Artigos Anteriores

A ENTREVISTA DO IVES

ANO XIV - Nº 007/14 -

PROPÓSITO DO - PENSAR! -

Antes de tudo lembro aos leitores do Ponto Crítico o propósito que une os integrantes do grupo ? PENSAR! ?, qual seja de expor o CÁLCULO ECONÔMICO e a efetiva RELAÇÃO CAUSA/EFEITO das propostas e decisões tomadas pelos governantes, em todos os níveis.Daí a razão para que o Ponto Crítico destine, vez por outra, espaços para publicação de conteúdos produzidos pelos membros do - PENSAR! -.

O PENSAMENTO DO IVES

Como Ives Gandra Martins faz parte do time de PENSADORES, e, recentemente, em entrevista concedida à -De Biasi em Revista- fez críticas fundamentadas quanto aos gastos com o funcionalismo público, à carga tributária e aos encargos trabalhistas (superiores aos dos demais países emergentes), fato que representa um alto custo empresarial e tira a competitividade da indústria, eis o que disse o tributarista:

CUSTO BRASIL

- A presidente Dilma Rousseff investiu R$ 41 bilhões em 2011, ante os R$ 46 bilhões do governo Lula em 2010. E, enquanto Lula gastou R$ 182 bilhões em despesas de custeio pessoal e com a Previdência, principalmente do funcionalismo, Dilma gastou R$ 195 bilhões.

CARGA BUROCRÁTICA

Houve, portanto, um aumento expressivo do custo operacional e de pessoal e uma redução dos investimentos federais. É fácil ver que, enquanto não se reduzir a carga burocrática, que consome os tributos, dificilmente se fará a reforma tributária.

RETROCESSO

No governo Dilma, lembra Ives, o Brasil retrocedeu ao mesmo nível do governo Café Filho. Quando Juscelino Kubitschek o sucedeu, em 1956, o nível de industrialização do Brasil era rigorosamente igual ao atual. (?)Foi o pior ano para a indústria.

APAGANDO INCÊNDIO

Como se vê, a grande causa do processo de desindustrialização do Brasil é o custo governamental, elevadíssimo. Como o governo se recusa a atacar a CAUSA, a política de desoneração que o governo lançou a poucos dias só tem uma serventia: apagar o incêndio que atinge o setor industrial.

UMA ÚNICA REFORMA

A rigor, a única medida que Dilma tomou para tentar reduzir o Custo Brasil foi a aprovação do Regime de Previdência Complementar ao Servidor Público da União. Com um porém: a medida, que merece aplausos, só será sentida no longo prazo, com a redução do número de aposentados pelo regime atual, que recebem salário integral.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PROJETO DE LEI
    É bem provável que o contribuinte que vender imóvel residencial para adquirir outro e obtiver lucro na transação venha a ter prazo de até 365 dias de isenção do Imposto de Renda sobre o ganho de capital. O projeto de lei do Senado (PLS 21/2009)já passou na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado faltando votação em plenário.
  • USIMINAS
    A Moody?s rebaixou em dois graus a nota de crédito da Usiminas, de Baa3 para Ba2. Pela nova classificação, a siderúrgica mineira não é mais considerada GRAU DE INVESTIMENTO pela agência de classificação de risco. Segundo a Moody?s, o rebaixamento reflete a piora operacional da companhia no contexto de enfraquecimento do mercado siderúrgico tanto global como doméstico, a maior pressão de custos e o aumento da concorrência com produtos importados.
  • PIB BRASILEIRO
    O Itaú Unibanco reduziu a projeção de crescimento do PIB brasileiro para 2012 de 3,5% para 3,1%. Manteve, entretanto, a estimativa de 5,1% para 2013.
  • CHINA
    O Brasil quer exportar mais para a China. Tomara que os chineses não criem salvaguardas para os produtos brasileiros, como o governo Dilma está fazendo aqui.

FRASE DO DIA

O mundo precisa de justiça, não de caridade.

Desconhecido