Artigos Anteriores

A INJUSTIÇA-MÃE ESTÁ GARANTIDA

ANO XIV - Nº 007/14 -

A MÃE DE TODAS AS INJUSTIÇAS

Pelo que informam as pesquisas de opinião pública, mais da metade da população brasileira não tem ideia (ou não se preocupa com o assunto, infelizmente), de que entre as inúmeras e preocupantes INJUSTIÇAS SOCIAIS praticadas no nosso empobrecido país, a MAIOR (ou a MÃE de todas), sem comparação ( inclusive no mundo todo), está na nossa PREVIDÊNCIA SOCIAL. 

CLASSES

Além da flagrante INJUSTIÇA que (repito pela enésima vez) representa a simples e nojenta existência de DUAS CLASSES DE BRASILEIROS, onde:

1- a PRIMEIRA CLASSE (minoria) é destinada apenas aos privilegiados servidores públicos, que se aposentam pela INTEGRALIDADE DOS SALÁRIOS; e,

2- a SEGUNDA CLASSE (maioria) destinada à ralé , ou INSS, que recebe, no máximo, R$ 5.579,00 (teto),  

há uma outra, ainda mais estúpida e incompreensível: quem sustenta os privilegiados ocupantes da PRIMEIRA CLASSE é o povo, através de impostos cada vez mais altos. Pode?

POUCO INTERESSE

Pois, nem explicando isto de forma  clara, fundamentada em números oficiais, o povo (GRANDE PREJUDICADO) não mostra grande interesse, pelo que revela a pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Vejam que  apenas 19% da população afirma estar por dentro do processo e alterações. 

IMPOSTOS

É inegável que as DUAS CLASSES provocam constantes, e cada vez maiores, ROMBOS nas contas públicas, anualmente. Ora, DÉFICITS (ou ROMBOS) nas contas governamentais são cobertos por:

1- impostos à vista; e,

2- impostos à prazo, em forma de títulos públicos (endividamento).

Daí o tamanho da nossa CARGA TRIBUTARIA (quase 40% do PIB) e da nossa DÍVIDA PÚBLICA, que já chega a 76,85% do PIB. Que tal?

DÉFICITS

Ainda que muita gente não tenha ideia do assunto é preciso enfatizar que a PROPOSTA ORIGINAL da REFORMA (??) DA PREVIDÊNCIA, por ser tímida,  não visava acabar com os DÉFICITS que se verificam de forma crescente em ambas as CLASSES.

Observem que:

1- em 2016, o rombo do INSS foi de R$ 149,7 bilhões ;

2- e o mega rombo da Previdência dos servidores públicos - da União, dos 26 estados, do DF e 2087 municípios mais ricos, com apenas 9,9 milhões de participantes (6,3 milhões de contribuintes e 3,6 milhões de beneficiários) gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 155,6 bilhões . 

ORIGINAL EM QUÊ??

Agora, atenção: a PROPOSTA ORIGINAL (???), se aprovada, previa uma economia de R$ 800 BILHÕES EM 10 ANOS (ou seja R$ 80 BILHÕES POR ANO). Como o DÉFICIT (apenas da União) supera os R$ 300 bilhões/ano, a situação continuaria péssima.  

MONSTRENGO

Pois, ainda mais atenção: as modificações que foram feitas até agora no texto original, que, pasmem, continua desagradando 71% dos brasileiros, a economia cai para menos de R$ 600 BILHÕES EM 10 ANOS (ou menos de R$ 60 BILHÕES/ANO).

Ora, se esta REFORMA passar ( que ainda está muito difícil)  o Brasil continuaria mergulhado em ROMBOS CRESCENTES DA PREVIDÊNCIA e, principalmente, COMETENDO A MAIOR INJUSTIÇA SOCIAL jamais vista neste planeta. Tá bom assim???

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • HABEAS CORPUS

    Eis o artigo do pensador Percival Puggina, com o título - OS HABEAS CORPUS DO STF: TERÁ A ÁGUA BATIDO EM QUEIXOS IMPRÓPRIOS?:

    Ao mandar de volta ao aconchego do lar João Claudio Genu, José Carlos Bumlai, Eike Batista e José Dirceu, a segunda turma do STF abriu a porteira nos dois sentidos. Saem os presos e as suspeitas invadem o topo do judiciário nacional.

              Chega às raias do inadmissível que, conforme denunciou o procurador Deltan Dallagnol, o mesmo grupo de ministros tenha mantido na cadeia delinquentes em situação análoga aos que agora manda soltar. Como costumava dizer um amigo meu, já falecido: "É a diferença entre pano de chão e toalha felpuda".

              Como pode proporcionar segurança à sociedade um poder "supremo" da República que faz esse tipo de diferenciação? Que se conduz de modo ziguezagueante, para não dizer trôpego? Que decide e logo volta atrás? Onde alguns de seus membros se consideram em condições de julgar casos ante os quais se deveriam declarar impedidos? Que mantêm uma vida social comum e conversações tão frequentes quanto pouco recomendáveis com figuras da cena política e econômica de quem nós guardaríamos prudente distância? Os membros da Suprema Corte dos EUA, tão logo assumem suas funções, se recolhem a uma vida quase monástica, evitando toda atividade social que os exponha a situações de convívio inconveniente.

              Sinto muito. A desejável saída da crise política, pela qual tanto ansiamos como nação, pressupõe credibilidade no Poder Judiciário. E o STF vem se esforçando por cair em descrédito. É essa a conclusão inevitável de uma deliberação por 3 x 2 em matéria de tamanha sensibilidade social, onde isso parece não haver merecido qualquer consideração por parte da posição vencedora.

              Proliferam, então, as suspeitas. Como não associar esse surto de habeas corpus e as palavras arrogantes, duras e desrespeitosas do ministro Gilmar Mendes contra os promotores da Lava Jato, com a ruptura do contrato entre Antonio Palocci e os advogados que tratariam de sua delação premiada? Um dia o "Italiano" anuncia estar em condições de disponibilizar a Sérgio Moro atividades ilícitas com nomes, endereços e anotações que poderiam demandar mais um ano de investigações. Dia seguinte, recado dado, sabe-se da contratação, por ele, de advogados especializados em delações. Qual a consequência? Liberdade ainda que tardia para as toalhas felpudas! Só faltou ser dito: "Ai de quem falar em delação premiada daqui para a frente!". E Palocci dispensou seus advogados.

              Terá a água batido em queixos impróprios? A declaração da ministra presidente em entrevista ao programa "Conversa com Bial" da Rede Globo, na madrugada desta quarta-feira, 3, é uma clara expressão de insegurança quanto a isso. Disse ela: "A Lava Jato não está ameaçada, não estará. Eu espero que aquilo que cantei como hino nacional a vida inteira, nós do Supremo saibamos garantir aos senhores cidadãos brasileiros, de quem somos servidores: verás que um filho teu não foge à luta". Veremos?

FRASE DO DIA

A injustiça num lugar qualquer é uma ameaça à justiça em todo o lugar.

Martin Luther King