Artigos Anteriores

A REAÇÃO HONDURENHA

ANO XIV - Nº 007/14 -

EXPULSO

Se até agora os povos da América Latina se mostravam frouxos, simpáticos e muito condescendentes com os neo-ditadores, pelo menos em Honduras a reação foi outra: ontem, o presidente Manuel Zelaya, que tudo queria, acabou expulso.

APLAUSOS

Não tenho a mínima idéia das pretensões do povo e, principalmente, das Forças Armadas de Honduras sobre o futuro daquele país. Mas, só pelo fato de terem se livrado a tempo do declarado neo-ditador, já merecem aplausos.

NOVA VENEZUELA

Tudo leva a crer, por enquanto, que o motivo da expulsão de Zelaya foi mesmo o seu firme desejo de querer transformar o país hondurenho numa nova Venezuela.

OUTRO CHÁVEZ

O presidente Manuel Zelaya, para quem ainda não sabe, a exemplo de outros líderes latinos nunca escondeu as sérias pretensões de vir a ser um outro Hugo Chávez. As Forças Armadas de Honduras, atentas ao interesse do neo-ditador, impediram a tempo a manobra.

ATITUDE SALVADORA

É compreensível a dificuldade em apoiar atitudes militares que derrubam governos. Principalmente, porque essa prática já foi rotineira entre os povos da nossa América Latina. No entanto, quando a democracia está a perigo, como é o caso de Honduras, ou como se imagina, a atitude precisa ser vista até como salvadora.

REAÇÃO BRASILEIRA

O governo brasileiro, como já era esperado, em momento algum se preocupou em analisar o sério risco que Honduras corria de vir a ser tutelada por Zelaya. Por isso se apressou em condenar o episódio hondurenho.Como apóia, incondicionalmente, os atos praticados pelos amigos Fidel, Chávez, Morales, Kirchner, Correa, Lugo, etc., além de também elogiar de forma incrível o governo do Irã, em momento algum condenaria as pretensões do presidente hondurenho. Para o governo brasileiro, o salvador da Pátria de Honduras era Zelaya. Só podia.

FAZER DE TUDO

Se alguém ainda tem dúvidas, e está pendendo para o lado que condena o desfecho de ontem, em Honduras, basta observar o sentimento de Hugo Chávez. O homem ficou possesso. Solidário com o amigo destituído, Chávez disponibilizou um avião venezuelano para levar Zelaya para a Nicarágua. E disse alto e bom som que vai fazer de tudo para que Zelaya volte ao Poder de Honduras. Pra mim isso já é mais do que suficiente para ver quem está com a razão.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ALERTA
    O risco da volta do déficit público no RS, em 2009, foi o alerta feito pelo presidente da Federasul, José Cairoli, no encerramento do 7º Congresso das Entidades Filiadas à Federasul neste final de semana, em Gramado. Diante da ameaça já percebida através do menor desempenho na arrecadação do ICMS nos primeiros cinco meses do ano, Cairoli pediu rigor no controle dos gastos públicos principalmente na concessão de reajustes salariais e afirmou que o governo não pode ceder ao assédio dos poderes sobre o orçamento público.
  • CONTRA
    O presidente Lula condenou o que considera um golpe de Estado em Honduras. E afirmou que o Brasil não aceitará o novo governo do presidente hondurenho interino, Roberto Micheletti, que assumiu o cargo depois que soldados prenderam o presidente eleito Manuel Zelaya, no domingo, e o enviaram para o exílio na Costa Rica. Que tal?
  • PARTIDO FEDERALISTA
    Está na reta final a coleta das assinaturas de apoio ao registro do Partido Federalista no TSE. A coleta está sendo profissionalizada para otimizar os trabalhos, com coletores espalhados em algumas capitais. O mote:Você quer o Brasil? Então, por favor, não espere, aja agora mesmo e venha para o Clube dos Cem.
  • REFORMAS
    O Banco de Compensações Internacionais (BIS) alertou que a esperada recuperação global pode ter vida curta, caso as reformas estruturais e financeiras necessárias sejam diluídas ou interrompidas. Tomara que o Brasil entenda que as reformas pendentes por aqui também são indispensáveis.

FRASE DO DIA

É MELHOR FAZER APROXIMADAMENTE AGORA DO QUE NÃO FAZER NUNCA.

Autor Desconhecido