Artigos Anteriores

A MESMA LADAINHA

ANO XIV - Nº 007/14 -

ENÉSIMA VEZ

Ontem à noite, ao discursar na festa de comemoração dos 34 anos do PT, em São Paulo, a presidente Dilma, pela enésima vez e com o entusiasmo de sempre, desancou o pau naqueles que criticam o (equivocado) modelo econômico petista.

FORA DA CASINHA

Completamente cega, alheia à realidade e -fora da casinha-, Dilma disse, alto e bom som, que seu governo está conseguindo construir esse novo Brasil sem abrir mão do controle da inflação, do equilíbrio das contas públicas e da responsabilidade fiscal.

SAÚDE MENTAL ABALADA

Pois, pela enésima vez, como crítico assumido que sou deste modelo petista-econômico totalmente esgotado (como referi no editorial de ontem) volto a informar que, pelas declarações insistentes e costumeiras que faz, Dilma mostra estar com a sua saúde mental fortemente abalada.

METEOROLOGIA

Pelo que vive dizendo Dilma mostra desconhecer totalmente quais as razões que devem ser levadas em conta antes que alguém possa vir a ser chamado de pessimista e/ou otimista.

PREVISÕES TÉCNICAS

Fico imaginando, por exemplo, como Dilma classifica os profissionais da meteorologia quando estes se pronunciam sobre o comportamento do clima. Assim como critíca economistas por fazerem previsões absolutamente TÉCNICAS, Dilma também deve desancar o pau nos meteorologistas que, através de mapas de satélite informam a probabilidade de ocorrência de chuvas ou a falta delas.

DIPLOMADA

Se na arte de mentir o PT já mostrou que a maioria de seus membros são mestres com PhD, pelos discursos que tem feito Dilma está pronta para receber o seu diploma. Ela se mostra tão identificada a ponto de não mencionar a palavra Mensalão no ambiente petista assim como não fez qualquer referência às atitudes criminosas de Henrique (ou Celso) Pizzolato.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

A lamentável morte do cinegrafista da TV Bandeirantes, que a imprensa toda está estampando, mostra, claramente, que enquanto não há sangue nada acontece. É preciso que alguém morra para que algo seja discutido (não resolvido, infelizmente). Sempre estive certo de que a palavra -MANFESTAÇÕES- não cabe para os movimentos que estão acontecendo nas ruas do país. E que polícia deve agir sem piedade contra bandidos. Pois, a própria imprensa, na maioria das vezes, tem se colocado contra a polícia e a favor de bandidos, como se estes fossem anjinhos. Aí está a resposta: um cinegrafista morreu. E por alguns dias a imprensa fustigava a ideia de que o rojão poderia ter sido atirado por policiais. Bah...

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PESSIMISTA?
    O Presidente do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) e fundador e sócio da Natura, Pedro Passos deve estar sendo escorraçado pela presidente Dilma como exemplo de pessimista. Para Passos, o ambiente econômico está muito prejudicado no país: a taxa de investimento é muito baixa, o clima de confiança não existe, falta direção, disse em entrevista publicada na edição dominical do Estadão.
  • FRITO
    Para Passos, as decisões e as metas de política econômica não são claras e é preciso reconhecer que o modelo se esgotou e que precisamos lançar outro. O homem está frito, não?
  • DIREITOS HUMANOS
    Não ouvi palavra alguma da ministra dos DIREITOS HUMANOS sobre a morte do cinegrafista da Band TV. Se fosse o contrário, um manifestante morto, estaria louca de raiva e estrebuchando.
  • PREJUIZO
    O saldo da greve dos rodoviários de Porto Alegre foi calamitoso para o comércio: os lojistas deixaram de faturar mais de R$ 150 milhões. Que tal?
  • PRORROGADO
    Aliás, o Liquida Porto Alegre será prorrogado até o dia 23 de fevereiro em função da necessidade de recuperar os prejuízos causados aos lojistas e a sociedade pela greve dos rodoviários . Durante os 15 dias de paralisação, as perdas chegaram a R$ 110 milhões. A decisão, unânime, foi tomada em reunião de diretoria da CDL Porto Alegre na manhã de hoje. O Liquida terá uma semana a mais em respeito e benefício do consumidor que não teve oportunidade de compra em razão da dificuldade de locomoção até o comércio e também para que os lojistas possam equalizar seus estoques, afirma o presidente da CDL POA, Gustavo Schifino.

FRASE DO DIA

A rés pública se transformou em cosa nostra.

Roberto Campos