Artigos Anteriores

À ESPERA DOS FRUTOS DE 2020

ANO XIV - Nº 007/14 -

NA ESPERA DE UMA BOA COLHEITA

Encerradas as festas de natal, as atenções se voltam, com grande intensidade, para uma boa despedida de 2019, que se encerra recheado de fartas expectativas de que o tão esperado 2020 se consagre como o ano em que muito daquilo que foi semeado até agora resulte em bons e muitos desejados frutos. 

REPLETO DE REALIZAÇÕES

A rigor, quem se dispõe a olhar com razoável atenção para o ano de 2019 (faltam apenas quatro dias para acabar), verá, independente de boa ou má vontade com o governo, que o período encerra repleto de realizações. Eis aí apenas 10 pontos exemplares: 

B3, SELIC E ROMBO NAS CONTAS PÚBLICAS

1- O Índice da Bolsa de Valores (B3), que em 26 DE DEZEMBRO DE 2015 - (meses antes do impeachment da neocomunista Dilma Rousseff) registrava 39.728 pts, e iniciou 2019 em 87.880 pts, atingiu, ontem, 26/12 a expressiva marca de 117.203 pts.

2- a Taxa Selic, que iniciou 2019 em 6,5%, fecha o ano em 4,5% ao ano. E a Taxa de Inflação, que está em 3,59% fechará 2019 abaixo da meta (4,25%).

3- O ROMBO NAS CONTAS PÚBLICAS de 2019, previsto em R$ 139 bilhões, deverá fechar o ano em torno R$ 80 bilhões. Ou seja, o déficit poderá ser menos da metade do projetado pela meta oficial.

TAXA DE DESOCUPAÇÃO

4- Hoje, 27, o IBGE divulgou a Taxa de Desocupação da População, quanto ao trimestre setembro/novembro, apresentando 11,2%, ou seja, 0,7 pp ante o trimestre anterior. Detalhe: o resultado é o menor do ano e desde o segundo trimestre de 2016, quando a taxa estava em 11,3%.

5- A GERAÇÃO DE EMPREGO FORMAL pelo CAGED foi de 99 mil postos de trabalho, quase o dobro do número esperado pelo mercado e o maior valor desde novembro de 2010. De janeiro a novembro, o país registrou a geração de 948.344 novos empregos formais. O saldo é o maior para o período em seis anos (desde 2013).

REFORMAS

6- A REFORMA DA PREVIDÊNCIA da União foi aprovada e vários governos estaduais estão tratando de fazer o mesmo. Dez estados já aprovaram alguma versão da reforma da previdência neste final de ano e cerca de 8 estados já encaminharam suas propostas.

7- Aprovação da nova LEI DAS AGÊNCIAS REGULADORAS; CADASTRO POSITIVO; ANÚNCIO DO ACORDO UNIÃO EUROPEIA/MERCOSUL; NOVO MARCO REGULATÓRIO PARA O SETOR DE GÁS; NOVO MARCO REGULATÓRIO (por enquanto na Câmara Federal) DO SANEAMENTO.

8- Foi dada a largada para um ousado PLANO DE PRIVATIZAÇÕES, CONCESSÕES E AUTORIZAÇÕES. Muita coisa já aconteceu e muito mais já está AGENDADO para acontecer em 2020.

BNDES E FGTS

9- O Conselho do BNDES mudou radicalmente a política de renda variável do banco, abrindo espaço para redução expressiva carteira de R$ 120 bilhões do BNDESPAR ao longo dos próximos três anos. 

 10 - O governo mudou, em 2019, a política de remuneração e saques do FGTS. A rentabilidade do fundo passará agora a ser distribuído para todas as contas individuais, foi criado o saque imediato de R$ 500 por conta ativa e inativa, e o saque aniversário anual em alternativa à sistemática de saque por rescisão do contrato de trabalho, que permitirá a retirada de parte do saldo da conta do FGTS anualmente, no mês do aniversário do trabalhador.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • RÉVEILLON 2020 DE PORTO ALEGRE

    O Réveillon 2020 de Porto Alegre  foi lançado nesta quinta-feira, 26, pelo prefeito Nelson Marchezan.  O evento começa às 18h do dia 31, terça-feira, no palco que estará localizado próximo à Usina do Gasômetro, e deve se estender até as 2h da madrugada. A expectativa é superar o público de 140 mil pessoas em 2019.

