Artigos Anteriores

A PROVA DA DESTRUIÇÃO

ANO XIV - Nº 007/14 -

PROVA DEFINITIVA

Ontem, através do mega-apagão elétrico que atingiu praticamente todo o Brasil, o governo Dilma-neocomunista-petista deu a prova definitiva, ao mundo todo, do quanto sabe planejar e executar, de forma cirúrgica, a destruição econômica de um país. 

SEM ERRO

Pelos frutos colhidos até o presente momento fica mais evidente ainda que basta cumprir a Matriz Econômica Bolivariana para que magníficos resultados de destruição apareçam a curto e médio prazo. O projeto, como se percebe, é certeiro, ou seja, não admite qualquer margem de erro. 
 

UM POUCO DE ANIMAÇÃO

O que nos anima um pouco, se é que isto ainda é possível neste mar revolto de incompetência e corrupção que atinge o país, são os propósitos do ministro da Economia, Joaquim Levy, que dá noções de que (não se sabe se é para valer), a Matriz Destrutiva, que já levou a Venezuela ao caos total, está sendo abandonada.  

REFORMAS

Entretanto, o que me deixa pouco animado é que as decisões propostas por Levy, que de forma incessante busca o equilíbrio das contas públicas, só acontecem pela via do triste aumento de impostos e contribuições. Fazer reformas, fechar ministérios, cortar privilégios e/ou gastos absurdos, Levy não fala. 

RENÚNCIA AO AUMENTO DE SALÁRIO

Saindo do âmbito nacional, e entrando no Estado do RS, ontem o governador José Ivo Sartori e seu vice, José Paulo Cairoli, pressionados e constrangidos, resolveram renunciar (por prazo indeterminado) ao aumento de seus salários. Ainda que a atitude deva ser festejada pelo seu simbolismo, o lamentável é que  a decisão foi tomada por pressão. Ou seja: a marca ruim da aceitação inicial do reajuste não sai com água e sabão. 

NOTA DE MARCEL VAN HATTEN

O Governador Sartori acaba de anunciar que ele e seu vice Cairoli abrirão mão do reajuste nos seus vencimentos. Eu já havia declarado ser CONTRA os aumentos e, como deputado estadual, TAMBÉM ABRIREI mão da diferença.
Fico satisfeito com a grandeza demonstrada pelo governador, ainda mais em um período de duríssima crise financeira, agravada pela má gestão do governo passado. Espero que os demais Poderes também sigam nessa linha. 

O impacto nas finanças públicas desses gestos pode ser muito pequeno, mas o exemplo precisa ser dado. O RS tem jeito e faremos todo o possível para recolocar o Estado nos trilhos do desenvolvimento, com
um governo menor e mais eficiente.

 

NOTA DE TIAGO SIMON

Em solidariedade ao governador, digo não ao aumento.
Em consonância com as aspirações dos gaúchos e em solidariedade ao Governador José Ivo Sartori e ao vice-governador Cairoli, que acabam de renunciar ao reajuste nos seus vencimentos, eu faço o mesmo.

A difícil situação econômica pela qual o estado atravessa, pede exemplos de austeridade e coerência. Não é hora para aumentos de salário.
Na última quinta-feira, dia 15 de janeiro, eu já havia colocado minha opinião sobre a renúncia ao aumento, durante reunião do governador com os deputados da base.

Acredito no potencial do Rio Grande e sei que unindo esforços, acima de ideologias ou vontades pessoais, conseguiremos traçar o caminho para sair da crise e recolocar o Estado no patamar em que merece estar. É neste sentido que quero iniciar meu mandato como deputado estadual, com um gabinete aberto e fazendo política de forma transparente, representando verdadeiramente os interesses do povo gaúcho e seguindo o exemplo de um dos políticos mais coerentes e austeros que o país já conheceu, Senador Simon. Durante 25 anos renunciou ao seu direito de receber o salário de governador. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PETROBRÁS

    Em defesa apresentada ao Tribunal de Contas da União, o ex-presidente da Petrobrás José Sergio Gabrielli pede para ser excluído, junto com outros dez ex-integrantes da Diretoria Executiva da estatal, do processo que determinou que o bloqueio de bens dos executivos responsáveis pela compra da refinaria de Pasadena, nos EUA.

    Caso o pedido não seja aceito, Gabrielli solicita que o Conselho de Administração, que autorizou o negócio em 2006, seja responsabilizado pelo prejuízo da compra e tenha o mesmo tratamento dos ex-diretores: todos precisam ser ouvidos no processo e ter o patrimônio congelado.(ESTADÃO)

  • APAGÃO

    Ontem, o operador nacional do sistema elétrico (ONS) ordenou que as distribuidoras cortassem o abastecimento devido a um alto pico de demanda. As distribuidoras foram forçadas a reduzir o fornecimento de energia, uma vez que o pico da demanda subiu às alturas, em virtude das elevadas temperaturas. O ONS ordenou que as distribuidoras das regiões Sudeste e Sul do país cortassem temporariamente o fornecimento de energia para determinadas áreas.

    O corte no abastecimento se destinou a oferecer algum alívio ao sistema de energia, evitando assim o risco de um dano nas turbinas.

  • 20 BI

    Os aumentos de impostos anunciados pelo governo Dilma devem resultar em R$ 20 bilhões a mais nos cofres públicos. Ou R$ 20 bi a menos nos bolsos dos pagadores de tributos.

  • LINHA GOURMET

    A linha gourmet da famosa marca italiana de massas Barilla, Academia Barilla, é a novidade de início de ano da rede Zaffari e Bourbon. Os produtos levam ingredientes selecionados e são fabricados sob rigorosos critérios de qualidade que visam à manutenção do sabor original das massas e da tradição artesanal da gastronomia italiana.

    Importada da Europa, a linha chega à rede nas versões spaghetti, fusilli, penne e linguini. Os produtos estão disponíveis nas grandes lojas da rede na Capital e no Bourbon Canoas e Hipermercado Bourbon em Novo Hamburgo.

FRASE DO DIA

Não acredito em derrotados, mas sim em acomodados!