoas, duas salas de redação, escaninhos para exposição de releases, sala específica para fotógrafos com locais privativos para equipamentos, copa de apoio, sala administrativa, 13 cabines de transmissão para rádio e televisão e uma cabine especial para abrigar autoridades. A obra, financiada pelo Grupo Gerdau, faz parte do projeto de renovação do Parque de Exposições e oferece maior infra-estrutura ao trabalho da imprensa.
  • JOVEM CIENTISTA
    Ainda dá tempo de garantir um lugar de destaque entre os jovens pesquisadores brasileiros. O prazo para as inscrições no XXI Prêmio Jovem Cientista (PJC) termina no próximo dia 31. Profissionais graduados e estudantes dos ensinos médio e superior estão convidados a elaborar trabalhos a partir do tema geral, Sangue: Fluído da Vida, e efetuar suas inscrições pelo site www.cnpq.br/jovemcientista ou pelos Correios.
  • TÁ NA MESA
    O diretor de relações com investidores da Copesul, Bruno Piovesan, é o palestrante do Tá na Mesa da Federasul desta quarta, 24. O tema: \"A gestão da empresa campeã em retorno para acionistas\". Das 12h30min às 14h no Salão Nobre (7º andar) do Palácio do Comércio.
  • PRÊMIO EXCELÊNCIA
    A Gráfica Posigraf, de Curitiba, foi uma das vencedoras do 3º Prêmio de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho, edição 2005, pelo trabalho de impressão da Revista Florense. A publicação da Fábrica de Móveis Florense classificou-se na categoria revistas institucionais, sendo aprovada nas avaliações técnica e de criação previstas no regulamento do prêmio instituído pela indústria gráfica do Paraná. A comissão julgadora observou as características, acabamento, recursos especiais e qualidade geral do impresso, além da criatividade e funcionalidade do projeto.O Prêmio de Excelência Gráfica tem como objetivo estimular a qualidade e incentivar a criatividade em todos os segmentos da indústria gráfica paranaense.

FRASE DO DIA

UMA CONSTITUIÇÃO DEVE SER FEITA DE MANEIRA A NÃO CERCEAR O GOVERNO E NÃO OBRIGÁ-LO A VIOLÁ-LA.

N.Bonaparte