    Entre as atrações estão um espetáculo pirotécnico de cerca de 10 minutos e shows musicais com os vencedores do 14º Festival de Música de POA, Imperadores do Samba, Cesar Oliveira e Rogério Melo, Luiza Barbosa, Casa Ramil e a DJ Letícia Sartoretto. A apresentação será da cantora e musicista mineira, Gisa Nunez. “Buscamos parceiros para viabilizar o evento que é de todos. A gente só constrói uma cidade melhor com a ajuda de cada habitante. 

    O evento tem o patrocínio da Companhia Zaffari , Caixa e do Governo Federal. O apoio é da Federação Afro Umbandista e Espiritualista do Rio Grande do Sul (Fauers), Associação de Gastronomia Itinerante do Rio Grande do Sul, Sheik Burguer, Restaurante 360 e Rede Master Hotéis.

    O superintendente nacional da Caixa, Hélio Duranti, lembrou das parcerias que a instituição tem com a prefeitura. “Estamos felizes em ser coadjuvantes na transformação da cidade de Porto Alegre. Este evento é só um exemplo das realizações que nos servem de inspiração”, diz.

  • ICI

    O Índice de Confiança da Indústria (ICI) subiu 3,2 pontos em dezembro em relação a novembro, a 99,5 pontos, mesmo nível registrado em julho de 2018, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o texto do pensador e associado do IEE, Richard Sacks, - INVESTIMENTOS GERAM EMPREGOS- , publicado hoje no JC:

    Recentemente, foi divulgada mais uma queda na taxa de desemprego. O Brasil, entretanto, ainda tem mais de doze milhões de desempregados. Infelizmente, emprego não se cria, é gerado com novos investimentos. Quando não há investimentos, não temos geração de empregos. A propósito, ninguém pode esquecer que a taxa de desocupação que o nosso empobrecido Brasil ostenta é consequência direta da terrível destruição promovida pela matriz econômica cuidadosamente implementada pela dupla petista Lula e Dilma quando ocuparam a presidência. Portanto, antes mesmo de ler as pesquisas de desemprego, é importante que todos saibam que a recuperação dos empregos depende da abertura de novas empresas; do aumento da taxa de investimento daquelas que se mantêm em atividade; e do aumento da disposição de consumo da sociedade.
    Empresários e investidores estão, desde o ano passado, segurando investimentos por conta do risco Brasil, que, sem a aprovação das reformas, fica ainda mais alto. A reforma da Previdência, depois de enxugada, foi aprovada após longos meses. Cabe, agora, analisar as reformas tributária e administrativa. Porém, enquanto segue o impasse na Câmara sobre qual delas é mais urgente, protelando perigosamente a apreciação de ambas, os investimentos, único instrumento realmente capaz de reverter a crise econômica que assola o País, também seguem protelados.
    Como a aprovação não deve se dar logo, a recuperação dos empregos não tem como ser rápida. Porém, à medida que o governo adota medidas que levam os investidores e empresários a se sentir estimulados, aí as coisas começam a andar, e a tendência é aumentar a empregabilidade. É o caso da Lei de Liberdade Econômica e de outras medidas provisórias em análise, como a MP Verde-Amarela. De janeiro a outubro deste ano, 841.589 empregos de carteira assinada e mais de 2,1 milhões de empresas foram criados no Brasil. Esse número só não é melhor (ou maior) porque a montanha de escombros deixada é grande, e a vontade dos políticos de removê-la é pequena.
    Contudo, por todos os cantos do Brasil, a maioria da população já demonstra apoio e pleno convencimento da urgente necessidade de aprovação de todas as reformas. Falta agora a boa vontade dos políticos para ouvir seus eleitores, mesmo não sendo ano eleitoral. A aprovação tem que ser logo, para diminuirmos a burocracia, o custo e o risco do País, gerando investimentos e empregos.

  • A PRIMEIRA HORA

    Nesta 2ª feira, 30/12 é a estreia de Rogério Mendelski na Rádio Bandeirantes de Porto Alegre (Band AM 640 e Band FM 94,9). Anote aí:  com o programa - A PRIMEIRA HORA- vai ao ar às 6 horas da matina.

FRASE DO DIA

Quanto menos alguém entende, mais quer discordar.

Galileu Galilei